Neurologia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Neurologia é a especialidade médica que trata dos distúrbios estruturais do sistema nervoso [1] . Especificamente, ela lida com o diagnóstico e tratamento de todas as categorias de doenças que envolvem os sistemas nervoso central, periférico e autônomo, incluindo os seus revestimentos, vasos sanguíneos, e todos os tecidos efetores, como os músculos.[2] O correspondente cirúrgico da especialidade é a neurocirurgia.

O neurologista, médico que se especializou em neurologia, é treinado para investigar, diagnosticar e tratar distúrbios neurológicos. O neuropediatra trata doenças neurológicas em crianças. Neurologistas também podem estar envolvidos na pesquisa clínica, ensaios clínicos, bem como em pesquisa de ciências básicas da medicina.

Grupos de doenças da neurologia[editar | editar código-fonte]

Entre as principais doenças abordadas pela especialidade podem-se citar:

Além das doenças mentais de base orgânica ou Neuropsicopatologias. O CID, na 10ª revisão divide as patologias do sistema nervoso em 10 grupos (ver: Capítulo VI: Doenças do sistema nervoso) onde não se incluem os Transtornos mentais orgânicos, inclusive os sintomáticos (F00-F09) e Síndromes comportamentais associadas a disfunções fisiológicas e a fatores físicos (F50-F59); além do Retardo mental (F70-F79) e Transtornos do desenvolvimento psicológico (F80-F89), incluídos no Capítulo V: Transtornos mentais e comportamentais.

Naturalmente esse é um sistema de classificação estatística com fins de análise epidemiológica e/ou de organização de serviços de saúde. Utilizam-se também outras classificações tipo o DSM - Manual Diagnóstico e Estatístico de Desordens Mentais pois a divisão entre transtornos mentais, psicológicos e cerebrais é uma divisão com fins didáticos e de organização do mercado de trabalho dos profissionais de saúde e não há como separar a forma da função de um órgão ou sistema orgânico.

Formação no Brasil[editar | editar código-fonte]

Para se obter o título de Médico especialista em Neurologia no Brasil, é necessário, após a graduação em Medicina, cumprir integralmente o programa de residência médica reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) ou realizar estágio em instituição reconhecida, com duração de 3 anos, e após, prestar prova no concurso promovido pela Academia Brasileira de Neurologia.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Um caso fascinante é relatado pelo neurocientista português António Damásio no seu livro "O Erro de Descartes" a respeito de Phineas Gage, um capataz de construção civil na Nova Inglaterra que, em 1848, teve um acidente no qual um bastão de ferro lhe entra pela face esquerda, trespassando a base do crânio e destruindo-lhe a parte anterior do cérebro, porém sobreviveu. Através dos relatos a respeito da mudança de personalidade de Gage, os neurologistas ainda hoje retiram daí ilações sobre a fisiologia cerebral.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Brasil:

Portugal:

Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.