África Eco Race

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
África Eco Race
Primeira edição 2009
Edição atual África Eco Race de 2016
Período Dez a Jan
Local(is) Norte de África
Gênero Rali-Raid
Classificação Internacional
Patrocínio Sonangol
Página oficial http://www.africarace.com
"De Rooy" truck in Tijirit, Mauritania during a 2009 Africa Race.

A África Eco Race é um rali-raid internacional criada pela vontade de manter o espírito do Rali Dakar após o cancelamento da edição de 2008 e mudança da prova para a América do Sul.[1]

Este rali inovou ao dar especial enfoque nas questões de segurança e desenvolvimento sustentável. Além do aspecto desportivo, o rali tem como objectivo colocar ênfase na consciência individual sobre eco-responsabilidade.[2]

Os acampamentos são escolhidos longe das cidades e terminais de aeroportos, os concorrentes encontram-se em pleno deserto, longe de tudo, deixados a si mesmos. Ajuda mútua, solidariedade e convívio são as palavras que ocorrem com freqüência na boca de quem viveu esta aventura[3].

Descrição[editar | editar código-fonte]

Percurso da edição de 2012

O Rali África Eco Race, destina-se a amadores e profissionais, desenrolando por mais de 6500 km, durante 11 etapas[4]. A corrida atravessa os territórios de Marrocos, Mauritânia e Senegal.

Edições[editar | editar código-fonte]

2009 -A 1ª edição da então designada Africa Race partiu de Marselha a 26 de dezembro 2008. As verificações técnicas e administrativas ocorreram em 26 e 27 de dezembro, o prólogo teve lugar em 28 de dezembro, seguido por embarque e chegada a Nador, em Marrocos a 30 dezembro.

2010 - A segunda edição da Africa Eco Race partiu de Portimão, Portugal onde tiveram lugar as verificações administrativas e técnicas, a 27 e 28 de Dezembro de 2009, precedidos por um shakedown, em que os competidores puderam apresentar seus veículos.

2011 - A terceira edição decorreu de 27 dezembro de 2010 a 9 de Janeiro de 2011. A largada foi dada no Château De Lastours e chegada, como de costume, em Dakar, capital do Senegal. Esta edição foi a terceira vitória em três edições de Jean-Louis Schlesser nos automóveis, de Willy Jobard numa KTM híbrida na categoria de Moto e Checo Tomas Tomecek num MAN em camiões.

2012- A quarta edição iniciou-se a 27 de dezembro de 2011 com partida em Saint Cyprien e chegada a Dakar a 8 de janeiro de 2012. Quarta vitória para Jean-Louis Schlesser num buggy construído por ele mesmo. Título de Motos para Oscar Polli com uma KTM e a categoria de camiões foi ganha por Tomáš Tomeček que obteve um segundo lugar na classificação geral.

2013 - A quinta edição teve a sua partida em 28 de dezembro de 2012 em Saint-Cyprien para chegar às margens do Lago Rosa, em Dakar no dia 9 de janeiro de 2013. Quinta vitória de Jean-Louis Schlesser no seu buggy. Título de Motos para Martin Fontyn e a categoria de camiões foi ganha por Anton Shibalov com seu Kamaz que terminou em segundo na geral, à frente de Tomáš Tomeček e do seu Tatra.

2014 - A sexta edição teve a sua partida 29 de dezembro de 2013 em Saint-Cyprien chegando às margens do Lago Rosa, em Dakar a 11 de janeiro de 2014. Sexta vitória consecutiva para Jean-Louis Schlesser no seu buggy, navegado por Thierry Magnaldi. Título de Motos para Michael Pisano com uma Honda 450cc e Tomáš Tomeček levou o título de camiões com um Tatra.

2015 - A primeira edição sem Jean-Louis Schlesser e na qual se assistiu ao regresso da equipa oficial da Kamaz, incluindo um camião de locomoção hibrída. Jean Antoine Sabatier venceu nos carros com o seu Bugga One, o antigo piloto do Rali Dakar, Pål Anders Ullevålseter dominou nas motos enquanto Anton Shibalov levou o seu Kamaz convencional à vitória.

2016 - Esta edição teve como ponto de partida o Principado do Mónaco. Paul Ullevalseter (KTM) e Anton Shibalov (Kamaz) dominaram completamente a prova em motos e camiões, enquanto Kanat Shagirov venceu nos automóveis com a sua Toyota Overdrive.

Ambiente e Desenvolvimento Sustentável[editar | editar código-fonte]

Tanto os participantes como a organização assumem como compromisso o cuidado de não deixar vestígios de sua passagem nocivos através dos países. Uma série de projetos terá como objectivo a utilização de recursos renováveis, a fim de uma contribuição de longo prazo para a vida dos habitantes nas áreas mais remotas dos vários países que a corrida vai atravessar. Estas ações serão tangíveis e duradouras.

A organização está liderando o caminho, dando a todos os participantes kits de talheres reutilizáveis ​​para todo o evento. Alguns veículos da organização são equipados com a painéis solares para usar a energia armazenada durante todo o dia para levar a cabo as suas missões.

