Choque cultural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Choque cultural refere-se à ansiedade e sentimentos (de surpresa, desorientação, incerteza, confusão mental, etc) quando uma pessoa tem de conviver dentro em uma diferente e desconhecida cultura ou ambiente social. Após deixar o que era familiar para trás, essa pessoas tem de encontrar o caminho em uma nova cultura, que tem um modo de vida e uma mentalidade diferente.[1] A partir daí, nascem as dificuldades em assimilar a nova cultura, causando dificuldades em saber o que é adequado e o que não é. Muitas vezes combinada com uma aversão ou mesmo nojo (moral ou estético) à certos aspectos da nova cultura.

Fases do choque cultural[editar | editar código-fonte]

Entusiástico acolhimento oferecido aos primeiros estudantes indianos ao chegarem em Dresden, na Alemanha Oriental (1951)
  • Fases

O choque (de mudança para um país estrangeiro) frequentemente consiste em fases distintas, embora nem todo mundo passe por todas estas fases:

  • Fase de Lua de Mel[2] [3]
  • Fase de Negociação[4] [5]
  • Fase de ajustagem[6]

Existe também um Choque cultural invertido (Reverse Culture Shock)[7]

Não há sintomas fixos atribuídos ao choque cultural pois cada pessoa é afetada de uma forma diferente.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referencias[editar | editar código-fonte]

  1. Velazquez, Lisa "Stages of Culture Shock." Stages of Culture Shock. Web. 7 abril 2009 EzineArticles.com. 29 setembro 2009.
  2. Oberg, Dr. Lalervo."Culture Shock and the problem of Adjustment to the new cultural environments".World Wide Classroom Consortium for International Education & Multicultural studies.Web.29 Sept 2009.
  3. Santoro Bellini, Mary Ann Ph.D. “The Four Stages of Culture Shock.” Square Mouth. Chris Harvey. 30 Sept. 2005. Web. 29 Sept. 2009. <http://blogs.squaremouth.com/travel-advice/the-four-stages-of-culture-shock/>
  4. Mavrides, Gregory PhD “Culture Shock and Clinical Depression.” Foreign Teachers Guide to Living and Working in China. Middle Kingdom Life, 2009. Web. 29 Sept. 2009. <http://middlekingdomlife.com/guide/culture-shock-china.htm>
  5. Guanipa,Carmen."Amigos-Culure Shock". Dept of counselling and school psychology. 1998. San Diego State University. 27 Sept. 2009<http://edweb.sdsu.edu/people/cGuanipa/cultshok.htm
  6. Winkelman, Michael. "Cultural Shock and Adaptation." Journal of Counseling & Development 73.2 (Nov. 1994): 121-126.29 Sept.2009.Web
  7. Huff, Jennifer L. "Parental attachment, reverse culture shock, perceived social support, and college adjustment of missionary children." Journal of Psychology & Theology 29.3 (2001): 246-264.29 Sept 2009.Web
  8. Barna, LaRay M. "HOW CULTURE SHOCK AFFECTS COMMUNICATION." Communication 5.1 (n.d.): 1-18. SocINDEX with Full Text. EBSCO.29 Sept.2009.web.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]