Inhuma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Inhuma
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 13 de Junho
Fundação 13 de Junho de 1954
Gentílico inhumense
Prefeito(a) Moacir Gonçalves de Carvalho (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Inhuma
Localização de Inhuma no Piauí
Inhuma está localizado em: Brasil
Inhuma
Localização de Inhuma no Brasil
06° 40' 04" S 41° 42' 28" O06° 40' 04" S 41° 42' 28" O
Unidade federativa  Piauí
Mesorregião Centro-Norte Piauiense IBGE/2008 [1]
Microrregião Valença do Piauí IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes ipiranga e valença
Distância até a capital 254 km
Características geográficas
Área 1 042,815 km² [2]
População 14 868 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 14,26 hab./km²
Altitude 387 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,621 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 47 399,845 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 077,31 IBGE/2008[5]
Página oficial

História[editar | editar código-fonte]

O início do povoamento do município de Inhuma é datado a partir do século 20. Sabe-se que em 1902, alguns comerciantes, influenciados pela exploração da maniçoba, que naquele tempo oferecia boa cotação, lá chegaram, oriundos de várias regiões do país, principalmente dos estados do Ceará e Pernambuco.

O grande comércio era a troca de dinheiro por maniçoba e gêneros alimentícios. Este sistema de comércio perdurou na região até 1908, quando houve a queda do produto e o enfraquecimento monetário do grupo explorador, razão pela qual levou o grupo formado por Antônio Ferreira de Araújo (alagoano), Claro Pereira dos Santos e José Pereira do Nascimento se deslocarem para um lugar chamado Vigário, criando ali uma pequena feira que perdurou por pouco tempo, adotando o mesmo sistema de negócios da balança comercial. Logo em seguida, resolveram mudar para a margem direita do brejo, onde hoje fica a Praça João de Deus e deram o nome de Inhuma, em virtude do grande número de pássaros chamados "Inhaúma" existentes na região. As terras onde hoje se localiza a sede do município pertenciam ao Sr. Pedro Amador José Ferreira.

A princípio, o comércio funcionou debaixo de árvores, depois debaixo de uma latada, passando para um rústico mercado, com apenas um quarto no centro e rodeado de corredores com baixos peitoris, junto a um tamarindeiro cravado de argolas que servia de presídio para os rebeldes da época, contribuindo para manter a segurança que ficava a cargo de civis da confiança dos chefes políticos indicados para exercer a função de soldados.

Em 1915, Aureliano José Nogueira construiu sua residência e seu comércio que contribuiu bastante para o desenvolvimento da região. Em 1917, quando o lugar tomou aspecto de povoado, o Sr. Antônio de Deus Carvalho, político influente, mudou-se também para Inhuma, instalando um comércio de tecidos.

Esse fato levou vários comerciantes a residirem no mesmo local, dentre eles: Acelino José Almeida, João de Deus Filho, José Isidório Sobrinho e Eliseu Barroso. No período de 1918 a 1924 o Monsenhor Joaquim Lopes de Oliveira edificou uma capela sob a invocação de São José, o padroeiro da cidade. Em 1933, o então Prefeito de Valença do Piauí, o Sr. Eustáquio Portela Nunes, construiu um mercado público e criou uma agência para arrecadação de impostos, contribuindo bastante para o avanço do povoado. Em 1919, com o esforço do Deputado Federal Raimundo da Arêa Leão, foi criado uma agência postal telefônica.

O município de Inhuma foi criado pela Lei Estadual n° 985, de 17 de maio de 1954, desmembrando-se de Valença do Piauí, e instalado no dia 13 de junho do mesmo ano. Em divisão territorial datada de 1 de julho de 1960, o município é constituído do distrito sede, assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005. Naquela época, o município tinha aproximadamente 6.000 habitantes, denominados inhumenses.

Observe a seguir, os nomes dos Prefeitos eleitos entre 1955 a 2016:

  • Antônio de Deus Carvalho (1955-1958);
  • Manoel Ferreira Barbosa de Macedo (1959-1962/1967-1970);
  • Benoit de Deus Nogueira (1963-1966);
  • Joaquim Borges de Oliveira (1971-1972);
  • João Antônio de Sousa (1973-1976);
  • João Ferreira Gonçalves (1977-1982/1989-1992);
  • Alilo de Sousa Leal (1983-1988/1993-1996/2001-2004/2005-2008);
  • Denise de Sousa Leal Martins Moura (1997-2000);
  • Moacir Gonçalves de Carvalho (2009-2012/2013-2016).

