Jean-Jacques Sempé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jean-Jacques Sempé (2011).

Jean-Jacques Sempé (Bordeaux, 17 de Agosto de 1932) é um muito conhecido ilustrador francês que se distinguiu principalmente pela ilustração da série o Le Petit Nicolas (no Brasil, O Pequeno Nicolas; em Portugal, O Pequeno Nicolau).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Desde cedo foi um aluno mal comportado, expulso por indisciplina do Colégio Moderno de Bordéus, lança-se na vida activa, foi um homem de vários ofícios tais como: empregado de um negociante de vinhos, monitor de colónias de férias (que mais tarde viria a influenciar nos seus desenhos)e paquete de escritório.

Aos 18 anos alista-se voluntariamente e vai para Paris e passa a pente fino a redacção, e em 1951 (aos 19 anos) vende o seu primeiro desenho ao “Sud-Ouest”. O encontro de Goscinny coincide com o início de uma grande carreira de «ilustrador de imprensa». Com o menino Nicolau cria um imenso leque de ilustrações de miúdos da escola primária com as suas características zaragatas. Paralelamente às aventuras do jovem aluno da escola primária, estreia-se no Paris Match, em 1956, e colabora com numerosas revistas. O seu primeiro álbum de desenho aparece em 1962: “Rien n’est simple” vão seguir-lhe muitos mais álbuns que traduzem a sua visão irónica dos nossos defeitos e dos defeitos do mundo.

Criador de Marcelino Calhau de Raoul Taburin, ou ainda de Monsieur Lambert, o seu talento de observador conjugado com um formidável sentido de humor fazem dele, desde há quarenta anos, um dos maiores desenhadores humorísticos franceses. Para além dos seus próprios álbuns ilustrou Catherine Certitude de Patrick Modiano e ainda “A história do senhor Sommer” de Patrick Süskind Sempé é um dos raros desenhadores franceses a ilustrar as capas do NewYorker e actualmente faz sorrir todas as semanas com as suas ilustrações no Paris Match, e no Le Figaro Littéraire.