Viação Redentor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Viação Redentor
Redentor.png
Tipo Privada
Fundação 24 de junho de 1950
Sede Brasil Brasil
Produtos Transporte urbano de Passageiro e turismo

Viação Redentor é uma empresa brasileira de transporte coletivo urbano da cidade do Rio de Janeiro.

No dia 24 de junho de 1950, (num sábado, dia de abertura da copa do mundo no Brasil com a partida entre Brasil e México, no recém-inaugurado Maracanã), nascia a Viação Redentor. Sua 1ª sede era na Estr. Intendente Magalhães 712, Campinho. Incialmente, possuía aprox. 17 funcionários numa frota de seis carros, formada de 04 Berliet e 02 Chevrolet importados. Antigos registros associados com relatos históricos apontam que no início, a Redentor operou a linha S-16 - Cascadura x Escola de Aviação (Av. Ernani Cardoso, Lgo do Campinho, Estr. Int. Magalhães até a Estr. Marechal Mallet). Já em 1955, esta linha S-16 foi estendida até Bangu, mudando para o n° S-18 (tempos depois teve outra mudança para S-12) . Outra linha operada pela empresa foi a S-17 - Cascadura x Campo Grande (via Pça Montese e Pça Gen. Aranha) e também, a linha S-27 – Cascadura x Anchieta.

Com as determinações do governo Carlos Lacerda, no início dos anos 60, a Redentor (que tinha ônibus na frota) acabou sendo transferida para a Zona Sul para substituir as linhas de lotação, São Salvador x Leblon (via Jóquei) e São Salvador x Leblon (via Copacabana) que logo depois foram para a Viação Palácio (545XX). Em 1964, a Redentor foi transferida novamente, dessa vez, para Jacarepaguá, onde nunca mais saiu.

A Redentor pegou uma única e longa linha, Candelária x Freguesia (via Bonsucesso), logo denominada de 267 (e alterada para Lgo. São Francisco “via Méier”). A seguir inaugura a linha 266 - Lgo de São Francisco x Taquara. Vale ressaltar que estes “trajetos” foram explorados, anteriormente, com outra numeração (254 e 255) pela Viação Taquara S/A (495XX), que foi “obrigada” a ir para a zona sul. Em 1967, a empresa possuía 32 carros, porém com a promulgação de 1968, a Redentor deu um salto empreendedor muito grande, absorvendo duas empresas de uma só vez, 31 carros da Viação Cisiotar Ltda; com as linhas 636 – Pça. S.Pena x Gardênia Azul e 748 – Cascadura x Barra, e 15 carros da N.S. do Loreto, com a linha 766 - Freguesia x Pavuna.

Em 1969 é criada a linha 750 - Cidade de Deus x Barra da Tijuca, com acréscimo de frota de 20 carros, totalizando assim, 98 carros. A expansão continuou nos anos 70, com a aquisição da Viação Ocidental e seus 88 carros, daí por diante a empresa prosperou em linhas e frota (inclusive com os famosos "frescões"), se tornando assim, uma das maiores empresas do município do Rio de Janeiro.

No início de 1986, a empresa foi encampada pelo então governador Leonel Brizola. Um ano depois, o sucessor de Brizola (Moreira Franco) devolve a companhia à iniciativa privada.

Em 1991, Iniciou-se um processo de cisão, o que deu origem ao chamado Grupo Redentor, formado pelas empresas: Transportes Barra, Transportes Futuro, Litoral Rio Transportes e a própria Viação Redentor. A Litoral Rio se separou do grupo em 2005, na qual se tornou uma empresa independente. A Viação Redentor passou a atuar dentro do Consórcio Transcarioca, sendo inclusive, a empresa lider.

Permanecendo o chamado então [(GRUPO REDENTOR)] composto da própria [(VIAÇÃO REDENTOR)], [(TRANSPORTES BARRA)] e TRANSPORTES FUTURO.

A mesma atua na ligação da região da Barra da Tijuca e Jacarepaguá aos bairros do Centro, Grande Tijuca e Grande Méier.

A Viação Redentor passou a atuar dentro do Consórcio Transcarioca, sendo um de seus diretores, Presidente do Consórcio TRANSCARIOCA.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]