Hino[editar | editar código-fonte]

Letra: Socorro Macêdo de Sousa.
Música: Aurélio de Melo.

Surgiu uma ave com seu voo majestoso Um lindo pássaro chamado Inhaúma Fez dessa terra um lugar especial Batizado com o nome de Inhuma O nosso povo tão gentil e hospitaleiro Gente que luta incansável cada dia Que crê em Deus e que supera desafios E vê a vida com amor e alegria.

Inhuma, Inhuma cravada está no coração do Piauí
Inhuma, Inhuma algo me diz que o paraíso é aqui.

Admirando nossos brejos e lagoas Montes e serras de tamanha beleza São paisagens testemunhas da história Revelando nosso culto à natureza. O mel de cana, a garapa e a rapadura Caju e manga, mandioca e buriti Tantas riquezas por Deus abençoadas Isso é Nordeste, é Inhuma, é Piauí.

Inhuma, Inhuma cravada está no coração do Piauí
Inhuma, Inhuma algo me diz que o paraíso é aqui.

O Inhumense mesmo longe não esquece E sonha um dia retornar a esse torrão Onde ficaram raízes tão profundas Tantos suspiros de saudade o coração Terra tão bela com seu povo tão amada Cidade assim na verdade só tem uma Berço natal é nossa terra adorada O nosso orgulho é ser filho de Inhuma.

Inhuma, Inhuma cravada está no coração do Piauí
Inhuma, Inhuma algo me diz que o paraíso é aqui.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Manifestações Folclóricas

As principais manifestações folclóricas ocorridas durante o ano são:

  • Folia de Reis;
  • Roda de São Gonçalo;
  • Roda de São Benedito;
  • Carnaval;
  • Aniversário da Cidade;
  • Festival de Quadrilhas;
  • Capoeira;
  • Vaquejada.

A principal lenda existente é a da Serra do Vigário.

Manifestações Religiosas

Existem várias religiões no município, tais como: Católica Apostólica Romana, Primeira Igreja Batista, Igreja Maranata, Assembleia de Deus, Testemunhas de Jeová, Igreja Universal, Igreja Adventista do Sétimo Dia, dentre outras, sendo que a religião que mais se destaca é o Catolicismo. As principais manifestações religiosas durante o ano são:

Católicas:

  • Festival do Senhor;
  • Festejos de São José;
  • Semana Santa;
  • Cerco de Jericó;
  • Tríduo de Santa Paula Frassinetti;
  • Encontros de EJC e ECC;
  • Festejo de Santa Luzia;
  • Festejos das Comunidades Rurais.

Evangélicas:

  • Shows Gospel;
  • Grandes Cultos.

Centro Cultural Francelino de Souza Araújo

O Centro Cultural Francelino Souza Araújo fica situado na Rua Acelino Almeida, nº 120, próximo à Prefeitura de Inhuma. Foi fundado no dia 26 de novembro de 1999 em um dos casarões mais antigos da cidade que data da década de 30. Seu nome é uma homenagem a um dos principais escritores da terra.

A instituição tem por objetivo principal gerir e fomentar a cultura do município. Atualmente abriga a Biblioteca Municipal Fonte de Cultura, o Museu Histórico de Inhuma e a Videoteca Municipal Daniel Ferreira, além do Departamento de Cultura que desenvolve várias atividades culturais e socioeducativas, dentre elas os eventos da cidade como o Carnaval e o Aniversário da Cidade.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Inhuma tem uma extensão territorial de 1.027,42 km². Situa-se na mesorregião do centro-norte piauiense e na microrregião de Valença do Piauí, com as seguintes coordenadas geográficas: 6º40'44'' de latitude e 41º44'27'' de longitude. Pertence ao território de desenvolvimento do Vale do Sambito. Sua latitude é de 387 metros em nível do mar, está no 2º Fuso Horário Brasileiro e a distância em relação a capital (Teresina) é de 240 km.

Os Limites geográficos são:

  • ao Norte - Valença do Piauí e Lagoa do Sítio;
  • ao Sul - Ipiranga do Piauí;
  • ao Leste - São José do Piauí, São João da Canabrava e Santana do Piauí;
  • a Oeste - com Novo Oriente do Piauí e Oeiras.

De acordo com o Censo do IBGE 2010, sua população é de 14.845 habitantes, denominados inhumenses, com densidade demográfica de 15,18 habitantes/km² e população estimada para 2014 em 15.032 habitantes. A zona urbana é cortada pela BR-316 e a PI-227.

