Giovanni Baglione

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amor Sagrado versus Amor Profano (1602-1603). Galleria Nazionale d'arte Anticadi Palazzo Barberini, Roma.

Giovanni Baglione (Roma, 1566 — Roma, 30 de dezembro de 1643) foi um pintor do Barroco e historiador de arte italiano.

Aluno de Francesco Morelli, trabalhou principalmente em Roma, inicialmente em um estilo do final do Maneirismo. Tinha também o nome de Il Sordo del Barozzo. Publicou dois livros: As Nove Igrejas de Roma (1639) e As Vidas dos Pintores, Escultores, Arquitetos e Gravadores (entre 1572-1642).

A obra Amor Sagrado versus Amor Profano, uma resposta a obra de Caravaggio, O Amor Vitorioso, mostra um anjo (o amor sagrado) interrompendo um encontro entre o Cupido (o amor profano) e o Demônio (retratado com o rosto de Caravaggio).

Trabalhou em várias obras em Roma durante os pontificados dos Papas Clemente VIII e Paulo V. Seus principais afrescos estão na Basílica de Santa Maria Maior em Roma, na Cappella Borghese. Pintou uma Última Ceia na San Nicola in Carcere. O Papa Paulo V declarou Baglione como Cavaleiro da Ordem de Cristo pela execução da obra São Pedro ressuscitando Tabata dos Mortos (1607), na Basílica de São Pedro. Morreu em Roma.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Giovanni Baglione
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.