E depois do Adeus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de E Depois do Adeus)
Ir para: navegação, pesquisa
"E Depois do Adeus"
Canção de Paulo de Carvalho
Letrista(s) José Niza
Composição José Calvário

"E Depois do Adeus" é um canção com letra de José Niza e música de José Calvário, que foi escrita para ser interpretada por Paulo de Carvalho na 12.ª edição do Festival RTP da Canção[1] , do qual sairia vencedora. Nessa qualidade, representaria Portugal em Brighton, a 6 de Abril, no Festival Eurovisão da Canção 1974, terminando em último lugar, com apenas 3 pontos, ex aequo com as canções da Alemanha, Suíça e Noruega. "E depois do Adeus" foi a canção que serviu de primeira senha à revolução de 25 de Abril de 1974[2] .

A questão das duas senhas do 25 de Abril[editar | editar código-fonte]

Com a transmissão de "E Depois do Adeus", pelos Emissores Associados de Lisboa às 22h55m do dia 24 de Abril de 1974, era dada a ordem para as tropas se prepararem e estarem a postos. O efectivo sinal de saída dos quartéis, posterior a este, seria a emissão, pela Rádio Renascença, de "Grândola, Vila Morena" de Zeca Afonso[3] .

A razão da escolha de "E Depois do Adeus" é clara: não tendo conteúdo político e sendo uma música em voga na altura, não levantaria suspeitas, podendo a revolução ser cancelada se os líderes do MFA concluíssem que não havia condições efectivas para a sua realização. A posterior radiodifusão, na emissora católica, de uma música claramente política de um autor proscrito daria a certeza aos revoltosos de que já não havia volta atrás, que a revolução era mesmo para arrancar.

O tema[editar | editar código-fonte]

Embora o título, em retrospectiva, pareça remeter para o adeus ao regime do Estado Novo, a canção em si é uma balada sem conteúdo político (ao contrário da vencedora do ano anterior). "E depois do Adeus" é uma tipica canção de amor dos anos 70. É sobre um homem que se encontra perdido depois do fim de uma intensa relação amorosa, como ela é vivida na juventude, provavelmente um primeiro amor. No meio do seu vazio, ele conclui que o amor traz felicidade e sofrimento ("Amar é ganhar e perder"), ao ganhar um novo relacionamento segue-se o perdê-lo. Também como vinha sendo moda nos anos 70, a canção tem um atrevimento na sua letra, para a época. Tal como a "Desfolhada" de Simone de Oliveria continha o verso "Quem faz um filho fá-lo por gosto", esta canção do Paulo de Carvalho tem o verso "Tu vieste em flor, eu te desfolhei"

Referências

  1. PERFIL COMPLETO do autor de "E Depois do Adeus" (em português) DN Portugal (23 de Setembro de 2011). Visitado em 6 de Junho de 2014. Cópia arquivada em 3 de Junho de 2014.
  2. E Depois do Adeus (2CD) (em português) FNAC. Visitado em 3 de Junho de 2014.
  3. Tiago Freire (25 de Abril de 2014). Canção do Dia: Paulo de Carvalho – E Depois do Adeus (em português) Altamont. Visitado em 3 de Junho de 2014. Cópia arquivada em 3 de Junho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.