Sofia Paleólogo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sofia Paleólogo
Grã-duquesa de Moscovo
S.paleolog reconstruction01.jpg
Governo
Reinado 12 de novembro de 1472
7 de abril de 1503
Consorte Ivã III da Rússia
Dinastia Dinastia paleóloga
Vida
Nome de nascimento Ζωή Παλαιολογίνα
Nascimento 1455
Morte 7 de abril de 1503
Sepultamento Convento da Ascensão
Kolomenskoye
Catedral de Arcanjo, Kremlin de Moscovo (1929)
Filhos Basílio III
Iuri
Demétrio Ivanovich
Simeão Ivanovich
André Ivanovich
Alena Ivanovna
Feadósia Ivanovna
Eudácia Ivanovna
Pai Tomás Paleólogo
Mãe Catarina Zaccaria

Zoe Paleólogo (em grego: Ζωή Παλαιολογίνα), que mais tarde alterou o seu nome para Sofia Paleólogo (em russo: София Фоминична Палеолог); nasceu entre 1440 e 1449[1] ou 1455 e morreu a 7 de abril de 1503), foi grã-duquesa de Moscovo.[2] Sobrinha do último imperador bizantino Constantino XI Paleólogo , foi segunda esposa de Ivã III da Rússia e avó de Ivã IV, o Terrível.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O seu pai foi Tomás Paleólogo. Juntamente com os seus irmãos, Sofia foi levada para Roma depois da conquista de Moreia (Peloponeso) levada a cabo por Mehmed II, sultão do Império Otomano, no ano de 1460. Em Roma o seu nome grego Zoe foi modificado para Sofia.[1]

Em 1469, o Papa Paulo II ofereceu-a como esposa ao monarca russo, com propósito de unir as igrejas católica e otodoxa. O príncipe Ivã III da Rússia, viúvo do seu primeiro casamento, casou-se com ela na Catedral da Dormição, de Moscovo a 12 de novembro de 1472. Apesar de tudo, o cardeal Basílio Bessarion, enviado pelo Papa de Moscovo, não teve êxito na missão de converter a política religiosa moscovita.[1]

Ao longo dos anos, Sofia foi ganhando influência nas decisões do marido já idoso.[1] Acredita-se inclusive que Sofia tenha sido a primeira a introduzir em Kremlin, regras de etiqueta e cortesia em cerimónias bizantinas, com o intuito de converter Moscovo numa eventual "Terceira Roma". Pouco antes de sua morte, Sofia persuadiu o marido a ceder o trono ao seu filho Basílio III, ao invés do seu neto Dmitry Ivanovich, como havia sido anteriormente planeado. O seu último descendente conhecido, Maria de Staritsa, esposa do rei Magno de Livónia, faleceu em 1610.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e de Madariaga, Isabel (2008) (em Swedish), Ivan den förskräcklige .
  2. Sofìa Paleologo (russo Sof´ja Paleolog) granduchessa di Mosca (em italiano) treccani.it. Página visitada em 12 de setembro de 2013.