Basílio Bessarion

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bessarion
Cardeal da Santa Igreja Romana
Patriarca Latino de Constantinopla
Justus van Gent e Pedro Berruguete, Le cardinal Bessarion (Les Hommes Illustres)

Título

Cardeal-bispo de Sabina
Cardeal-presbítero de Santos XII Apóstolos
Ordenação e Nomeação
Ordenação Episcopal 11 de novembro de 1437
Sabina
Nomeado Patriarca 21 de outubro de 1449
Cardinalato
Criação 18 de dezembro de 1439, pelo Papa Eugênio IV
Brasão
CardinalCoA PioM.svg
Dados Pessoais
Nascimento Komnenos-Trebizond-Arms.svg Trebizonda
2 de janeiro de 1403
Falecimento Estados Pontifícios Ravena
18 de novembro de 1472 (69 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Basílio Bessarion (Johannes Bessarion, grego: Βασίλειος Βησσαρίων[1] ; Trebizonda, 2 de janeiro de 1403 - Ravena, 18 de novembro de 1472) foi um clérigo e erudito bizantino, arcebispo de Niceia, Patriarca latino de Constantinopla e cardeal da Igreja Católica Romana. Participou nos concílios de Ferrara e Florência defendendo a União das Igrejas católica ortodoxa e católica romana.

Realizou traduções das obras de Aristóteles e Teofrasto, e defendeu a não contradição entre as filosofias aristotélica e platônica.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nascido com o nome de João, numa data entre 1389, 1395 e 1403. Educado em Constantinopla, em 1423 mudou-se para Mistra, em Moreia, para acudir às aulas de Gemistus Pletho. Frente às acusações do aristotélico Jorge de Trebizonda que apresentava Platão como incompatível com o cristianismo, como de vida descuidada e como pouco sábio, escreveu na sua defesa In calumniatorem Platonis, sem atacar a figura de Aristóteles, a quem mostrou um grande respeito, mas defendendo a Platão e mostrando a sua predileção por ele.

Em 1423 entrou na Ordem de São Basílio, adotando o nome monástico de Bessarion (um antigo anacoreta egípcio). Ordenado presbítero em 1431, já em 1436 foi designado hegúmeno de um mosteiro basiliano, e no ano seguinte o imperador João VIII Paleólogo nomeou-o arcebispo de Niceia. Acompanhou o Imperador a Itália na sua tentativa de reunir as Igrejas Ortodoxa e Romana e pôr fim ao cisma de 1054. Entre 1438 e 1439 participou no Concílio de Basileia, nessa época transladado para Ferrara e logo para Florência. Bessarion apoiou a união e ganhou o favor do Papa Eugênio IV, que o investiu cardeal a 18 de dezembro de 1439.

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

Recebeu o barrete cardinalício e o título de Cardeal-presbítero de Santos XII Apóstolos em 8 de janeiro de 1440. Foi redator, junto a Ambrósio Traversario, do decreto de Florência e Ferrara no qual se estabelecia o fim do cisma.

Desempenhou sucessivamente o arcebispado de Siponto e as sedes suburbicárias de Sabina e Frascati. Proposto para Papa à morte de Nicolau V em 1455, não resultou eleito.

Em 1449 foi nomeado Patriarca Latino de Jerusalém, cargo que exerceu até 1458, quando foi nomeado administrador apostólico da Diocese de Pamplona, na Espanha, encarregando-se da gestão o seu Vigário-Geral, Juan de Michaelis. Em 1463 foi designado Patriarca Latino de Constantinopla, por nomeação do Papa Pio II, sucedendo o anterior Patriarca, Isidoro de Kiev (1458-1462), já falecido.

Bessarion foi um dos cardeais encarregados da causa de canonização de Bernardino de Siena em 1449, que foi canonizado no ano seguinte. Foi para Narni com os cardeais Alessandro Oliva, O.E.S.A. e Enea Silvio Piccolomini para trazer o crânio do Apóstolo Santo André para Roma, chegando em 12 de abril de 1462 em Ponte Molle, onde o Papa Pio II tomou, e o trouxe no dia seguinte para a basílica Patriarcal do Vaticano.

Bessarion teve uma das maiores bibliotecas da sua época. Doou mais de 800 códices gregos e bizantinos à República de Veneza, ao ser relevado em julho de 1462 da Sede Episcopal de Pamplona pelo bispo Nicolás de Echávarri. Atualmente os manuscritos de Bessarion formam um dos legados mais importantes da Biblioteca Marciana em Veneza.

Em novembro de 1464, juntamente com os cardeais Guillaume d'Estouteville e Juan Carvajal, foi nomeado comissário da Santa Cruzada.

Os seus trabalhos para evitar o empuxo do Império Otomano na Europa estiveram sempre muito relacionados à estratégia militar e diplomática nos reinos europeus do Centro e o Oeste da Europa do Cardeal Juan Carvajal. Ainda tentou promover a união da Igreja Católica com a Igreja Ortodoxa Russa com o casamento de Ivan III com a filha de Tomás Paleólogo, Sofia Paleólogo.

Amigo e benfeitor dos sábios, a quem ele deixou muitos de seus livros, ele traduziu para o latim as obras de muitos autores gregos, assim como várias obras de teologia, filosofia e literatura, nomeadamente "Defesa de Platão" em 1469, que tinha uma grande influência. Sua vida, escrita por Luigi Bandini, foi publicada em Roma em 1777.

Conclaves[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Na verdade, Bessarion era seu nome monástico, e não um sobrenome.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Basílio Bessarion
Precedido por
Hardouin de Bueil
Archbishop CoA PioM.svg
Arcebispo-titular de Niceia

14371440
Sucedido por
Jean de Prangins
Precedido por
Simone Atomano, O.S.B.I.
Archbishop CoA PioM.svg
Arcebispo-titular de Tebas

14401449
Sucedido por
Carlo Domenico de Carretto
Precedido por
Louis de Bar
Cardeal
Cardeal-presbítero de
Santos XII Apóstolos

14401449
in commendam até 1472
Sucedido por
Clemente Grosso, O.F.M. Conv.
Precedido por:
Branda Castiglione
Cardeal
Cardeal-bispo de Sabina

1449
14681472
Seguido por:
Amadeu de Savoie
Precedido por:
Juan de Torquemada, O.P.
Seguido por:
Alain de Coëtivy
Precedido por
Giuliano Cesarini
Cardeal
Cardeal-bispo de Frascati

14491468
Sucedido por
Latino Orsini
Precedido por
Christophorus Garatoni
PatriarchNonCardinal PioM.svg
Patriarca Latino de Jerusalém

14491458
Sucedido por
Lorenzo Zane
Precedido por
Isidoro de Kiev
PatriarchNonCardinal PioM.svg
Patriarca Latino de Constantinopla

14631472
Sucedido por
Pietro Riario, O.F.M. Conv.