Síndrome da cauda equina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Síndrome da cauda equina
Cauda equina e filamentos terminais vistos por trás.
Classificação e recursos externos
CID-10 G83.4
CID-9 344.6
DiseasesDB 31115
eMedicine emerg/85 orthoped/39
MeSH C10.668.829.800.750.700
Star of life caution.svg Aviso médico

Síndrome da cauda equina é uma séria condição neurológica na qual há perda aguda da função dos elementos neurológicos (raízes nervosas) do canal espinhal abaixo do cone medular, a terminação da medula espinhal.

Causas[editar | editar código-fonte]

As principais causas são: tumores, lesões, Hérnia de disco, estenose espinhal, cisto de Tarlov, condições inflamatórias, fraturas patológicas (por osteoporose) ou fraturas traumáticas na região da coluna vértebral lombar abaixo do cone medular.

Sintomas[editar | editar código-fonte]

Exame complementar de diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Imagem por ressonância magnética, Radiografia e Tomografia computadorizada complementam aos dados da anamnese e do exame físico.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

O manejo da síndrome da cauda equina verdadeira frequentemente envolve descompressão cirúrgica.

A síndrome da cauda equina de origem súbita é considerada uma emergência médica. A descompressão cirúrgica por meio de laminectomia ou outras abordagens podem ser feitas dentro de 48 horas a partir do desenvolvimento dos sintomas, se for demonstrada uma lesão compressiva, como uma disco rompido, abscesso epidural, tumor ou hematoma. Este tratamento pode melhorar significantemente a chance de se evitar uma lesão neurológica a longo prazo.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. sintomas, 2 de agosto de 2014
Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.