George Antheil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
George Antheil
Informação geral
Nome completo Georg Carl Johann Antheil
Nascimento 8 de julho de 1900
Origem Trenton
País  Estados Unidos
Data de morte 12 de fevereiro de 1959 (58 anos)
Gênero(s) Modernismo, futurismo
Instrumento(s) piano
Outras ocupações compositor, músico, escritor e inventor

Georg Carl Johann Antheil (Trenton, 8 de julho de 1900Nova Iorque, 12 de fevereiro de 1959) foi um compositor, pianista, escritor e inventor dos Estados Unidos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

George cresceu numa família de imigrantes luteranos de Ludwigswinkel, Alemanha. Passou a maior parte de sua vida num ambiente pacífico ao norte de Trenton. A partir de 1916, passou a estudar piano com Constantine von Sternberg, e então com Ernest Bloch. Com este, recebeu instrução formal em composição. Em 1922, Antheil foi convidado por Martin H. Hanson a substituir Leo Ornstein, machucado, em uma turnê europeia tocando Chopin. Na mesma época, Sternberg apresentou Antheil a seu patrono pela próximas duas décadas: Mary Louise Curtis Bok, fundador do Instituto Curtis de Música.

Em 1923, casou-se com Böski Markus e se mudou para Paris. Por lá, encontrou diversos colegas influentes, incluindo Ígor Stravinski, James Joyce e Ernest Hemingway.

De 1924, vem sua obra mais conhecida, o balé Ballet Mécanique. Estreando em Paris, em 1926, a composição foi originalmente concebida como um acompanhamento musical para o filme homônimo de Dudley Murphy e Fernand Léger.

O compositor continuou em atividade até sofrer um ataque cardíaco fulminante, morrendo em Nova Iorque.

A invenção[editar | editar código-fonte]

Antheil e Hedy Lamarr (Hedwig Eva Maria Kiesler), famosa atriz de Hollywood nos anos de 1930 e 1940, inventaram o sistema que serviu de base para os celulares. Durante a Segunda Guerra Mundial, criaram um sofisticado aparelho de interferência em rádio para despistar radares nazistas e o patentearam em 1940.

A ideia surgiu em frente a um piano. Eles brincavam de dueto, ela repetindo em outra escala as notas que ele tocava, experimentando o controle dos instrumentos, inclusive com a música para o Ballet Mecanique, originalmente escrita para o filme abstrato de Fernand Léger, em 1924. Ou seja, duas pessoas podem conversar entre si mudando frequentemente o canal de comunicação. Basta que façam isso simultaneamente.

Juntos, submeteram a invenção ao Departamento de Guerra norte-americano, que o recusou, em junho de 1941. Em agosto de 1942, foi patenteado por Antheil e "Hedy Kiesler Markey". A versão inicial consistia na troca de 88 frequências e era feito para despistar radares, mas a idéia pareceu difícil de realizar na época.

A criação do aparelho de frequência de Lamarr e Antheil não foi concretizada até 1962, quando passou a ser utilizada por tropas militares dos EUA em Cuba. Posteriormente, serviu de base para a moderna tecnologia de comunicação, tal como COFDM, usada em conexões de Wi-Fi, e CDMA, para transmissão de telefonia celular.