Legio I Parthica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Inscrição romana: I(ovi) O(ptimo) M(aximo)/ Dolichen(o) pr[o]/ salute dd(ominorum) nn(ostrorum)/ Augg(ustorum) vexill(atio) leg(ionis)/ XXII P(rimigeniae) P(iae) F(idelis) agent(ium)/ in lignar(iis) sub/ Clod(io) Caerellio ) (centurione) leg(ionis) I Part(hicae) cu/ram agent(e) Maior(io) Urbano optione/ [A]lb[in]o et Aemil[iano] co(n)s(ulibus).

Legio I Parthica (latim para "Primeira Legião Parta") era uma legião romana mobilizada em 197 d.C. pelo imperador Sétimo Severo. A sua presença no Oriente Médio é atestada pelo menos até o início do século V d.C.

As legiões I Parthica, II Parthica e III Parthica foram mobilizadas por Sétimo Severo para sua campanha contra o Império Parta. Após o sucesso desta campanha, a Primeira e a Terceira permaneceram na região, acampadas em Singara, na Mesopotâmia (atual Sinjar, no Iraque), para suprimir eventuais rebeliões e novos ataques do Império Parta.

Legionários da I Parthica eram geralmente transferidos para outras províncias, principalmente a Lícia, Cilícia e Cirenaica.

Em 360 d.C., a I Parthica falhou em defender o seu acampamento contra um ataque dos sassânidas. Após a derrota, a legião foi transferida para Nísibis (na Turquia), onde ela permaneceu até a rendição da cidade para o Império Sassânida em 363 d.C. Em seguida, ela foi novamente transferida, desta vez para Constantina, onde ela ainda estava quando foi mencionada pela última vez no início do século V d.C.

O símbolo da Primeira era o centauro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]