Fanni Kaplan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Fanny Yefimovna Kaplan (1883-1918) foi uma revolucionária russa que tentou assassinar Vladimir Lenin em 1918.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Há certa confusão quanto ao nome de nascimento de Kaplan. Vera Figner, em suas memórias dá o nome como Feiga Khaimovna Roytblat-Kaplan (Фейга Хаимовна Ройтблат-Каплан). Outras fontes dão o seu nome de família como Ройтман (transliterado do russo como Roytman. Ela também é chamada às vezes "Dora".[2]

Kaplan nasceu em uma judia família, como um dos sete filhos. Ela se tornou uma revolucionária política em uma idade precoce, unindo-se aos (Russo) socialistas revolucionários. Em 1906, quando ela tinha 16 anos, Kaplan foi presa em Kiev por seu envolvimento em um atentado terrorista, e foi enviada para uma katorga (campo de prisioneiros de trabalhos forçados). Ela foi libertada em 3 de março de 1917 após a Revolução de Fevereiro que derrubou o governo imperial.

Kaplan se desiludiu com Lenin, por causa do conflito entre os socialistas revolucionários e o partido bolcheviques. Os bolcheviques tinham um forte apoio nos sovietes, no entanto nas eleições para a Assembléia Constituinte em novembro 1917 os bolcheviques não conseguiram ganhar a maioria e um membro do partido socialista revolucionário foi eleito presidente em janeiro de 1918, provocando a dissolução ilegal da Assembléia Constituinte pelos bolcheviques. Em agosto 1918 os conflitos entre os bolcheviques e os seus adversários políticos levaram à proibição da maioria dos outros partidos influentes – incluindo o do socialistas revolucionários de esquerda, que tinha sido o principal parceiro de coligação dos bolcheviques durante algum tempo, mas que tinha organizado uma revolta em julho por causa de sua oposição ao Tratado de Brest-Litovski. Kaplan decidiu assassinar Lenin porque ela o considerava "um traidor da revolução".[3]

Em 1918, ela abordou Lenin na rua e discutiu com ele sobre a dissolução da Assembléia Constituinte russa e atirou nele duas vezes.[4] [5] Uma bala atravessou o casaco de Lenin, e outras duas o atingiram: uma perfurando parte de seu pulmão esquerdo parando perto de sua clavícula direita, e outra atingiu seu ombro esquerdo.[2]

Nos próximos meses, cerca de 800 SRs e outros opositores políticos bolcheviques foram executados sem julgamento.

Referências

  1. Kowalski, Ludwik. 'Hell on Earth – Brutality and Violence Under the Stalinist Regime' (em inglês). [S.l.]: American Academy of Arts and Sciences, 2008. Capítulo Glossary. ISBN 978-1-60047232-9.
  2. a b "How Did They Die?" de Norman and Betty Donaldson, p. 221.
  3. 1918: Fanya Kaplan, Lenin’s would-be assassin (3 de Setembro de 2009).
  4. Room, Adrian. Dictionary of Pseudonyms: 13,000 Assumed Names and Their Origin. Jefferson : McFarland & Co., Publishers, 2010. p.255
  5. Moore, Edwin. 100 Brief Encounters: When Geronimo Met General Miles and Other Strange Meetings. Oxted, Surrey, England : Collca, 2011. p.1918

External links[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.