Inhuma é formada por 69 distritos, que são localidades formadas próximas a zona urbana. São assistidos pelo município, os seguintes povoados: Banguês; Boa Esperança; Serra; Caatingueiro; Curral Velho; Salina de Baixo; Tabocas; Amargoso; Cupins; Salina de Cima; Caldeirão da Salina; Buriti Comprido; Malhada; Cacimbão; Turiba; Recanto do Prato; Caatinga Alta; Cocho-Velho; Baixas (I) e (II); Bandeira; Boqueirão; Maracaí; Atrás de Boa Esperança; Carnaíba; Cabeceira do Forte; Forte; Lagoa do Forte; Pitanguá; São José do Forte; Quebrada; Vereda (I) e (II); Saquinho; Cocos; Atrás da Serra; Várzea Grande; Barro Branco; Cabeceira; Barrocão; Bonito; Vazante; Canto; Fundão; Gameleira; Buritizinho; Alagoinha; Angical; Santo Antônio; Magro; Recanto do Magro; Morro Vermelho; Mimoso; Mangabas; Roque; Barra do Roque; Cortado; Contendas; Lajeiro; Alegrete; Sitio do Meio; Barreiro Branco; Ema; Lagoa do Vigário; Belo Horizonte; Araxás; Jatobar; Banguilis; Caldeirão do Saco; Caatinga do Sítio e Cacimba do Meio.

O clima é quente, com invernos menos secos (Tropical Semiárido Quente). Os meses considerados de maior calor são os de setembro, outubro e novembro com temperatura mínima de 26ºC e máxima de 36ºC. O período chuvoso varia de novembro a abril do ano seguinte.

A vegetação é composta pela caatinga arbórea com manchas de campo de cerrado. Os solos predominantes são latossolos vermelho-amarelos distróficos associados a solos indiscriminados concrecionários tropicais.

O relevo é composto por acidentes geográficos, como a Serra do Vigário e Morro Vermelho. Quanto à hidrografia, ela é formada por cursos d’água, riachos, açudes, lagoas e barragens, como estão exemplificados abaixo:

  • Principais Cursos d’água: Rio São Vicente.
  • Riacho: Fonte Grande e Apertados.
  • Açudes: Baixas, Pitombeira, Barracão, Campestre, Canto, Cabeceiras, Banguelim e Baixas do Maranhão.
  • Lagoas: Forte, Vigário e dos Banguês.
  • Barragem: Caldeirão do Saco.

Economia, Infraestrutura e Turismo[editar | editar código-fonte]

No Setor Primário, a agricultura de subsistência é a que mais se destaca. Os produtos cultivados que mais se destacam são o caju, o buriti, o feijão, o milho, a mandioca, a cana-de-açúcar, a banana, as hortaliças e o arroz, além do plantio de culturas de ciclo curto, como a melancia, a laranja e a manga. Na pecuária, os solos são próprios para o plantio de pastagens, merecendo destaque a criação de bovinos, suínos, caprinos e aves (corte e doméstica).

No Setor Secundário, o número de unidades de agroindústrias de beneficiamento de mandioca é cerca de 200 estabelecimentos na sua maioria informais, denominadas de “aviamentos”. Outro segmento importante é o da cana-de-açúcar empregado na fabricação da rapadura. Atualmente, o setor que mais cresce é o Setor Terciário (Comércio e Serviço). O comércio varejista é bastante dinâmico e diversificado, atendendo à demanda das localidades e municípios circunvizinhos, além de uma feira livre realizada às segundas-feiras, bem diversificada.

O fornecimento de energia elétrica é feito pela empresa Eletrobrás – Distribuição Piauí. Em 2012, o consumo total de energia elétrica registrado foi de 6.669.399 kw/h, com um número de total de consumidores de 5.553 consumidores.O abastecimento de água é feita pela empresa Águas e Esgotos do Piauí S/A – AGESPISA. 

Quanto ao Sistema Rodoviário, Inhuma é privilegiada, pois se encontra próxima a BR-316 e a PI-227, o que facilita o acesso a vários municípios e a outros estados. As empresas que circulam pelo Terminal Rodoviário são a Líder, a Itapemirim, a Guanabara e a TransPiauí, além dos micro-ônibus e vãs que fazem linha para o município de Valença do Piauí e Picos.

Os serviços de telefonia fixa é prestado pela empresa Oi e os de telefonia móvel são prestados pelas empresas Tim e Claro.

