Sandra Moreyra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Sandra Maria Moreyra (Rio de Janeiro, 28 de agosto de 1954) é uma jornalista brasileira, que trabalha na Rede Globo e no RJTV.

É neta da jornalista Eugênia Moreyra e do poeta Álvaro Moreyra, filha do cronista esportivo Sandro Moreyra e mãe da também jornalista Cecilia Moreyra. Formou-se em jornalismo pela UFF. Já trabalhou como repórter, apresentadora, diretora de programação e editora. Nos anos 2000, apresentou a coluna de gastronomia Arte da Mesa, no Bom Dia Brasil . [1] .

Começou no jornalismo em 1975, fez reportagens para o Jornal do Brasil e trabalha em televisão desde 1981.[2]

Dentre seus trabalhos na televisão destaca-se o especial 1808 - A corte no Brasil, uma série de reportagens sobre os 200 anos da mudança da corte portuguesa ao Brasil.[3] [4] .

No cinema, Sandra Moreyra trabalhou como roteirista do documentário 70 (2013), da diretora Emília Silveira. O filme refere-se a um episódio ocorrido no auge da ditadura militar do Brasil, quando um grupo de 70 presos políticos foi libertado e banido do país, em troca da libertação do embaixador suíço, Giovanni Enrico Bucher, que havia sido sequestrado por guerrilheiros da Vanguarda Popular Revolucionária.[5] [6] [7]

Em agosto de 2013, a jornalista usou sua página no Facebook para anunciar que lutava contra um câncer de esôfago. [8] Em janeiro de 2014, foi submetida a uma cirurgia para a retirada do tumor.[9] Em setembro de 2014, voltou ao trabalho na TV Globo.[10] [11]

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.