Ungulani Ba Ka Khosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ungulani Ba Ka Khosa (pseudónimo de Francisco Esaú Cossa), (Inhaminga, 1 de Agosto de 1957) é um escritor e professor de Moçambique 1 .

Carreira profissional[editar | editar código-fonte]

Khosa fez o ensino primário na provincia de Sofala e o ensino secundário, parte em Lourenço Marques e parte na Zambézia. Em Maputo tira o bacharelato em História e Geografia na Faculdade de Educação da Universidade Eduardo Mondlane e exerceu a função de professor do ensino secundário.

Em 1982 trabalha para o Ministério da Educação durante um ano e meio. Seis meses depois de ter saído do Ministério da Educação é convidado para trabalhar na Associação dos Escritores Moçambicanos (AEMO), da qual é membro.

Iniciou a sua carreira como escritor com a publicação de vários contos e participou na fundação da revista Charrua da AEMO.

Foi a realidade vivida em Niassa e Cabo Delgado, onde existiam as zonas de campos de reeducação que eram mal organizadas, que o fez inclinar mais para a literatura e, por isso, sentiu a necessidade de escrever para falar e expor essa realidade para as pessoas.

Influências Literárias[editar | editar código-fonte]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Chabal, Patrick. The Post-Colonial Literature of Lusophone Africa. London: Hurst & Company, 1996. Print.
  • Chabal, Patrick. Vozes Moçambicanas literatura e nacionalidade. Lisboa: Vega, 1994. Print.
  • Khosa, Ungulani Ba Ka. Ualalapi. 2nd ed. Lisboa: Editoral Caminho, 1990. Print.
  • Laranjeira, Pires. Literaturas africanas de expressao portuguesa. Lisboa: Universidade Aberta, 1995. Print.
  • Leite, Ana Mafalda. Oralidades e Escritas nas Literaturas Africanas: Ualalapi, Ungulani Ba Ka Kosa. Lisboa: Colibri, 1998. Print.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.