Frei Inocêncio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Frei Inocêncio
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 30 de dezembro de 1962
Gentílico frei inocenciano
Lema "O Novo Tempo Começou."
Prefeito(a) Carlos Vinicio de Carvalho Soares
(2009–2012)
Localização
Localização de Frei Inocêncio
Localização de Frei Inocêncio em Minas Gerais
Frei Inocêncio está localizado em: Brasil
Frei Inocêncio
Localização de Frei Inocêncio no Brasil
18° 32' 42" S 41° 55' 19" O18° 32' 42" S 41° 55' 19" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Vale do Rio Doce IBGE/2008 [1]
Microrregião Governador Valadares IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Jampruca, Itambacuri,Campanário, Marilac, Mathias Lobato e Governador Valadares
Distância até a capital 356 km
Características geográficas
Área 468,196 km² [2]
População 8 924 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 19,06 hab./km²
Altitude 193 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,703 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 50 689,968 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 5 482,37 IBGE/2008[5]
Página oficial

Frei Inocêncio é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2004 era de 8.654 habitantes. Frei Inocêncio é internacionalmente conhecido por seu famoso "Festival da Carne de Sol" e por ser um lugar de mulheres bonitas e homens trabalhadores[carece de fontes?]. No município já foram construídas três pracinhas, nas administraçőes de três distintos prefeitos, porém hoje só existe uma.

Bairros[editar | editar código-fonte]

Carinhosamente apelidado "Frei" por seus moradores, situa-se à margem do rio Suassui, e é beneficiado com a Rodovia BR 116 facilitando a sua integração com Governador Valadares, a apenas 36 quilômetros de distância. Uma linha de ônibus circular liga as duas cidades, assim como vários táxis (em sua maioria informais).

A cidade é divida em 8 bairros: Centro, Baixada, Gurita, Gameleira, Pantanal 1, Pantanal 2, Bairro das Nações e Planalto.

Centro[editar | editar código-fonte]

O centro econômico da cidade, propriamente dito, onde se concentra a maioria do comércio local, dos poderes públicos e a Av. Dr. João de Souza Lima, paralela a BR-116, que é conhecida por referência de endereços para aqueles que pretendem aplicar algum tipo de golpe por telefone.

Já foi palco do "Festival da Carne de Sol" em outras épocas, onde havia festas, brinquedos e jogos esportivos.

Atualmente Frei Inocêncio possui mais opção de lazer na Praça Gualter Ferreira Dias, onde se tem trailers, temos também a Sorveteria Tia Teni – (Zero Grau), Fino Açai e Pepitas Bar.

Baixada[editar | editar código-fonte]

A Baixada fica depois do lado esquerda da rodovia BR-116; é o bairro que dá acesso ao Rio Suassui e ao distrito de Bom Jesus do Prata. É o palco de umas das festas mais tradicionais da cidade: "A feira da amizade", onde os moradores locais, colocam suas barraquinhas. Se você gosta de quadrilha, comida típica,shows de bandas locais e região, sem dúvidas aqui é o seu lugar.

Na Baixada também se encontra o Campo do Vila Nova, que é um local onde disputam vários torneios, com os times das comunidades rurais e outros.

Guarita[editar | editar código-fonte]

A Guarita é um quieto bairro de Frei Inocêncio e o ponto extremo da cidade e juntamente com o centro constitui-se nos dois melhores bairros para se morar na cidade além é claro de nos separar de Mathias Lobato, ou a popular Vila, como os locais chamam.

Especula-se que a richa entre frei inocencianos e mathias lobatenses se dá pelo fato de os segundos frequentarem a cidade dos primeiros e pegarem as mulheres dos mesmos, mas não há nenhuma prova concreta disso.

Pantanal 1[editar | editar código-fonte]

Também conhecido como caminho do Safira, não se encontra nada lá, muito menos safiras. É um bairro um pouco antigo, com várias casas e vários moradores. Alcançou recente notoriedade na mídia local pela liberação de um novo loteamento por um prefeito de um mandato anterior, que optou por fazê-lo por ser ali o local mais propicio para construção de moradias.

É cotado como futuro melhor bairro da cidade.

Pantanal 2[editar | editar código-fonte]

Considerado por muitos como uma extensão do Pantanal 1, também conta com a Igrejas, hospital, bares,etc..., Escolinha do Picapau. No Pantanal 2 se encontra o Campo do Pantanal (hoje destruido pela atual administração).

Bairro das Nações[editar | editar código-fonte]

.

Já foi local de um aterro sanitário e por isso reduto de doenças. Impressionante como o CREA-MG e os poderes de saúde público permitiram tal projeto. Em épocas de chuva, graças a má topologia, os moradores sequer conseguem dormir pois a todo momento o Rio Suaçui ameaça subir e inundar todas as suas casas.

Bairro Gameleira[editar | editar código-fonte]

O mais novo dos bairros, doado pelo ex-prefeito Oliver Madeira Bicalho, ainda em construção pelos beneficiados, sofrem por não receber nenhum apoio do atual prefeito, Carlos Vinícios impedindo o desenvolvimento do bairro.

Mas os moradores continuam lutando e construindo seus lares. Enfim está chegando água e luz no bairro, graças a luta de oposicionistas da administração atual, tendo ministério público intimado o prefeito a assinar um termo de ajustamento de conduta(TAC), sob pena de 1.000 reais dia se desobedecesse a ordem judicial.

Bairro Planalto[editar | editar código-fonte]

Recentemente loteado, o bairro ainda está em condições precárias para seus moradores, pois em seus pontos mais elevados ainda não há rede de esgoto. Pouco habitado, o bairro é praticamente ignorado pela atual administração, o que impede o seu desenvolvimento já que tem poucas ruas asfaltadas.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]