Síntese da piridina de Hantzsch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A síntese da piridina de Hantzsch ou síntese da diidropiridina de Hantzsch é uma reação orgânica multicomponente entre um aldeído como o formaldeído, 2 equivalentes de um β-cetoéster como o acetoacetato de etila e um doador de nitrogênio como o acetato de amônio ou amônia.[1] O produto inicial da reação é uma diidropiridina que pode ser oxidada em uma etapa subsequente a uma piridina. A força motora desta segunda reação é a aromatização. Esta reação foi relatada em 1881 por Arthur Rudolf Hantzsch.

O 1,4-diidropiridina-dicarboxilato é também chamado composto 1,4-DHP ou composto de Hantzsch. Esses compostos são uma classe importante de bloqueadores dos canais de cálcio e como tais comercializados por exemplo em nifedipino, anlodipino ou nimodipino.

Foi demonstrado que a reação ocorre tendo como solvente a água e com aromatização direta por cloreto férrico ou permanganato de potássio em uma síntese monotópica.[2]

Reação de Hantzsch com acetato de amônio, acetoacetato de etila, formaldeído e cloreto férrico

A síntese da diidropiridina de Hantzsch também se beneficia da química de microondas.[3]

Modificação de Knoevenagel-Fries[editar | editar código-fonte]

A modificação de Knoevenagel-Fries permite a sintese de compostos de piridina assimétricos.[4]

Referências

  1. Hantzsch, A.. (1881). "Condensationprodukte aus Aldehydammoniak und Ketoniartigen Verbindungen". Chemische Berichte 14 (2): 1637–1638. DOI:10.1002/cber.18810140214.
  2. Jing-Jing Xia, Guan-Wu Wang. (2005). "One-Pot Synthesis and Aromatization of 1,4-Dihydropyridines in Refluxing Water" (abstract). Synthesis 2005 (14): 2379–2383. DOI:10.1055/s-2005-870022.
  3. Jean Jacques Vanden Eynde, Annie Mayence. (2003). "Synthesis and Aromatization of Hantzsch 1,4-Dihydropyridines under Microwave Irradiation. An Overview". Molecules 8.
  4. Synthesen in der Pyridinreihe. Ueber eine Erweiterung der Hantzsch'schen Dihydropyridinsynthese Berichte der deutschen chemischen Gesellschaft 1898 (p 761-767) E. Knoevenagel, A. Fries DOI:10.1002/cber.189803101157