René Goscinny

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
René Goscinny
René Goscinny
René Goscinny.jpg

Nascimento 14 de Agosto de 1926
Local Paris, França
Morte 5 de Novembro de 1977 (51 anos)
Local Paris, França
Nacionalidade Francesa
Área(s) de atuação escritor e desenhista
Trabalhos de destaque Asterix
Prémios Ordem das Artes e Letras;

René Goscinny (Paris, 14 de Agosto de 1926 — Paris, 5 de Novembro de 1977) foi um argumentista francês de banda desenhada, criador dos personagens Lucky Luke, Iznogoud, o califa Harun Al Mofad (Harun Al Sindar), João Pistolão, Humpá-Pá e Asterix o gaulês, entre outros[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Goscinny, nasceu em Paris, França, a 14 de Agosto de 1926, filho de pai polaco e de mãe ucraniana. Mudou com os seus pais para a Argentina em 1928, com dois anos de idade e passou a sua infância em Buenos Aires. O seu pai era professor de Matemática que Goscinny frequentou, mostrando uma notável aptidão para as artes. Muitos de seus primeiros trabalhos foram publicados nas revistas da escola, Notre Voix e Quartier Latin. Um mês após a sua graduação em Belas Artes, em 1943, o seu pai faleceu inesperadamente, o que levou a que os problemas financeiros o levassem a aceitar um emprego como guarda-livros numa fábrica de pneus[1] .

Mais tarde, depois de se demitir, arranjou um trabalho como ilustrador Júnior numa agência de publicidade, não tendo no entanto, sido muito bem sucedido e, em 1945, quando o seu tio materno lhe fez um convite para se juntar a ele em Nova York, mudou-se para Brooklyn com sua mãe. Trabalhou durante algum tempo como tradutor até que foi convocado para a tropa, no entanto, a Segunda Guerra Mundial já estava no fim e, embora tenha servido na França, não chegou a participar em nenhuma acção em batalha. Regressou para Brooklyn após a sua dispensa, e tentou mais uma vez, encontrar trabalho como artista[1] .

Em 1948 encontrou trabalho como assistente num pequeno estúdio e aqui ele entrou em contacto com os artistas Maurice de Bevere (Morris), com quem colaborou durante 20 anos na banda desenhada do Lucky Luke, e Harvey Kurtzman que o encentivou a optimizar o seu trabalho. Foi através de Harvey Kurtzman que tomou contacto com os novos artistas americanos e fundadores da revista MAD, Willy Elder, Jack Davis e John Severin[1] .

Cerca de um ano depois, o seu trabalho tinha melhorado a tal ponto que atraiu a atenção de Georges Troisfontaines, o director da World Press Agency em Bruxelas, na Bélgica. Goscinny foi para a Bélgica encontrar-se com ele acabando também por conhecer o director de arte da Agência Dupuis, Jean-Michel Charlier, acabando por se estabeleceu em Paris, onde fez alguns trabalhos para a Dupuis vindo mais tarde, em 1951, a assumir a gestão do Gabinete de Imprensa de Paris da World Press Agency. Foi aqui que conheceu Albert Uderzo[1] .

Os seus primeiros trabalhos foram para a Dupuis, mas ao mesmo tempo, trabalhou no desenvolvimento dos seus próprios personagens, nomeadamente Humpá-Pá. Infelizmente, esta história não era do interesse dos criativos a Dupuis, e levou muito tempo para ser publicado. Em 1955, com a parceria de Morris, foi lançado o extremamente bem sucedido "Lucky Luke". Nesse mesmo ano, após um desentendimento, Goscinny abandonou a World Press Agency e, juntamente com Charlier, Uderzo e Jean Hebrard, criaram os syndicates independentes Edipress e Edifrance[1] .

Ainda nesse ano, lancaram a revista Pilote onde começaram a mostrar as obras de vários artistas novos e talentosos. Goscinny também criou o livro para crianças Le Petit Nicolas, com Jean-Jacques Sempé e, em 1956, escreveu editoriais e histórias para a Pilote bem como argumentos para filmes. Em 1962, trabalhou no Le Grand Vizir Iznogoud com o jovem artista Jean Tabary, mas foi Astérix, criado para a primeira edição da "Pilote", que o levou para a ribalta, passando, a partir de 1968, a dedicar-se quase exclusivamente a "Asterix"[1] .

Em 1974, juntamente com Uderzo fundou os Estúdios Idefix para fazer versões animadas de Astérix, sendo a sua primeira produção "Os doze trabalhos de Astérix", tendo obtido um enorme sucesso. Posteriormente, produziram uma versão cinematográfica de "Lucky Luke"[1] .

Como Uderzo, Goscinny também recebeu vários prémios e foi considerado um herói nacional em França. Infelizmente, o trabalho duro e o esforço tinham feito estragos, vindo a morrer de ataque cardíaco a 5 de Novembro de 1977, aos 51 anos de idade[1] .

Referências

  1. a b c d e f g h i Goscinny. Astérix International. Página visitada em 3 de Outubro de 2010.




Ícone de esboço Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.