Ernst Toller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ernst Toller (Szamocin, Prússia, 1 de dezembro de 1893 - Nova Iorque, 22 de marzo de 1939) foi um poeta, dramaturgo, político e revolucionário alemão de origem judaica. Participou na Liga Espartaquista e escreveu várias obras expressionistas.

Toller combateu na Primeira Guerra Mundial, uma experiência que o levou a desenvolver uma posição pacifista e próxima à revolução socialista. Participou na revolta da Baviera de 1918, uma vez terminada a guerra, e na República Soviética da Baviera. Encarregou-se da formação de um exército vermelho, a pesar do seu ideário pacifista. Na sua posterior obra teatral O homem massa dará saída para os conflitos de consciência que lhe provocou essa contradição. Após a queda daquela república, provocada pelo exército e os corpos de voluntários de extrema direita, foi condenado a cinco anos de prisão.

Em 1933, com a tomada do poder pelos nazistas, emigrou para a América do Norte, onde habitou em diferentes cidades, suicidando-se em 1939.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Die Wandlung, 1919
  • Masse Mensch, 1921
  • Die Maschinenstürmer, 1922 (Os destrutores das máquinas, ADE, 1991; Alikornio, 2002)
  • O livro das andorinhas (1923)
  • Hinkemann, 1923 (Hinkemann, ADE, 1991)
  • O dia do proletariado (1926)
  • Hoppla, wir leben, 1927
  • Feuer aus den Kesseln, 1930
  • Eine Jugend in Deutschland, 1933 (Uma juventude na Alemanha, Muchnik, 1987)
  • Briefe aus dem Gefängnis, 1935

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Feliu Formosa, Cel•la 44 : Cinc anys en la vida i l'obra d'Ernst Toller, Palma de Mallorca : Daccalus, [1970].
  • Tankred Dorst, Toller, Hondarribia : Argitaletxe Hiru, 2002, trad. Marta Fernández Bueno.

Referências

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Ernst Toller».
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.