LaTeX

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Logotipo do LaTeX

LaTeX (normalmente formatado como LaTeX) é um conjunto de macros para o programa de diagramação de textos TeX, utilizado amplamente na produção de textos matemáticos e científicos, devido a sua alta qualidade tipográfica.[1] Entretanto, também é utilizado para produção de cartas pessoais, artigos e livros sobre assuntos diversos.[2]

O sistema LaTeX fornece ao usuário um conjunto de comandos de alto nível, facilitando dessa forma sua utilização por iniciantes. Possui abstrações para lidar com bibliografias, citações, formatos de páginas, referência cruzada e tudo mais que não seja relacionado ao conteúdo do documento em si.

O LaTeX foi desenvolvido na década de 80, por Leslie Lamport, estando atualmente na versão denominada LaTeX 2e.

Uma nova versão do LaTeX, chamada LaTeX3[3] , tem sido objeto de pesquisa e desenvolvimento há mais de uma década, mas ainda não é recomendada para uso intensivo.

Utilização do sistema[editar | editar código-fonte]

A idéia central do LaTeX é distanciar o autor o máximo possível da apresentação visual da informação, pois a constante preocupação com a formatação desvia o pensamento do conteúdo escrito.

Ao invés de trabalhar com idéias visuais, o usuário é encorajado a trabalhar com conceitos mais lógicos — e, consequentemente, mais independentes da apresentação — como capítulos, seções, ênfase e tabelas, sem contudo impedir o usuário da liberdade de indicar, expressamente, declarações de formatação.

Um exemplo simples de um documento preparado para o LaTeX:

\documentclass[12pt,a4paper]{article}
 
\usepackage[brazil]{babel}
\usepackage[utf8]{inputenc}
\usepackage[T1]{fontenc}
\title{O Sistema \LaTeX}
 
\begin{document}
\maketitle
A idéia central do \LaTeX\ é distanciar o autor
o máximo possível da apresentação visual da informação.
 
Ao invés de trabalhar com idéias visuais, o usuário é
encorajado a trabalhar com conceitos mais lógicos --- e,
consequentemente, independente da apresentação --- como capítulos,
seções, ênfase e tabelas, sem contudo impedir o usuário da
liberdade de indicar, expressamente, declarações de formatação.
 
A versão mais recente é a \LaTeXe.
 
% Isto é um comentário que não será processado. Ele serve apenas
% para fazer anotações não incluídas no resultado final. Atenção
% ao símbolo do comentário: porcentagem (%).
A seguir, a fórmula das combinações como um exemplo simplório
da capacidade matemática do \LaTeX:
 
\begin{eqnarray}
C_k^n &=& \frac{n!}{k!(n-k)!}
\end{eqnarray}
 
\end{document}

Após editar o conteúdo, o usuário deve compilar o código para gerar o documento final para impressão. O exemplo acima resulta na saída abaixo:

Latex-saida.png

Ao contrário de sistemas WYSIWYG, o formato definitivo do texto só é conhecido após sua conclusão. Entretanto, algumas ferramentas — como o LyX — combinam o LaTeX com a sistemática do WYSIWYG.

Exportação para outros formatos[editar | editar código-fonte]

Com a popularização da visualização digital de documentos, sendo o maior exemplo a utilização maciça de arquivos PDF, foi criado o pdfTeX, programa que permite converter a fonte no formato TeX diretamente para um arquivo PDF[4] .

Embora o sitema TeX seja focado na impressão, arquivos desenvolvidos com o LaTeX podem ser convertidos para outros formatos, como o HTML[5] , utilizando-se para tanto programas como o Latex2html. A estrutura essencialmente lógica dos documentos desenvolvidos para o LaTeX, em formato aberto passível de ser interpretado por qualquer programa conversor, facilita o desenvolvimento de ferramentas de conversão.

Suporte a estilos[editar | editar código-fonte]

Os estilos tipográficos são suportados através de pacotes que fornecem classes específicas. Como os documentos preparados no LaTeX possuem estruturação apenas lógica, são necessárias classes que formatem o documento segundo as convenções de instituições como a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e a APA (Associação Americana de Psicologia).

