People for the Ethical Treatment of Animals

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
People for the Ethical Treatment of Animals
Lema "Os animais não são nossos para comer, usar, fazer experiências ou para entretenimento.[1] "
Fundação 1980[1]
Sede Norfolk, Virgínia[1]
Membros 2 milhões
Presidente Ingrid Newkirk
Sítio oficial http://www.peta.org/

People for the Ethical Treatment of Animals (PETA – mais comumente o estilizado PeTA) (em português: Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) é uma organização não governamental de ambiente fundada em 1980, a qual já conta com mais de 2 milhões de membros e se dedica aos direitos animais.[2]

A PETA tem como lema:

"Animals are not ours to eat, wear, experiment on, or use for entertainment" ("Animais não são nossos para comer, vestir, usar em experiências ou para entretenimento")

Também promove educação sobre o assunto, investigações, pesquisas, resgate de animais, envolvimento de celebridades e campanhas de protesto.

Atuação[editar | editar código-fonte]

A famosa atriz Pamela Anderson em uma campanha para a PETA, para o vegetarianismo.

Seus mais de 2 milhões de ativistas contam com orçamento anual superior a 30 milhões de dólares[3] – gerado com arrecadações de fundos, pagamento de taxas pelos integrantes e vendas de camisetas e produtos –, e o escritório da organização em Norfolk ocupa quatro andares e emprega mais de cem funcionários (nenhum dos quais consome ou usa qualquer espécie de produto animal). Tais doações são monitoradas pela Activistfacts,[4] uma entidade cujo objetivo é revelar ao público as fontes de doações de ONGAs como a PETA.[5]

A organização está engajada na causa de proteger animais de todos os atos de exploração humana desnecessária e abusiva. Ela aplica pressão implacável sobre as grandes cadeias de lanchonetes e conduz uma operação clandestina de espionagem na comunidade científica que realiza pesquisas com animais, visando a expor suas práticas de laboratório desumanas.

Por sua atuação radicalista, a PETA não é uma unanimidade entre os amantes e protetores de animais. Sua presidente e co-fundadora, Ingrid Newkirk, descreveu o objetivo geral da organização como "a total liberação dos animais". Isso significa que a ONGA é contra o consumo de carne e leite, contra os zoológicos, circos, , couro, caça, pesca e até animais de criação ou estimação.[6] [7] [8] A PETA também é contra toda e qualquer pesquisa médica que inclua o uso de animais.

Referências

  1. a b c PETA. PETA's History: Compassion in Action (em inglês). Página visitada em 23 de setembro de 2009.
  2. PETA. About PETA (em inglês). Página visitada em 23 de setembro de 2009.
  3. PETA. Work at PETA (em inglês). Página visitada em 23 de setembro de 2009.
  4. (em inglês) Activistfacts - Página visitada em 29 de Agosto de 2014.
  5. (em inglês) Activistfacts - PETA Foundation. Página visitada em 29 de Agosto de 2014.
  6. Peta.org. Animal Rights Uncompromised: PETA on 'Pets' (em inglês). Página visitada em 13 de julho de 2010.
  7. FishingHurts.com. Commercial Fishing: How Fish Get From the High Seas to Your Supermarket (em inglês). Página visitada em 13 de julho de 2010.
  8. The Star Online. Amber stripes down for Peta’s anti-zoo campaign (em inglês). Página visitada em 13 de julho de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre direitos animais é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.