Epêntese

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Metaplasmos
Por adição de sons:
Prótese
Aglutinação
Epêntese
Anaptixe
Paragoge
Por supressão de sons:
Aférese
Deglutinação
Síncope
Haplologia
Apócope
Crase
Por modificação de sons:
Por transposição:
Metátese
Hipértese
Hiperbibasmo
Por transformação:
Apofonia
Assibilação
Assimilação
Consonantização
Desnasalização
Dissimilação
Ditongação
Fortição
Lenição
Metafonia
Monotongação
Nasalização
Palatalização
Sonorização
Vocalização

Epêntese é um dos metaplasmos por adição de fonemas a que as palavras podem estar sujeitas à medida que uma língua evolui. Neste caso, há acréscimo de um ou mais fonemas ao interior do vocábulo.

Um tipo especial de epêntese é a anaptixe (ou suarabácti), que ocorre quando a adição de fonemas desfaz um grupo de consoantes. Um exemplo seria blatta, que evoluiu para barata (repare na letra a que foi adicionada intercalando as letras b e l).

Exemplos[editar | editar código-fonte]

No português[editar | editar código-fonte]

area (português arcaico) > areia (português moderno)
avea (português arcaico) > aveia (português moderno)
moĩo (português arcaico) > moinho (português moderno)
ũa (português arcaico) > uma (português moderno)
vĩo (português arcaico) > vinho (português moderno)