Furacão 2000

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rômulo Costa)
Ir para: navegação, pesquisa

Furacão 2000 é uma equipe de som, produtora e gravadora carioca que produz coletâneas e shows de Funk Carioca.

Principal responsável pela divulgação do Brasil no mundo, a popularização do gênero pelo país, que é uma variação do Miami Bass. Teve início após a fusão de duas equipes de som na década de 1970: a Som 2000, de Rômulo Costa e a Guarani 2000, de Gilberto Guarani. Inicialmente realizava bailes de soul e funk.[1]

Anos 80[editar | editar código-fonte]

1982[editar | editar código-fonte]

  • 01 - Taana Garder - Heart Beat
  • 02 - Vernon Burch - Do It To Me
  • 03 - The Graingers - Shine Your Light
  • 04 - Am Fm - You are The One
  • 05 - Chicago Gangsters - Feel Like Making Love
  • 06 - Ronnie Gee - Raptivity
  • 07 - Scandall - I Wanna Do It
  • 08 - Lonnie Smith - No Tears Tomorrow

1983[editar | editar código-fonte]

  • 01 - C.O.D. - In The Bottle
  • 02 - Warp 9 - Nunk
  • 03 - Venus Starr - Ms. Sassy, Frassy, Classy
  • 04 - Orbit - The Beat Goes On
  • 05 - Captain Sky - Them Changes
  • 06 - South Bronx - The Big Throwdown
  • 07 - Sylvester - All I Need
  • 08 - The Kryptic Krew - Jazzy Sensation
  • 09 - Windows 3.12

1984[editar | editar código-fonte]

  • 01 - Eddie "D" - Cold Cash & Money
  • 02 - Double Vision - Clock On The Wall
  • 03 - Mac Thornhill - Make Life Worth Living
  • 04 - Brick - It's A New Day
  • 05 - Disco 3 - Fat Boys (Instrumental)
  • 06 - End Games - Ecstasy
  • 07 - Spoonie Gee - The Big Beat (Instrumental)
  • 08 - T-Ski Valley - Catch The Beat
  • 09 - Donald D - The Groove
  • 10 - Davy DMX - One For The Treble (Fresh)

1986[editar | editar código-fonte]

  • 01 - Eddie Ski White - Baby Be Mine
  • 02 - Lisa Lisa & Cult Jam with Full Force - Can You Feel The Beat
  • 04 - Warp 9 - Light Years Away (Dub) (Melô da Macumba)
  • 05 - The Invisibles - Donkey Kong (Melô do Cowboy)
  • 06 - Lil' Jazzy Jay & Cool Supreme - B Boys Style
  • 07 - Mantronix - Fresh Is The Word (Instrumental)
  • 08 - Spyder-D - Rap Is Here To Stay (Instrumental)
  • 09 - Whodini - Friends
  • 10 - Conquest - Optimistic

1988[editar | editar código-fonte]

  • 01 - Big Time - Check It Out (Melô do Piano)
  • 02 - Pretty Poison - Catch Me (I'm Falling)(Melô do Poder)
  • 03 - The Controllers - Stay
  • 04 - World Class Wreckin Cru - The Fly (Melô da Galera nº 2)
  • 05 - Freestyle - It's Automatic
  • 06 - Will to Power - Dreamin'
  • 07 - MC Shy D - I've Got to be Tough (Melô da Pantera nº 3)
  • 08 - MC Shy D - Rap Will Never Die (Melô da Pantera nº 4)


Anos 90[editar | editar código-fonte]

Nessa época as letras do funk carioca falavam das dificuldades que os moradores de favelas do Rio de Janeiro passavam como a discriminação racial e social vista em todos os lugares, praças, shopping, praias, cinemas, teatro, estádio de futebol (Maracanã), e outros.

Os MC´s de sucesso desse tempo eram William e Duda, Mc Marcinho, Danda e Tafarel, Mc Galo, Mr. Catra, Vinicius e Andinho, Claudinho e Buchecha, Mc Mascote, Danilo e Fabinho, Suel e Amaro, Teco e Buzunga, Latino, Marquinhos e Dollores, Força do Rap, Marcio e Vitor, Mc Pixote, Mc Mascote, Careca e Pixote, Junior e Leonardo, Cidinho e Doca e outros.

O funk carioca apresentava um discurso contra as brigas nos bailes funk, o chamado "corredor", formados por pessoas que se denominavam fazer parte do lado A e do lado B, e que assim se organizavam e brigavam.[1]

As letras falavam ainda das revistas policiais que os jovens moradores de favelas passavam em público, e que nessa época era visto como arma político-ideológica, além de temas relacionados ao amor (funk melody).

