Constante de Rydberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Constante de Rydberg, nomeada em homenagem ao físico Johannes Rydberg, é uma constante física que aparece na fórmula de Rydberg. Ela foi descoberta durante a medição do espectro do hidrogênio e foi definida a partir dos resultados desta experiência por Anders Jonas Ångström e Johann Balmer. Cada elemento químico possui a sua própria constante de Rydberg, que pode ser derivada da constante de Rydberg para massa nuclear infinita.

A constante de Rydberg é considerada como uma das mais bem definidas constantes físicas, com um incerteza experimental relativa de menos de 7 partes por trilhão. A habilidade de medi-la diretamente com tal precisão, confirma a proporção dos valores de outras constantes físicas que a definem, e por isso pode ser utilizada para testar teorias da física.

Para uma série de linhas espectrais discretas, emitidas por um átomo de hidrogênio,

\frac{1}{\lambda}=R\left(\frac{1}{m^2}-\frac{1}{n^2}\right) \ .

A constante de Rydberg para massa nuclear infinita é (de acordo com resultados de 2002 do Committee on Data for Science and Technology):

R_\infty = \frac{m_e e^4}{(4 \pi \epsilon_0)^2 \hbar^3 4 \pi c} = \frac{m_e e^4}{8 \epsilon_0^2 h^3 c} = 1.0973731568525(73) \cdot 10^7 \,\mathrm{m}^{-1}
onde
\hbar \ é a constante de Planck reduzida,
m_e \ é a massa intrínseca do elétron,
e \ é a carga elementar,
c \ é velocidade da luz no vácuo, e
\epsilon_0 \ é a permissividade do espaço livre.

Na física atômica, esta constante é utilizada freqüentemente na forma de uma energia:

h c R_\infty = 13.6056923(12) \,\mathrm{eV} \equiv 1 \,\mathrm{Ry} \

A constante "infinita" aparece na fórmula:

R_M = \frac{R_\infty}{1+m_e/M} \
onde
R_M \ é a constante de Rydberg para determinado átomo com um elétron com a massa intrínseca m_e \
M \ é a massa do seu núcleo atômico.
Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]