Oceanodroma monteiroi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaOceanodroma monteiroi
painho-de-monteiro, angelito-de-monteiro
Taxocaixa sem imagem
Estado de conservação
Status iucn3.1 VU pt.svg
Vulnerável [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Procellariiformes
Família: Hydrobatidae
Género: Oceanodroma
Espécie: O. monteiroi
Nome binomial
Oceanodroma monteiroi
Bolton et al 2008[2]
Sinónimos

Oceanodroma monteiroi Bolton et al 2008 é uma espécie de ave marinha de hábitos pelágicos da família Hydrobatidae,[3] cuja únicas colónias nidificantes conhecidas estão no ilhéu da Praia e ilhéu de Baixo, ao largo da ilha Graciosa, nos Açores, sendo endémica naquele arquipélago.

Descrição[editar | editar código-fonte]

A espécie foi descrita e catalogada pelo Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores em conjunto com a Royal Society for the Protection of Birds. Foi assim batizada em homenagem ao investigador da UAC Luís Monteiro, falecido num acidente com um avião da SATA Air Açores, ocorrido na ilha de São Jorge em Dezembro de 1999.

Esta espécie rara, que existe apenas nos ilhéus da Graciosa, apresenta ligeiras diferenças em relação à espécie Oceanodroma castro (painho-da-Madeira). Essas diferenças, nomeadamente o tamanho dos espécimes e as respectivas vocalizações, incompatibilizam as duas populações, impedindo que se reproduzam entre si. A individualização das espécies foi confirmada por análise genética.

As pesquisas começaram na década de 1990 por iniciativa de Luís Monteiro, cujo trabalho permitiu identificá-la como uma espécie endémica dos Açores e única no mundo.

O jovem investigador do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade de Açores, não chegou, no entanto, a ver reconhecida a espécie à qual o seu nome ficou ligado. Luís Monteiro morreu a 11 de de Dezembro de 1999, quando o avião da SATA, em que seguia, de Ponta Delgada para a Horta, embateu no Pico da Esperança, na ilha de São Jorge, vitimando os 35 ocupantes[4] .

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Descoberta nos Açores nova espécie de ave. Diário Insular, 2 de Outubro de 2008. p. 5.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Distribução e justificação de estado de conservação na IUCN Redlist Rev.08/08/2011
  2. (em inglês) IOC Master List
  3. Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, B.L. Sullivan, C. L. Wood, and D. Roberson (2012). The eBird/Clements checklist of birds of the world: Version 6.7.. Visitado em 2012-12-19.
  4. Em busca do paínho-de-monteiro.