A necessidade de modelos prontos constitui uma desvantagem do sistema LaTeX, pois a compreensão dos comandos de formatação é bem mais difícil que a utilização de uma ferramenta WYSIWYG, vista a diferença de foco entre os dois sistemas. Entretanto, tal situação é amenizada pela disponibilidade de pacotes no site da CTAN.

Aprimoramento do sistema[editar | editar código-fonte]

Sendo um conjunto de macros, o LaTeX é continuamente aprimorado, especialmente através da criação de novos pacotes. De fato, qualquer pessoa com algum conhecimento da linguagem pode criar novas funcionalidades para o sistema e disponibilizá-las na internet para quem quer que necessite. Dessa forma, muitas necessidades locais que surgem no decorrer do tempo podem ser solucionadas através de um novo pacote, permanecendo o núcleo do sistema LaTeX inalterado. Assim, os desenvolvedores podem focar seus esforços em realmente melhorar o programa, e não em solucionar diferenças regionais.

Os muitos pacotes criados para o LaTeX são essenciais para que os usuários do sistema tenham maior liberdade na criação dos documentos. Esses pacotes nem sempre adicionam novas funcionalidades, mas modificam o tratamento padrão dado a certas funções, criando assim mais diversidade de apresentação visual. Os pacotes podem ser obtidos através da CTAN.

Distribuições[editar | editar código-fonte]

Os documentos escritos para o LaTeX estão em texto simples, sem qualquer formatação. Deste modo, é possível escrever documentos para o LaTeX em qualquer editor de textos, mesmo os mais simples, como o Vi ou o Bloco de notas. Não obstante essa facilidade de edição de arquivos LaTeX, recomenda-se a utilização de programas específicos, muitos dos quais softwares livres, como o Kile. Além disso, o LaTeX funciona em diversas plataformas, existindo distribuições para muitos sistemas operacionais, a exemplo de MiKTeX, para Windows; MacTeX, para Mac OS X; e TeX Live (multiplataforma, incluindo Linux).

Fontes[editar | editar código-fonte]

A criação de um sistema tipográfico de qualidade, evidentemente, deve possibilitar ao usuário a escolha de ao menos uma fonte que suporte as qualidades do sistema em questão. Com esse propósito, a família de fontes Computer Modern, desenvolvida pelo criador do TeX, Donald Knuth, se tornou o padrão do sistema.

A impossibilidade do TeX utilizar o padrão de fontes OpenType conduziu ao desenvolvimento da ferramenta XeTeX, cuja variante para o LaTeX pode ser acessada através do XeLaTeX. O XeTeX está disponível para muitas plataformas, incluindo Mac OS X[6] , Linux[7] e Windows[8] .

As versões mais recentes do Texlive também disponibilizam o XeTeX, inclusive com suporte para escritas complexas (da direita para a esquerda, línguas indianas e orientais), e codificação em Unicode. O acesso a diferentes fontes é feito através do pacote "fontspec", como no exemplo:

\documentclass[a4paper,12pt]{article}
\usepackage{hyperref} % para inserir hiperlinks
\usepackage{polyglossia} % para idiomas no Xetex
\setmainlanguage{brazil} 
\defaultfontfeatures{Ligatures=TeX} % para converter `` e '' em aspas duplas, -- em: —, etc.
\setmainfont[Numbers=OldStyle]{Minion Pro} % define fonte principal, com opção para numerais em estilo antigo.
\setsansfont{Myriad Pro} % define fonte sem serifa
\usepackage{graphicx} % para inserção de figuras

Depois, é só rodar o documento com o comando:

xelatex arquivo.tex

Vantagens e desvantagens[editar | editar código-fonte]

A primeira pergunta que alguém se fará, ao se deparar com o LaTeX, é sobre a vantagem de se usá-lo, ao invés de ferramentas WYSIWYG como o LibreOffice Writer e o Microsoft Word, e muitas pessoas comparam o LaTeX a esses programas. Na verdade, o LaTeX e as ferramentas WYSIWYG possuem objetivos e base de usuários completamente distintos, não sendo prudente afirmar qual modelo seja superior. São apenas diferentes. É necessário, portanto, mostrar as vantagens e desvantagens de um e de outro, para que as pessoas saibam qual modelo lhes convém.

