Marquês de Marialva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Armas dos Marqueses de Marialva

Marquês de Marialva foi um título nobiliárquico criado em 11 de Junho de 1661 pelo rei de Portugal D. Afonso VI, a favor de D. António Luís de Meneses, pelo seu papel decisivo na Revolução de 1640.

Titulares
  1. D. António Luís de Meneses (1603-1675), 3.º conde de Cantanhede
  2. D. Pedro António de Meneses (1658-1711), 4.º conde de Cantanhede
  3. D. Joaquina Maria da Conceição de Meneses (1691-1740), 5.ª condessa de Cantanhede
  4. D. Pedro José de Alcântara de Meneses Noronha Coutinho (1713-1799), 6.º conde de Cantanhede
  5. D. Diogo José Vito de Meneses Noronha Coutinho (1739-1803), 7.º conde de Cantanhede
  6. D. Pedro José Joaquim Vito de Meneses Coutinho (c. 1775-1823), 8.º conde de Cantanhede; sem geração

O 7º marquês de Marialva recebeu os títulos de Marquês de Marialva e Conde de Cantanhede em virtude do predecessor não ter deixado descendência, tendo os títulos passado à Casa de Lafões em atenção ao casamento de D. Henriqueta Maria Júlia de Lorena e Meneses, filha mais velha do 5.º marquês e irmã do 6.º marquês de Marialva, com D. Carlos de Bragança e Ligne de Sousa Tavares Mascarenhas da Silva, 2.º duque de Lafões.

Após a instauração da República portuguesa e o fim do sistema nobiliárquico, foram pretendentes ao título D. Lopo de Bragança (1921-) e D. Diogo de Bragança (1930-).