Eugen Weidmann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Setembro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Eugen Weidmann (5 de fevereiro de 1908, Frankfurt (Alemanha) — 17 de Junho de 1939, Versalhes França), foi um criminoso alemão, célebre por ter sido a última pessoa a ser guilhotinada em público na França.

Ele foi julgado culpado do assassinato de seis pessoas, todas mortas com um tiro na nuca:

Ele foi guilhotinado em Versalhes, na via pública, no exterior da prisão Saint-Pierre, como era comum até então. Tendo sido julgado «histérico» o comportamento dos espectadores durante a execução, o presidente da República Albert Lebrun convenceu o governo da época a proceder às execuções no interior da prisão onde se encontra o condenado à morte, longe das possíveis «emoções populares».

A utilização da guilhotina para execuções «privadas» continuou, mas cada vez mais raras, até o 10 de Setembro de 1977, quando foi executado Hamida Djandoubi. Finalmente, a pena de morte foi abolida na França em 30 de Setembro de 1981. através de decreto do presidente François Mitterrand.