Vantagens[editar | editar código-fonte]

  • A principal vantagem, e de onde as outras tiram sua validade, é o algoritmo avançado do TeX, que permite criar documentos de aparência verdadeiramente profissional.
  • O LaTeX encoraja as pessoas a concentrar suas atenções no conteúdo e na distribuição lógica das idéias, e não na aparência, resultando em textos bem estruturados.
  • É possível utilizar o LaTeX sem efetivamente aprender muitos comandos, especialmente com a utilização conjunta de ferramentas gráficas como o LyX, bem como de bibliotecas de macros que facilitem aplicações especificas como, por exemplo, desenhar circuitos pelo CircuiTikZ ou uma partitura de uma música pelo LilyPond.
  • A edição de fórmulas matemáticas é robusta e sua apresentação, visualmente agradável.
  • Estruturas tipográficas complexas como bibliografia, tabela de conteúdo e citações estão abstraídas, podendo ser geradas facilmente e de forma consistente ao longo do documento.
  • Ambos TeX e LaTeX são programas livres, permitindo que haja versões para praticamente todo sistema operacional.
  • Utilização modesta dos recursos do sistema. É possível editar e imprimir mesmo em um computador remoto, através de uma sessão SSH ou telnet. O processador também não precisa trabalhar o tempo todo para formatar o documento, pois a diagramação só é feita uma vez, após o término da edição.

Desvantagens[editar | editar código-fonte]

  • A principal desvantagem é que, embora a utilização de estilos prontos de documento seja fácil, a criação de novos modelos leva muito tempo, nem sempre sendo possível encontrar modelos de documento em conformidade com o padrão requerido por muitas instituições.
  • A aprendizagem é mais difícil que a de programas WYSIWYG, pois embora a estrutura lógica do documento seja intuitiva, os comandos do LaTeX, obviamente, não o são. Torna mais ágil a edição de documentos complexos e mais comuns no ambiente acadêmico como artigos e monografias, porém um tanto complicado para documentos mais simples e ricos em detalhes gráficos como um simples convite para uma festa.

Referências

  1. Listas de publicações que aceitam o formato .tex em: http://schneider.ncifcrf.gov/latex.html#tex-latex_publishers; http://tug.org/interest.html#publishers, http://www.lsi.upc.edu/~valiente/journals.html e http://www.juergenfenn.de/tex/verlage/verlage.html. Periódicos como Proceedings of the Royal Society A (ciências matemáticas, física, engenharia), e Proceedings of the Royal Society B (ciências biológicas), Nature, Royal Astronomical Society, os periódicos da IEEE e AMS, entre vários outros, publicam e aceitam manuscritos em formato .tex.
  2. Frank MITTELBACH; GOOSSENS, Michel et. al.. The LaTeX Companion. 2.a edição. ed. [S.l.]: Addison-Wesley Professional, 2004. p.1 pp. ISBN 978-0-201-36299-2.
  3. http://latex-project.org/latex3.html
  4. Arquivo `LEIAME' do PDFTeX (em inglês).
  5. LaTeX2HTML (em inglês).
  6. The XeTeX typesetting system.
  7. XeTeX for Linux.
  8. MiKTeX 2.7 Status (mostra a disponibilidade do XeTeX integrado ao MiKTeX).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre LaTeX
Wikilivros
O Wikilivros tem um livro chamado Latex

Tutoriais[editar | editar código-fonte]

Editores[editar | editar código-fonte]

São facilitadores para as marcações do sistema \mathrm{L\!\!^{{}_{\scriptstyle A}} \!\!\!\!\!\;\; T\!_{\displaystyle E} \! X}

Editores e compiladores online[editar | editar código-fonte]

Documentação livre[editar | editar código-fonte]