Luís Orione

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
São Luís Orione
Estatua de Padre Luís Orione em oração
Nascimento 23 de junho de 1872 em Pontecurone
Morte 12 de março de 1940 (67 anos) em Sanremo
Veneração por Igreja Católica
Beatificação 26 de outubro de 1980, Vaticano por João Paulo II
Canonização 16 de maio de 2004, Vaticano por João Paulo II
Principal templo Santuário N.S. da Guarda
Festa litúrgica 16 de maio
Gloriole.svg Portal dos Santos

Luigi Orione, em português Luís Orione, (Pontecurone, 23 de junho de 1872Sanremo, 12 de março de 1940) foi um sacerdote católico italiano proclamado santo pelo Papa João Paulo II em 2004.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Pontecurone numa família profundamente religiosa, em 14 de setembro de 1885 entra na Ordem Franciscana no Convento de Voghera, mas em 1886 foi licenciado por causa da saúde fraca que prejudicou a sua vida.

Em 1889 entra no Seminário de Tortona e torna-se sacerdote em 1895. Em 1899 fundou a Pequena Obra da Divina Providência (religiosos empenhados na caridade e em pregar o Evangelho). Os Pequenos Cotolengos são uma casa em que promovem e apoiam os deficientes físicos e mentais. A Ordem teve aprovação diocesana em 1903.

Em 1908 viaja para Messina e para Reggio Calabria para ajudar o povo por causa do terremoto.

Em 1915 esteve em Mársica (Abruzos) para ajudar por causa de outro terremoto. No mesmo ano, funda a Congregação das Pequenas Irmãs da Caridade.[1]

Logo depois da Primeira Guerra Mundial começa a espalhar o seu trabalho em Italia e no mundo: Milão, Genova, Roma; Buenos Aires, São Paulo, Santiago). Viajou ao Brasil por quatro vezes.

Fundou e construiu (1926 - 1931) o Santuário N.S. da Guarda em Tortona e o Santuário N.S. de Caravaggio em Corvino San Quirico.

O corpo de São Luís Orione, numa urna de vidro, no Santuário N.S. da Guarda, em Tortona.

Faleceu em Sanremo, em 12 de março de 1940. Foi sepultado na cripta do Santuário N.S. da Guarda até 26 de outubro 1980 quando foi proclamado beato e depositado numa urna de vidro para veneração publica (foto à esquerda).

Para sua canonização, a Igreja reconheçeu como milagroso o restablecimento, em 1990 de Pietro Penacca, 78 anos, de Momperone, doente de carcinoma nos pulmões, que viveu por mais 12 anos e morreu de velhice em 2001.[2]

A canonização ocorreu em 16 de maio de 2004.

O Papa Pio XII denominou-o «...pai dos pobres, benfeitor da humanidade sofredora e abandonada...»

Estatua de São Luís Orione, rezando, no Santuário N.S. da Guarda, em Ceranesi.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • F. Peloso, Don Luigi Orione e padre Pio nel decennio della tormenta: 1923-1933. Fatti e documenti, 1999, ISBN 88-16-30348-4
  • Nel nome della divina provvidenza, 1995 (postumo), ISBN 8838423059
  • Ho aperto le braccia e il cuore, 2001 (postumo), ISBN 882154544X
  • AA.VV. San Luigi Orione: da Tortona al mondo. Atti del Convegno di studi (Tortona, 14-16 março 2003), 2004, ISBN 88-343-1978-8
  • Meditazioni sul vangelo. Dagli scritti e dalla parola, 2004 (postumo), ISBN 88-215-5145-8

Referências

  1. As Irmãs dessa Congregação, são hoje chamadas Orioninas
  2. Do sitio oficial da Pequena Casa da Divina Providencia

Ver também[editar | editar código-fonte]

Pequena Obra da Divina Providência

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um santo, um beato ou um religioso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Luís Orione