Escala de ciclones tropicais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O furacão Isabel, um furacão de categoria 5 na escala de furacões de Saffir-Simpson

Escala de ciclones tropicais é um sistema de classificação de ciclones tropicais de acordo com seus ventos máximos sustentados. Os ciclones tropicais são classificados de acordo com os seus ventos máximos sustentados usando várias escalas. Estas escalas são providas por vários corpos meteorológicos, tais como o Centro Nacional de Furacões, a Organização Meteorológica Mundial e o Bureau of Meteorology. O Centro Nacional de Furacões (NHC) utiliza a Escala de furacões de Saffir-Simpson para ciclones tropicais (furacões) que se formam no Oceano Atlântico norte ou no Oceano Pacífico nordeste. A Austrália utiliza uma escala diferente para a sua região. Muitas outras bacia de formação de ciclone tropical têm diferentes nomes para os ciclones tropicais, como furacão, tufão, ciclone, entre outras. O uso de definições diferentes quanto ao vento máximo sustentado cria uma confusão adicional na definição das categorias de ciclones tropicais mundialmente.

O Centro Nacional de Furacões utiliza seu próprio sistema de categorização de ciclones tropicais quanto aos seus ventos máximos sustentados, a escala de furacões de Saffir-Simpson. Esta escala é utilizada para ciclones tropicais que se formam no Oceano Atlântico norte e no Oceano Pacífico nordeste. Este sistema de categorização utiliza cinco níveis de intensidade, que vai de categoria 1 à categoria 5. O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos consideram um ciclone tropical com intensidade equivalente a um furacão de categoria 3 ou maior como um grande furacão. Este sistema também é utilizado pelo Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC), responsável pela bacia do Oceano Pacífico centro-norte, e pelo Joint Typhoon Warning Center (JTWC), de forma não oficial. Ao contrário da maioria das escalas de categorização de ciclones tropicais, que consideram os ventos máximos sustentados em 10 minutos, a escala de furacões de Saffir-Simpson considera os ventos máximos sustentados em 1 minuto a uma altura de 10 m acima da superfície do mar.[1] [2]

O Bureau of Meteorology utiliza um sistema semelhante à escala de furacões de Saffir-Simpson, com cinco níveis de intensidade. No entanto, a escala australiana, chamada de escala de severidade de ciclones tropicais, considera as rajadas mais fortes de vento de um ciclone, que são de 30 a 40% mais fortes do que os ventos máximos sustentados em 10 minutos.[3] Um furacão de categoria 1 na escala de furacões de Saffir-Simpson equivale a um ciclone tropical de categoria 2 na escala australiana.[4]

A Agência Meteorológica do Japão utiliza outra escala para categorizar um ciclone tropical. Esta escala apresenta quatro níveis de intensidade: Depressão tropical, Tempestade tropical, Tempestade tropical severa e tufão. No entanto, outros países da região têm suas próprias escalas.

A Météo-France, responsável pela bacia do Oceano Índico sudoeste, utiliza sua própria escala de categorização de ciclones tropicais. Esta escala apresenta sete níveis de intensidade: Perturbação tropical, Depressão tropical, Tempestade tropical moderada, Tempestade tropical intensa, Ciclone tropical, Ciclone tropical intenso e Ciclone tropical muito Intenso.

A escala de categorização de ciclones tropicais do Departamento Meteorológico da Índia apresenta seis níveis de intensidade: Depressão, Depressão profunda, Tempestade ciclônica, Tempestade ciclônica intensa, Tempestade ciclônica muito intensa e Super tempestade ciclônica.

A Tabela abaixo apresenta as comparações dentre as diferentes escalas de categorização usadas mundialmente:

Classificações de ciclones tropicais (a velocidade do vento é considerada como em 10 min. sustentados)
Escala de Beaufort Ventos sustentados
em 10 minutos (nós)
Oceano
Índico N
DMI
Oceano
Índico SO
M-F
Austrália
BOM
Pacífico SO
SMF
Pacífico NO
AMJ
Pacífico NO
JTWC
Pacífico NE e
Atlântico N
NHC e CPHC
0–6 <28 Depressão Perturbação trop. Baixa tropical Depressão tropical Depressão tropical Depressão tropical Depressão tropical
7 28–29 Depressão profunda Depressão
30–33 Tempestade tropical Tempestade tropical
8–9 34–47 Tempestade ciclônica Tempestade tropical moderada Ciclone tropical (1) Ciclone tropical Tempestade tropical
10 48–55 Tempestade
ciclônica intensa
Tempestade
tropical intensa
Ciclone tropical (2) Tempestade
tropical intensa
11 56–63 Tufão Furacão (1)
12 64–72 Tempestade ciclônica
muito intensa
Ciclone tropical Ciclone tropical intenso (3) Tufão
73–85 Furacão (2)
86–89 Ciclone tropical inteso (4) Grande furacão (3)
90–99 Ciclone tropical intenso
100–106 Grande furacão (4)
107–114 Ciclone tropical intenso (5)
115–119 Ciclone tropical
muito intenso
Super Tufão
>120 Super tempestade
ciclônica
Grande furacão (5)

Referências

  1. Tropical Cyclone Weather Services Program (1º de Junho de 2006). Tropical cyclone definitions (PDF) (em inglês) Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos. Visitado em 30-11-2006.
  2. Federal Emergency Management Agency (2004). Hurricane Glossary of Terms (em inglês). Visitado em 24-03-2006.
  3. Marine Weather Services (17 de Novembro de 2006). Marine Forecasts and Warnings (em inglês) Bureau of Meteorology. Visitado em 04-12-2006.
  4. Padgett, Gary. Global Tropical Cyclone Terminology (em inglês) Australia Severe Weather. Visitado em 01-03-2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre ciclones tropicais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.