Otman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Maio de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Uthman ibn Affan (em árabe: عثمان بن عفان; Meca, ca. 570Medina, 17 de junho de 656), conhecido em português como Otman, Utman ou Otomão, foi o terceiro califa muçulmano (r. 644656).

Otman era membro do clã dos Omíadas (Umayyad) que se encontrava integrado na tribo dos Coraixitas (Quraysh) de Meca. Rico mercador, tornou-se um dos primeiros a seguir a mensagem religiosa do profeta Maomé.

Antes da capitulação de Meca em 630, emigrou com alguns crentes muçulmanos para o reino cristão de Axum na Abissínia e em 622 acompanhou Maomée os crentes para Yathrib (Medina), na migração conhecida como Hégira. Foi casado com duas filhas de Maomé: primeiro com Ruqayya e, após a morte desta, com Kulthum. Por esta razão recebe o título de Dhun Nurayn, o "Possuidor de Duas Luzes". Ficou também conhecido por utilizar os seus recursos económicos para apoiar os muçulmanos mais pobres, facto que lhe deveu a alcunha de Ghani, "Generoso".

Após o assassínio de Omar, Otman foi eleito califa por uma comissão de seis membros em 644. Ele continuou a obra de expansão territorial do Islão, concluindo a conquista da Pérsia, expandido o império no Norte de África e tomando a ilha de Chipre (649).

Otman ordenou a fixação do texto oficial do Alcorão, nomeando para o efeito uma comissão que decidiu o que deveria ser incluído ou excluído do texto final do livro sagrado. A nomeação do seu primo Muawiya como governador da Síria provocou descontentamento, uma vez que o pai de Muawiya, Abu Sufyan, tinha sido um dos mais ferozes opositores de Maomé.

A oposição era grande no final do seu califado, gerada pela nomeação de parentes para cargos administrativos e pelo esbanjamento do tesouro central. Esboçavam-se dois partidos, um que proclamava os direitos de Ali e dos seus filhos à herança política do profeta e outro encabeçado por Zubair e Aisha, uma das viúvas de Maomé.

Otman foi morto em 656 por uma multidão que cercava a sua casa. De acordo com a tradição, encontrava-se a ler o Alcorão quando foi assassinado. A sua morte abriu um período de guerra civil no Islão, conhecida como Primeira Fitna, provocada pela contestação ao califado do seu sucessor Ali por Muawiya e os seus partidários.