1990[editar | editar código-fonte]

  • 01 - Bemaster Clay D and The Get Fresh Girls - I Seen Your Boyfriend (Melô do Tarado)
  • 02 - Trinere - How Can We Be Wrong (Melô do Anjinho)
  • 03 - Freestyle - Don't Stop the Rock (instrumental)(Melô da Explosão)
  • 04 - Shana - Falling Slowly (Melô da Princesinha)
  • 05 - Dj Raphael - Melô do Pidão
  • 06 - Trinere - I'll Be All You Ever Need
  • 07 - M.C. Lucious - I Got Your Boyfriend (Melô do Boiola)
  • 08 - Samuel - Open Your Eyes
  • 09 - Young and Restless - Poison Ivy (Melô da Venenosa)
  • 10 - Dj Raphael / part. esp. de Billy - Melô do Neném

1991[editar | editar código-fonte]

  • 01 - Tony Garcia Featuring Peter Fontaine - Just Like The Wind
  • 02 - Trinere - They're Playing Our Song
  • 03 - Lidia Lee Love - Don't Take Your Love
  • 04 - The Boys From The Bottom - My Girl's Got That Body (Melô do Bateau Mouche)
  • 05 - Miami Girls - Time To Jam
  • 06 - Raw Dog - This Jam (Melô da Macumba)
  • 07 - Jazzi & Neat - Ouch Me Baby (Melô do Gozador)
  • 08 - Afrika & The Zulu Kings - The Beach (Melô do Arpoador)
  • 09 - DJ Magic Mike - The Booty Dub (Melô do Surdo)
  • 10 - MC Pintinho & MC Jovem - Funk America

1992[editar | editar código-fonte]

  • 01 - Stevie B - Spring Love
  • 02 - Gigolo Tony - It's The Gigolo
  • 03 - Tony Garcia "Dr. Edit" Featuring N.V. - Girl You Hear Me Crying
  • 04 - Stephanie - Get Away
  • 05 - Billy Star Blues - Funk Pra Valer
  • 06 - The Boys From The Bottom - Abusadora
  • 07 - DJ Battery Brain - 808 Volt Mix
  • 08 - Olimpia - Beat And Rap
  • 09 - DJ Raphael - Freestyle Dance
  • 10 - USA Breaks - This Beat Is Hard

1994[editar | editar código-fonte]

  • 01 - Stevie B - Funk Melody (5:00)
  • 02 - Shantell and Dwayne - Ring My Phone (3:23)
  • 03 - Ronnie Rap DJ - Montagem Da Bundinha (4:09)
  • 04 - Linear - Sending All My Love (4:38)
  • 05 - MC Marcelo & MC Padilha - Pare E Pense (3:54)
  • 06 - DJ Pepê - Melô Do Gaiteiro II (4:25)
  • 07 - Stevie B - Spring Love (6:10)
  • 08 - Dina - When Your "X" Want You Back (4:15)
  • 09 - Dr. Jeckill And Mr Hyde* - The Challenge (4:32)
  • 10 - Kat - Do You Wanna Go Party (3:27)

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

As músicas mais famosas produzidas neste período tomaram uma direção diferente das criadas na década anterior, com uma conotação mais sexual, letras ora de duplo sentido, relatando posições sexuais, ora dizendo explicitamente palavras de baixo calão. Nestas canções as dificuldades da população da favela são postas um pouco à parte e toma vigor a visão do baile funk como reunião social para paquera, namoro e flerte. O envolvimento com o tráfico é ignorado.

Um grupo que pode ser considerado como divisor de águas deste período é o Bonde do Tigrão, com músicas que reúnem bem as características supracitadas, como Cerol na Mão, Tchuthuca e etc. Com estas e outras canções, o grupo alcançou projeção nacional.

Com o sucesso do Bonde do Tigrão vários outros grupos surgiram, seguindo praticamente a mesma linha, como Bonde do Vinho, Os Magrinhos, Os Havaianos, Os Ousados e Bonde dos Prostitutos. Valendo ressaltar que, o estilo não possui nome próprio, tomando "emprestado" o funk de James Brown.

Apesar do surgimento de grupos com coreografias criativas e por vezes engraçadas, os tradicionais MCs continuam seguindo. Alguns nomes como MC Serginho (com seu parceiro artístico Lacraia), Mc Zinho BH, Mr. Catra, MC Colibri, Mc Frank, Mc Tikão, Mc Smith, Mc Dodô, Mc Jefinho Bh, Menor do Chapa e MC Marcinho (que também fez sucesso na década de 1990) são alguns destaques nos Anos 2000.

