Carlo Maria Martini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlo Maria Martini, SJ
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo-emérito de Milão

Título

Cardeal-presbítero de Santa Cecília
Ordenação e Nomeação
Ordenação Presbiteral 13 de julho de 1952
Ordenação Episcopal 6 de janeiro de 1980
Nomeado Arcebispo 29 de dezembro de 1979
Cardinalato
Criação 2 de fevereiro de 1983
por João Paulo II
Brasão
St. Martini.jpg
Lema PRO VERITATE ADVERSA DILIGERE
Dados Pessoais
Nascimento Itália Turim
15 de fevereiro de 1927
Falecimento Itália Gallarate
31 de agosto de 2012 (85 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Carlo Maria Cardeal Martini, S.J. (Turim, 15 de fevereiro de 1927 - Gallarate, 31 de agosto de 2012[1] ) foi um cardeal italiano e arcebispo emérito de Milão.

Presbiterado[editar | editar código-fonte]

Ingressou na Companhia de Jesus, em 25 de setembro de 1944. Fez o noviciado em Cuneo; estudou na Faculdade de Filosofia Aloisianum, Gallarate, Milão; na Faculdade Teológica, de Chieri, em Turim; na Pontifícia Universidade Gregoriana, de Roma, onde fez o seu doutorado em teologia fundamental com a tese: Il problema storico della Risurrezione negli studi recenti; e no Pontifício Instituto Bíblico, Roma.

Foi ordenado padre, em 13 de julho de 1952, em Chieri, Turim. Continuou seus estudos em Roma, de 1954 a 1958. Foi membro da Faculdade Teológica de Chieri; fez os últimos votos, em 2 de fevereiro de 1962. Continuou seus estudos em Roma, de 1962 a 1964. Trabalhou pastoralmente em Roma.

Biblista[editar | editar código-fonte]

Foi membro da faculdade, decano e reitor do Pontifício Instituto Bíblico, nomeado em 29 de setembro de 1969.

Nomeado reitor da Pontifícia Universidade Gregoriana, Roma, em 18 de julho de 1978. Único membro católico do Comitê Ecumênico para a preparação da edição grega do Novo Testamento.

O cardeal Martini, recebe a visita pastoral de Papa João Paulo II, Milão, 1984.

Pregador em 1978, dos exercícios espirituais de Quaresma no Vaticano, por convite de Paulo VI.

Episcopado[editar | editar código-fonte]

Foi eleito arcebispo de Milão, em 29 de dezembro de 1979. Ordenado bispo em 6 de janeiro de 1980, no Vaticano, pelo Papa João Paulo II. Membro da secretaria geral do Sínodo dos Bispos, por nomeação papal, de 1980 a 1983.

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

Foi criado cardeal presbítero, em 2 de fevereiro de 1983; recebeu o barrete cardinalício e título de Santa Cecília, em 2 de fevereiro de 1983. Assistiu à VI Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, de 29 de setembro a 28 de outubro de 1983; foi relator da mesma; membro da secretaria geral, de 1983 a 1986; estendido até 1987 na II Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, de 24 de novembro a 8 de dezembro de 1985.

Assistiu à VII Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, de 1 a 30 de outubro de 1987; membro da secretaria geral, de 1987 a 1990. Enviado especial do Papa à celebração do I centenário da evangelização de Zâmbia, de 29 de setembro a 2 de agosto de 1991.

Assistiu à I Assembleia Especial para a Europa do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, de 28 de novembro a 14 de dezembro de 1991; à Quarta Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, em Santo Domingo, na República Dominicana, de 12 a 28 de outubro de 1992; a IX Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, de 2 a 29 de outubro de 1994; foi membro da secretaria geral, de 1994 a 1998. Assistiu à II Assembleia Especial para a Europa do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, de 1 a 23 de outubro de 1999. Desde 2002 é arcebispo emérito de Milão e retirou-se viver em Jerusalém.

Por causa da doença de Parkinson volta, definitivamente, na Itália em 2008. Em 2012 recebe a visita do Papa Bento XVI, em visita pastoral em Milão.

Em 30 de agosto de 2012 o cardeal Angelo Scola, arcebispo de Milão anuncia que D. Carlo foi internado num hospital por causa da doença de que sofria e pediu orações para si.[2] Falece em Gallarate no dia 31 de agosto de 2012[3] [4] .

Livros[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2007 lançou junto com o Pe. Georg Sporschill o livro "Diálogos Noturnos em Jerusalem" onde em forma de entrevista discute os temas mais relevantes da atualidade da fé e os desafios de chegar aos jovens e as suas questões tão conturbadas nos dias de hoje.[5]

Lema e brasão[editar | editar código-fonte]

Pro veritate adversa diligere

Referências

  1. [1],Falece, aos 85 anos, o Cardeal Carlo Maria Martini, 31.08.2012
  2. Milano, cardinal Martini si aggrava. L'Arcivescovo Scola: pregate per lui - ilfattoquodiano.it
  3. Il cardinale Carlo Maria Martini è morto - Lo ha comunicato l'arcivescovo di Milano Scola
  4. publico.pt (31-8-2012). Morreu o cardeal Carlo Martini, que defendia uma Igreja mais compreensiva e aberta ao mundo. Página visitada em 31-8-2012.
  5. Martini, Carlo Maria; Sporschill, Georg. Diálogos noturnos em Jerusalém: Sobre o risco da fé. São Paulo: Paulus, 2008. p. 15. ISBN 978-85-349-2966-0

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Giovanni Colombo
Archbishop CoA PioM.svg
Arcebispo de Milão

19792002
Sucedido por
Dionigi Tettamanzi
Precedido por
John Patrick Cody
CardinalPallium PioM.svg
Cardeal-presbítero de Santa Cecília

19832012
Sucedido por
Gualtiero Bassetti