Maria Ana Sofia da Saxónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Ana Sofia da Saxónia
Princesa-Eleitora da Baviera
Princesa da Saxónia
Princesa-Eleitora da Baviera
Reinado 9 de julho de 1747
a 30 de dezembro de 1777
Predecessor Maria Amália da Áustria
Sucessor Isabel Augusta de Sulzbach
Cônjuge Maximiliano III José da Baviera
Nome completo
Maria Ana Sofia Sabina Ângela Francisca Xaveria
Casa Wittelsbach
Wettin
Pai Augusto III da Polônia
Mãe Maria Josefa da Áustria
Nascimento 29 de agosto de 1728
Castelo de Dresden, Dresden, Saxónia
Morte 17 de fevereiro de 1797 (72 anos)
Castelo de Fürstenried, Munique
Enterro Jazigo da Família em Hofkirche
Religião Católica

Maria Ana Sofia da Saxónia (Maria Ana Sofia Sabina Ângela Francisca Xaveria), (29 de Agosto de 1728 - 17 de Fevereiro de 1797) foi uma filha do rei Augusto III da Polónia e da sua esposa, a arquiduquesa Maria Josefa da Áustria. Tornou-se princesa-eleitora da Baviera através do seu casamento com o príncipe-eleitor Maximiliano III José.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maria Ana da Saxónia por Louis de Silvestre

Maria Ana era uma dos quinze filhos do rei Augusto III da Polónia e da sua esposa, a arquiduquesa Maria Josefa da Áustria. Entre os seus irmãos mais notáveis contam-se o príncipe-eleitor Frederico Cristiano da Saxónia, a rainha Maria Amália de Espanha e a princesa Maria Josefa, mãe dos reis Luís XVI, Luís XVIII e Carlos X de França.

Casou-se com o príncipe-eleitor Maximiliano José da Baviera em 1747.

Uma vez que não tinha filhos, Maria Ana liderou as negociações com o rei Frederico II da Prússia para manter a independência da Baviera contra a Áustria após a morte do marido em 1777. Foi também ela quem defendeu os direitos de sucessão do ramo palatino da Casa de Wittelsbach, os Zweibrücken-Birkenfeld, quando o novo príncipe-eleitor Carlos Teodoro tentou ceder a Baixa Baviera à Áustria. Foi concluído um tratado secreto com o sacro-imperador José II da Áustria. Em troca da Baixa Baviera, Carlos Teodoro receberia a Holanda Austríaca (perto da sua terra natal), o palatinado, que já lhe pertencia, Jülich e Berg.

Estes planos acabaram por falhar devido à Guerra de Sucessão da Baviera que rebentou em 1778. Durante a mesma, o rei da Prússia terminou com as tentativas da Áustria de trocar os territórios na Holanda pela Baviera. Quando o sacro-imperador voltou a tentar o mesmo plano em 1784, Frederico II criou a Fürstenbund.

Após a morte do marido, Maria Ana Sofia passou o resto da vida no Palácio de Fürstenried e recebeu a gratidão do povo da Baviera e dos herdeiros do ramo Zweibrücken: o duque Carlos II e o seu irmão Maximiliano I José da Baviera, que sucedeu a Carlos Teodoro em 1799.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Maria Ana Sofia da Saxónia em três gerações[1]
Maria Ana Sofia da Saxónia Pai:
Augusto III da Polónia
Avô paterno:
Augusto II da Polónia
Bisavô paterno:
João Jorge III da Saxónia
Bisavó paterna:
Madalena Sibila de Brandemburgo-Bayreuth
Avó paterna:
Cristiana Everadina de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavô paterno:
Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavó paterna:
Sofia Luísa de Württemberg-Winnental
Mãe:
Maria Josefa da Áustria
Avô materno:
José I, Sacro Imperador Romano-Germânico
Bisavô materno:
Leopoldo I, Sacro Imperador Romano-Germânico
Bisavó materna:
Leonor Madalena de Neuburgo
Avó materna:
Guilhermina Amália de Brunsvique-Luneburgo
Bisavô materno:
João Frederico de Brunsvique-Luneburgo
Bisavó materna:
Benedita Henriqueta do Palatinado-Simmern

Referências

  1. The Peerage, consultado a 31 de Março de 2014
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Maria Ana Sofia da Saxónia