Nessebar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Janeiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Pix.gif Cidade Antiga de Nessabar *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Vista de Nessebar
País  Bulgária
Tipo Cultural
Critérios iii, iv
Referência 217
Região** Europa e América do Norte
Coordenadas 42° 39′ N 27° 44′ E
Histórico de inscrição
Inscrição 1983  (7ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Nessebar (em búlgaro: Несебър, também dita Nesebar ou Nesebur, nome antigo: Mesembria) é uma antiga cidade da Bulgária e a maior cidade de veraneio do Mar Negro, na costa da Bulgária. Chamada constantemente de "Pérola do Mar Negro" e Dubrovnik da Bulgária, Nessebar é uma cidade-museu rica em histórias com mais de três milênios de idade.

Mapa com a localização da cidade

É um dos principais destinos turísticos e portuário do Mar Negro, tornando-se uma região extremamente popular, com vários resorts. O maior deles, o Sunny Beach, localiza-se imediatamente ao norte de Nessebar.

Nessebar encontrou-se por várias vezes na fronteira de algum império ameaçado, por isso sua rica história. A parte antiga da cidade está situada na península (antigamente uma ilha) ligada ao continente por um istmo estreito feito pelo homem, e isso suporta a evidência de ocupação por uma variedade diferente de civilizações no decorrer de sua existência. A abundância de construções históricas, fizeram com que a UNESCO a incluísse na lista do Patrimônio Mundial em 1983.

Nome[editar | editar código-fonte]

Habitada na antiguidade pelos trácios e pelos gregos antigos, o seu nome original em trácio era Menebria e Mesembria (em grego antigo: Μεσήμβρια) para os gregos. Este nome ainda permaneceu até a Idade Média.

História[editar | editar código-fonte]

Fortificações na entrada de Nessebar
Igreja de Cristo Pantocrator
Igreja de São João Aliturgetos
Igreja de João Batista
Casas de madeira na península de Nessebar

Originalmente um assentamento trácio conhecido como Menebria, a cidade se tornou uma colônia grega quando invadida pelos dóricos de Mégara, no começo do século VI a.C., e foi um importante centro comercial que rivalizava com Apolônia (Sozopol). Permaneceu a única colônia dórica próxima da costa do Mar Negro, como as outras colônias jônicas típicas. Vestígios do período Helenista incluem a acrópole, um templo de Apolo, e uma ágora. Um muro que formava parte das fortificações ainda pode ser visto no lado norte da península. Moedas de bronze e prata eram cunhadas na cidade desde o século V a.C.e de ouro a partir do século III a.C.

A cidade foi dominada pelo Império Romano em 71 a.C., mas ainda continuou com alguns privilégios como o direito de cunhar suas próprias moedas. Foi uma das mais importantes fortalezas do Império Bizantino do século V em diante, e foi motivo de diversas lutas entre os bizantinos e os búlgaros, sendo capturada e incorporada às terras do Primeiro Império Búlgaro em 821 pelo Krum após um cerco de duas semanas, somente para ser novamente cedida aos bizantinos pelo knyaz Bóris I em 864 e novamente reconquistada por seu filho, o Simeão I, o Grande. Durante o Segundo Império Búlgaro continuou disputada e gozou de um período de prosperidade durante o governo do imperador João Alexandre (r. 1331-1371) até ser conquistada pelos cruzados liderados por Amadeu VI, conde de Saboia, em 1366. A versão búlgara do nome, Nessebar ou Messebar, existe desde o século XI.

Monumentos da Idade Média incluem o Stara Mitropoliya dos séculos V e VI ("Velho Bisfórico", também conhecido como a Igreja de Santa Sofia), uma basílica sem transepto; a Basílica da Santa Mãe de Deus Eleusa (Theotokos Eleusa), do século X; e a Nova Mitropoliya do século XI (o "Novo Bisfórico" ou Igreja de São Estevão) que continuou a ser adornada até o século XVIII. Nos séculos XIII e XIV uma série impressionante de igrejas foi construída:

  • Igreja de São Teodoro
  • Igreja de São Paraskeva
  • Igreja dos Sagrados Arcanjos Miguel e Gabriel
  • Igreja de São João Aliturgetos

A tomada da cidade pelo Império Otomano em 1453 marcou o começo do seu declínio, mas a herança arquitetônica permaneceu e foi enriquecida no século XIX com a construção de casas de madeira no estilo típico da costa búlgara do Mar Negro durante este período.

No final do século XIX Nesebar era uma cidade pequena de pescadores e vinicultores gregos, mas se desenvolveu por ser um ponto de escoamento para o mar, desde o começo do século XX. Após 1925 uma nova cidade foi construída e a histórica Cidade Velha foi restaurada.

Igrejas[editar | editar código-fonte]

Nesebar é considerada a cidade com maior número de igrejas per capita.[1] Embora possa ser errado, o número e variedade de igrejas é impressionante. Algumas das mais famosas:

  • Igreja de Santa Sofia ou Velho Bisfórico (Stara Mitropoliya) (Séculos V-VI)
  • Basílica da Santa Mãe de Deus Eleusa (Século VI)
  • Igreja de João Batista (Século XI)
  • Igreja de São Estevão (Nova Mitropoliya) (Século XI, reconstruída no século XVIII)
  • Igreja de São Teodoro (Século XIII)
  • Igreja de São Paraskeva (Séculos XIII-XIV)
  • Igreja dos Santos Arcanjos Miguel e Gabriel (Séculos XIII-XIV)
  • Igreja de Cristo Pantocrator (Século XIV)
  • Igreja de São João Aliturgetos (Século XIV)
  • Igreja de São Spas (Século XVII)
  • Igreja de São Clemente (Século XVII)

As igrejas de Nesebar representam a rica herança cultural do Leste Ortodoxo e ilustram o desenvolvimento gradual das basílicas cristãs do Início do Cristianismo até as igrejas em formato de cruz da Era Medieval.

Honraria[editar | editar código-fonte]

A Fenda Nesebar na Ilha Livingston, Shetland do Sul, Antártica recebram o nome em homenagem à cidade.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]