Nessa década passou a haver uma participação maior das mulheres no funk carioca. Alguns grupos como As Danadinhas, Gaiola das Popozudas ou MCs como Tati Quebra-Barraco, MC Sabrina e Perlla chegam às paradas de sucesso. As músicas destas costumam falar sobre o lado sensual dos bailes funk pela visão feminina, a liberação sexual das mulheres e relacionamentos amorosos de um modo geral. Temas como "quem paga o motel sou eu", "vou chifrar o seu marido", "amantes vs. fiéis", são comuns.

Se antes a embaixadora do Funk na TV Globo era a apresentadora Xuxa, nesta década é Luciano Huck que toma esse papel. Vários artistas do mundo da música Funk passaram por seu programa. Além da exibição de artistas, existe uma coletânea de funk carioca chamado "Pancadão do Caldeirão do Huck" com músicas de diversos cantores e grupos, entre eles Mc Koringa com O Tamborzão tá Rolando.

Programas de rádio e TV[editar | editar código-fonte]

  • Na década de 1990 a Furacão 2000 ocupava a grade da Rede CNT.
  • A Furacão 2000 tem um programa diário (antes semanal) que vai ao ar de segunda a sexta das 13h10 até as 14h10 na Band Rio (apenas para o Rio de Janeiro) com a apresentação de Rômulo Costa e Priscila Nocetti.

O Programa é inspirado no programa norte-americano Soul Train,[2]

  • Na rádio 107 FM diariamente das 8 da manhã até meia noite (de Segunda a Sábado das 15:00 as 17:00 em conjunto com a Rádio Transamérica do Rio de Janeiro) a programação dirigida pela Furacão 2000, sucessos de artistas variados do funk carioca.
  • Na RedeTV! tem o mesmo programa, mas semanal e vai ao ar para todo Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza e Via Satelite por parabólica) todos os sábados das 15h00 até as 15h30.
  • Na rádio FM O Dia de Segunda a Sexta das 16h00 as 18h00.

Álbuns lançados[editar | editar código-fonte]

Artistas[editar | editar código-fonte]

  • Priscila Nocetti
  • Nath
  • Mc Bruninha
  • Mc Cabide
  • Mr. Pool
  • MC Donald's
  • MC Chicken
  • MC Chicken McJunior
  • MC Chiken Classic Crispy
  • MC Fish
  • MC Nifico Bacon
  • MC Alex
  • Mc Bellot
  • Mc Br da JT
  • Mc Cula
  • Mc Don
  • Mc Bima
  • Mc Decão
  • Mc Rico
  • MC Anitta
  • Mc Kinho
  • Mulekes Assanhados
  • Os Mulekes Piranha
  • Bonde da Osk
  • Mc Velinho
  • Bola de Fogo
  • Mc Geleia
  • Vuk Vuk
  • Rose Bumbum
  • Mulher Jaca
  • Mulher Filé
  • Jonathan Costa
  • Os Hawaianos
  • Gaiola das Popozudas
  • Jaula das Gostozudas
  • MC Dido
  • MC Rael
  • Leandro e as Abusadas
  • Talita
  • Mr. Catra
  • Quebra Tudo
  • Juliana e as Fogosas
  • David Bolado
  • Garota X
  • Marcio G
  • Koringa
  • Kadu e as gatinhas
  • MC Kelvin
  • MC Tevez
  • Bonde do Tigrão
  • Maiquinho
  • Os Ousados
  • Mc Dodo
  • MC Créu
  • MC Smith
  • Fagner Pinheiro
  • MC bo do Catarina
  • Mc Max
  • Menor da Providência
  • Mc Rouba Cena
  • Maysa e as Abusadas
  • Mc Pocahontas
  • Bonde da Madrugada
  • Mc Luan
  • Carol e Parafuso
  • Mc Boom
  • Mc 2D
  • Mc Madimbull
  • Mc Saedi

Referências

  1. a b , Janaína Medeiros Editora Terceiro Nome, Funk carioca: crime ou cultura?: o som dá medo e prazer Coleção Repórter especial, 2006. ISBN 8587556746, 9788587556745
  2. , Silvio Essinger Editora Record, Batidão Uma História Do Funk, 66 e, 2005. ISBN 850107165X

Ligações externas[editar | editar código-fonte]