Quanto aos serviços de TV Aberta, os canais transmitidos normalmente são da Rede Clube (Afiliada Rede Globo), Tv Cidade Verde (Afiliada SBT), Tv Antena 10 (Afiliada Rede Record), Rede Meio Norte, Tv Assembleia (Afiliada Tv Câmara) e, futuramente, da Tv Perspectiva (Afiliada Rede Bandeirantes).

Os serviços de correios e telégrafos são prestados pela Empresa Correios. O município ainda conta com uma Agência do Banco do Brasil S/A, criada em dezembro de 1982 e abrange os municípios de Inhuma e Ipiranga do Piauí, e uma Agência do Banco Bradesco para os serviços bancários, além de cartórios, sindicatos e associações.

O potencial Turístico ainda é pouco explorado. Os pontos turísticos estão voltados para as pinturas rupestres, formações rochosas, lagoas, riachos, casarões antigos, igrejas, museus e espaços de lazer.

Literatura e Arte[editar | editar código-fonte]

Segundo a Professora Doutora Samira Yousseff Campedelli, “a arte é definida como uma atividade de criação humana ligada a manifestações de ordem estética, como beleza, equilíbrio e harmonia. Entre outros aspectos, as obras de arte são elaboradas a partir de emoções, experiências, ideias, sentimentos, conhecimentos e contexto de vida dos artistas. Desse modo, uma obra de arte não é uma cópia fiel da realidade; é sim um reinvenção a partir da imaginação do artista que se utiliza dos recursos disponíveis e possíveis para compô-la.” O município é berço de vários artistas e escritores que retratão a cultura e a religião do seu povo. No artesanato, podemos destacar a figura de José Airton Rufino. Aqui daremos ênfase a dois importantes escritores da terra: Francelino de Souza Araújo e Anita Lima de Oliveira.

Francelino de Souza Araújo

De pseudônimo jornalístico e literário F. S. Piauí, Francelino de Souza Araújo nasceu no dia 8 de julho de 1926 no Povoado Buriti Comprido, município de Inhuma–PI, filho de José Isidório Araújo Sobrinho e Benedita Maria de Souza. Acadêmico, economista, escritor, jornalista e representante comercial, residiu em Campinas–SP desde 6 de fevereiro de 1951 destacando-se no cenário intelectual, sabendo honrar dignamente o nome do Estado natal.

Fez muitos trabalhos filantrópicos e foi membro da Academia Campinense de Letras. Casou-se com Evangelina de Oliveira Souza Araújo da cidade de Noroeste Minas Gerais. Tiveram uma filha chamada Daisy de Souza Araújo, hoje formada em medicina, especializada em ortopedia e mãe de Daniel Souza Araújo.

Eis algumas opiniões a seu respeito:

“...um autodidata descomplexado e descontraído, vacinado contra o fetiche dos títulos... o que lhe vale como fundo de cultura geral são as centenas e centenas de horas de estudos por conta própria, sentindo-se absolutamente à vontade para estudar o que bem deseja, sem preconceito algum sobre princípios, dogmas ou sistemas”.

CÉLIA SIQUEIRA FARJALLAT, in “Correio Popular”. 21/05/1972

“‘Cérebro sempre iluminado pelos clarões de um nobre ideal, não se desalenta em meio à caminhada’... risonho nortista que veio para dotar e enriquecer ainda mais, com sua notável obra, o já valioso acervo cultural de Campinas”.

F. SOARES, in “Correio Popular”. 19/05/1973

Jornalista profissional, escreveu e publicou mais de 100 artigos e comentários na Imprensa de Campinas. Fazendo do mundo a sua escola, realizou cerca de uma dúzia de cursos, todos de aplicações imediatas na vida diária.

Anita Lima de Oliveira

Anita Lima de Oliveira nasceu no dia 30 de abril de 1936 no povoado Cortado, município de Inhuma – PI, filha de João Raimundo de Lima e Luiza Pereira Lima. Admiradora da poesia, desde criança tentava escrever pequenas rimas, pensamentos, frases, emboladas e etc. Começou a escrever seu primeiro caderno “Poesias e Textos” em 1944. Escreveu histórias populares, piadas e cordéis. Foi artesã, catequista aos 13 anos, ministra da eucaristia, parteira leiga e professora do MOBRAL, o que lhe deu o título de “Mãe Preta”.

Foi membro do Grupo Poético de Inhuma, onde conquistou o título de “Mãe Rainha”, e foi eleita a Escritora Revelação de 2003. No dia 13 de junho de 2004, recebeu o título Honorífico de Gente Eficiente. Deixou várias produções na forma de Literatura de Cordel e Livros Poéticos.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Piauí é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.