Tito Dídio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Torre Ciega de Cartagena, provável monumento sepulcral do procônsul Tito Dídio.

Tito Dídio (em latim Titus Didius) (? — 11 de junho de 89 a.C.[1] ) foi um general romano que viveu entre os séculos II e I a.C.

Venceu os Escorcidos, que invadiram a província romana da Macedônia, obtendo por essa vitória as honras do triunfo em 114 a.C.

Segundo Cícero, em 98 a.C. foi eleito cônsul com Quinto Cecílio Metelo e juntos fizeram aprovar a lei Cecilia Didia.

Mais tarde obteve o proconsulado da Hispânia, no qual Tito Dídio utilizou como legado maior ao que depois se converteu num brilhante general da República Romana, Quinto Sertório, atingindo algumas vantagens entre os Celtiberos em vários combates, mencionados por Apiano, conquistando o ópido arévaco de Termes (atualmente Tiermes, Sória) e obrigando os seus habitantes a baixar a viver na planície próxima a esta cidade. Tomou também parte na Guerra Mársica, onde foi morto em 89 a.C.

Sua tumba provavelmente esteja situada em Cartagena, onde é conhecida com o nome de Torre Ciega.

Referências

  1. Broughton, Robert. The Magistrates of the Roman Republic.

Este texto foi extraído do tomo 18 da Enciclopedia Universal Ilustrada Europeo-Americana (Espasa) (domínio público).

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Tito Didio».
Precedido por
Marco Antônio o Orador e Aulo Postúmio Albino
Cônsul da República Romana
junto com Quinto Cecílio Metelo Nepote

98 a.C.
Sucedido por
Cneu Cornélio Léntulo e Públio Licínio Crasso Dives