Casa de Croÿ

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Casa de Croÿ
França, Espanha
Brasão de Philippe I de Croÿ, detalhe do díptico de Rogier (ca. 1460)
Estado: França, Espanha
País:  França
Dinastia de origem: Casa de Árpad
Títulos: Senhor de Croÿ
Duque de Croÿ
Duque de Havré
Príncipe do Sacro Império Romano
Príncipe de Chimay
Fundador: Marc Árpád, príncipe da Hungria
Ano de fundação: Século XIV
Etnia: Caucasiana
Linhagem secundária: Croÿ-Chimay, Croÿ-Havré, Croÿ-Solre,

A Casa de Croÿ é uma família aristocrática do Reino da França, com ramos colaterais na Espanha. É descendente de André III da Hungria, e portanto, descendente de Átila, o Huno. Foi (e ainda é) uma das famílias mais tradicionais de toda a Europa.

Origens[editar | editar código-fonte]

Originalmente, a família era instalada na região da Picardia, no norte da França, adotou tal nome a partir do Castelo de Croÿ, que está localizado na atual Bélgica. Seus membros envolveram-se ativamente nas políticas de países como França, Espanha, Áustria e Países Baixos; Participaram ativamente do movimento de unificação dos Países Baixos, primeiro sobre os Duques de Borgonha e posteriormente sob a Casa de Habsburgo.

Nomenclatura e história[editar | editar código-fonte]

O sobrenome dos Croÿ deriva do Castelo de Croÿ, de onde os primeiros membros da família foram se instalar. O membro mais antigo (pelo menos conhecido pela história) que pertenceu a esta família foi Jacob van Croÿ, o qual viveu em meados do século XII. De acordo com um mito estabelecido mais tarde, os Croÿ descenderiam do rei André III da Hungria, através do casamento de seu filho Marc, príncipe da Hungria com Catherine de Croÿ, herdeira da família dos Croÿs.

Origem húngara[editar | editar código-fonte]

Se os Croÿs franceses descendem de André III da Hungria, estes são seus ancestrais, em linha patrilinear:

  • Átila, Rei dos hunos em 433, filho de um chefe huno, Mundzuk, sucedeu a um tio paterno, Ruas. Basicamente um guerreiro, sua vida é uma sucessão de batalhas. Seu noivado com Honória, neta do imperador Teodósio II, foi pretexto para diversas invasões da Itália. Morreu em 453, na noite que se sucedeu a seu casamento com uma jovem visigoda, Ildico. Teve filhos de Honória (ligou, assim, seu sangue ao sangue de Júlio César). Filho dele foi:
  • Chaba, príncipe dos Hunos, teria morrido com os irmãos e 30.000 unos na Batalha do Rio Netad.
  • Ellad, morto na mesma batalha.
  • Avarius, bisneto do precedente. Chefe húngaro com título real. Seria avô ou bisavô de Álmos (é com certeza personagem lendário; Ávaros é o nome da tribo de onde surge a nação húngara).
  • Árpád, trineto do precedente, filho de Álmos. É considerado o primeiro governante da Hungria, o provável chefe das tribos magiares e o fundador da Casa de Árpád.
  • A dinastia continua até chegar a:
  • André III da Hungria, rei da Hungria, com quem se extinguiu a linhagem masculina legítima da Casa de Árpád.
  • Marc da Hungria, casado com Catherine de Croÿ.

Croÿ's famosos[editar | editar código-fonte]

  • Anton van Croy (1385-1475), o Grande Croy, estadista da Borgonha
  • Filipe I de Croy (1435-1511), conde de Porcean, governador de Luxemburgo
  • Croy William II (1458-1521), senhor de Chievres, duque de Soria e Archi, Governador dos Países Baixos
  • William Croy (1497-1521), cardeal e arcebispo de Toledo
  • Charles Croy, bispo de Tournai
  • Jacob Croy (1436-1516), filho de João II Conde de Chimay, desde 1502 bispo de Cambrai.
  • Filipe II de Croy-Aarschot (1496-1549), sobrinho de William, duque de Aarschot, governador de Hainaut
  • Marie de Croÿ (1519-1588), princesa de Croy-Chimay.
  • Filipe III de Croy-Aarschot (1526-1595), filho de Filipe II, Duque de Aarschot, governador de Flandres
  • Charles Philip de Croy-Havre (1549-1613), filho de Filipe II, guerreiro e estadista
  • Charles Croy-Aarschot filho (1560-1612), de Philip III, militar e estadista,
  • Ferry de Croy-Roeulx (- 1524), senhor de Roeulx, governador de Artois
  • Adrian Croy († 1553), Conde de Roeulx, governador de Flandres e Artois
  • Janeiro de Croy (- 1581), Conde de Roeulx, governador de Flandres e Artois, depois Nomes
  • Charles Alexander de Croy (1581-1624), militar espanhol
  • Bogislaw gravidade da Croy (1620-1684), bispo de Kammin, governador de Brandemburgo Pomerânia e da Prússia
  • Charles Eugene de Croy-Roeulx (1651-1702), militar alemão e russo
  • Emanuel de Croy (1718-1784), soldado, um confidente de Louis XV
  • Anne-Emanuel de Croy (1743-1803), fugiu para o Império Alemão, adquiriu em 1803 o município Dülmen
  • Agosto de Croy (1765-1822), filho de Anne-Emanuel, duque de Dülmen reinando até 1806, o ancestral de todos os ramos modernos
  • Isabella de Croy (1856-1931), princesa de Croy-Dülmen e mais tarde casou arquiduquesa da Áustria .

Duques de Croÿ[editar | editar código-fonte]

Philipe de Cröy, Duque de Aarschot.

O título Duque de Croy pelo rei Henrique IV de França concedida a Carlos III de Croy . Enquanto outros títulos para a casa Croy na vida são chamados, como duque de Aarschot ou Prince of Chimay, no decorrer do tempo na extinção da linha principal foram transferidos para outras famílias, este título é específico para a família Croy vinculado. O título ainda é usado pelo chefe de família, agora no ramo vestfaliano da Casa de Croÿ-Solre.

  • Charles III de Croy-Aarschot (1560-1598 b. - 1612)
  • Charles Alexander de Croy-Havre (° 1574-1612 to 1624), sobrinho do precedente
  • Croy de Ernest (1588-1624 b. - 1631), irmão do precedente
  • Bogislaw Ernst (1620-1631 b. - 1684), filho do anterior
  • Ferdinand Gaston Lamoral de Croy-Roeulx (1684 - 1720)
  • Ferdinand Gaston (1709-1720 b. - 1767), neto do anterior
  • Emmanuel de Croy-Solre (1718-1767 b. - 1784)
  • Anne Emmanuel (1743-1784 b. - 1803), filho do anterior
  • Philippe Auguste (1765-1803 b. - 1822), filho do anterior
  • Alfred Friedrich Philipp Franz (1789-1822 b. - 1861), filho do anterior
  • Rudolf Maximilian Konstantin (1823-1861 b. - 1902), filho do anterior
  • Karl Alfred (1859-1902 b. - 1906), filho do anterior
  • Karl Rudolf Engelbert Phillipp Leo (1889-1906 b. - 1974), filho do anterior
  • Karl Emmanuel (1914-1974 b. - 1990) [2], filho do anterior
  • Rudolf Rupprecht Carl (1955), Duke em 1990, filho de anteriores

Ver também[editar | editar código-fonte]