Daniel Burnham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Daniel Burnham

Daniel Hudson Burnham (4 de Setembro de 1846 - 1 de Junho de 1912) foi um arquitecto e planeador urbano norte-americano. Atuou como Diretor de Trabalhos para a Exposição Universal de Chicago de 1893, além de ter assumido papel de lideração na criação dos planos diretores de diversas cidades, dentre as quais Chicago e Washington D.C.. Burnham também projetou diversos edifícios, como a Union Station de Chicago e o Edifício Flatiron em Nova Iorque.

Exposição Universal de Chicago[editar | editar código-fonte]

Exposição Universal de Chicago, 1893

Burnham, em parceria com John Root, possuíam um escritório de arquitetura que veio a se tornar um dos mais notáveis da cidade de Chicago no século XIX. Esse escritório foi o encarregado do projeto e construção da World's Columbian Exposition, ou Exposição Universal de Chicago, a qual ocorreu em 1893 de modo a celebrar o quadricentenário da chegada de Cristóvão Colombo ao Novo Mundo.[1] Com o falecimento de seu colega John Root no decorrer do projeto, vários outros arquitetos e paisagistas - dentre eles Frederick Law Olmsted e Louis Sullivan - vieram a contribuir com o projeto, alterando significativamente o projeto original de Burnham e Root. Enquanto o projeto original destacava-se por seu aspecto modernista, o projeto posterior era de caráter Neoclássico, tendo sido denominado "cidade branca". Esse projeto ajudou a difundir a arquitetura neoclássica como algo monumental e racional, originando uma popularização do estilo nos Estados Unidos.

Plano Diretor de Chicago[editar | editar código-fonte]

Plano Diretor de Chicago, 1909

Iniciado em 1906 e publicado em 1909, em parceria com Edward H. Bennett o plano versava sobre o futuro da cidade. Destaca-se por ter sido o primeiro plano abrangente com enfoque na expansão urbana controlada da cidade americana. O plano incluiu propostas ambicionsas para aorla lacustre da metrópole e propunha que todos os cidadãos residissem a uma distância do lago percorrível a pé. Patrocinado pelo Clube Comercial de Chicago, Burnham ofereceu seus serviços na esperança de que sua causa fosse efetivada em prol da cidade.[2] [3] [4]

Burnham pretendia que Chicago se tornasse uma "Paris das pradarias", com fontes, bulevares radiais e outros equipamentos urbanos inspirados naqueles oriundos da reforma urbana de Haussmann empreendida na capital francesa. Ainda que apenas algumas partes do plano tenham sido efetivamente implantadas, foi estabelecido um padrão para o desenho urbano, antecipando necessidades iminentes das grandes cidades, como o controle do crescimento urbano. Além disto, o plano continuou a influenciar o desenvolvimento da cidade de Chicago até mesmo décadas após o falecimento do arquiteto. Além do Plano Diretor de Chicago, Burnham contribuiu com planos para as cidades de Cleveland, San Francisco, Washington D.C., bem como para a capital filipina, Manila.[5]

Edifícios Projetados[editar | editar código-fonte]

O Edifício Reliance, em Chicago, uma das criações de Daniel Burnham

Chicago[editar | editar código-fonte]

Outras Cidades[editar | editar código-fonte]

  • Flatiron Building (New York City)
  • Union Station Washington, D.C.
  • Ford Building (Detroit, Michigan)
  • Wyandotte Building (Columbus, Ohio)
  • Pennsylvania Railroad Station (Richmond, Indiana)

Referências

  1. Truman, Benjamin. History of the World's Fair: Being a Complete and Authentic Description of the Columbian Exposition From Its Inception. Philadelphia, PA: J. W. Keller & Co., 1893.
  2. The Commercial Club of Chicago: Purpose & History. Visitado em 2008-06-04.
  3. Schaffer, Kristin. Introduction to Plan of Chicago (reprint), Princeton Architectural Press, 1993.
  4. Levy, John M. (2009) Contemporary Urban Planning.
  5. Carl Smith, The Plan of Chicago: Daniel Burnham and the Remaking of the American City.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Daniel Burnham
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Daniel Burnham