A organização do Africa Eco Race criou também dois projetos de produção de energia eléctrica através de painéis fotovoltaicos na Mauritânia para alimentar uma escola em Nouakchott e uma biblioteca em Chinguetti[5].

Para o meio ambiente, foi criada uma categoria composta por veículos experimentais movidos a Energia renovável, concebidos para testar em larga escala e em condições extremas, a fiabilidade, potência, força e resistência destes veículos[6].

Em 2011 a África Eco Race financiou a plantação de 3000 eucaliptos autóctones Nouakchott na Mauritânia[7][8]

Veículos e categorias[editar | editar código-fonte]

Passageem de um Buggy, zona de Tijirit na Mauritânia durante a África Race 2009.

As 3 principais categorias são os Automóveis, Motos e Camiões

  • Motos : classe 450 cm³, até 450 cm³, classe Open (acima de 450 cm³) e quad's ;
  • Automóveis e camiões : T1 (todo-terreno modificados), T2 (todo-terreno de série), Categoria Open e T4 (camiões todo-terreno) ;
  • Grupo "experimental": veículos movido a Energia renovável criados especificamente para o rali, com uma classificação própria por quilómetros percorridos.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Embora o Africa Eco Race não tenha qualquer incidente a lamentar qualquer durante as primeiras quatro edições, o automobilismo em geral, e a organização do Paris-Dakar em particular, desenvolveram movimentos oposição. Essas críticas são de vários tipos:

  • A falta de segurança na rota de Paris-Dakar, com fatalidades entre os espectadores africanos, incluindo Boubacar Diallo (Guineense de 10 anos,falecido a 13 de janeiro de 2006) e Ndaw Mohamed (senegalês 12 anos, falecido a 14 janeiro de 2006), no Rali Dakar de 2006[9]. Um grupo (o Cavad) originalmente criado para se opôr ao Paris-Dakar também tomou uma posição oficial contra a 'África Eco Race [10].
  • A questão da segurança dos participantes do rali foi levantada em vários países (incluindo Marrocos e Senegal) e Mauritânia em particular (que, após o assassinato de muitos turistas e ameaças terroristas, havia estado na origem do cancelamento do Paris-Dakar em 2008 e levou o rali para a América do Sul. O organizador do rali afirmou, no entanto, beneficiar do apoio das autoridades da Mauritânia[11] : Citação: Le Maroc, la Mauritanie et le Sénégal m’ont sollicité en mars 2008, à la suite de ces événements pour réfléchir à l’organisation d’une autre épreuve..

Lista de vencedores[editar | editar código-fonte]

Ano Trajecto Carros Motos Camiões
Piloto Marca Piloto Marca Piloto Marca
2019 MónacoMonaco
MarrocosNador
SenegalDakar
França Jean Pierre Strugo
França François Borsotto
Optimus MD Itália Alessandro Botturi Yamaha Portugal Elisabete Jacinto
Portugal José Marques
Portugal Marco Cochinho
MAN
2018 MónacoMonaco
MarrocosNador
SenegalDakar
França Mathieu Serradori
França Fabian Lurquin
LCR 30 Itália Paolo Ceci KTM Países Baixos Gerard de Rooy
Países Baixos Darek Rodewald
Países Baixos Moi Torrellardona
Iveco
2017 MónacoMonaco
MarrocosNador
SenegalDakar
Rússia Vladimir Vasilyev
Rússia Konstantin Zhiltsov
Mini África do Sul Gev Sella KTM Rússia Andrey Karginov
Rússia Andrey Mokeev
Rússia Dmitrii Nikitin
Kamaz
2016 MónacoMónaco
MarrocosNador
SenegalDakar
Cazaquistão Kanat Shagirov
Cazaquistão Vitaliy Yevtyekhov
Toyota Hilux Overdrive Noruega Pål Anders Ullevålseter KTM Rússia Anton Shibalov
Rússia Robert Amatych
Rússia Almaz Khisamiev
Kamaz
2015 FrançaSaint-Cyprien
MarrocosNador
SenegalDakar
França Jean Antoine Sabatier
França Jean-Luc Rojat
Bugga One Noruega Pål Anders Ullevålseter KTM Rússia Anton Shibalov
Rússia Robert Amatych
Rússia Almaz Khisamiev
Kamaz
2014 FrançaSaint-Cyprien
MarrocosNador
SenegalDakar
França Jean-Louis Schlesser
França Thierry Magnaldi
Schlesser-Renault Buggy França Michael Pisano Honda República Checa Tomas Tomecek
República Checa Vojtech Moravek
Tatra
2013 FrançaSaint-Cyprien
MarrocosNador
SenegalDakar
França Jean-Louis Schlesser
França Cyril Esquirol
Schlesser-Renault Buggy Bélgica Martin Fontyn KTM Rússia Anton Shibalov
Rússia Evgeny Yakovlev
Rússia Dmitry Sotnikov
Kamaz
2012 FrançaSaint-Cyprien
MarrocosNador
SenegalDakar
França Jean-Louis Schlesser
França Cyril Esquirol
Schlesser-Renault Buggy Itália Oscar Polli KTM República Checa Tomas Tomecek Tatra
2011 FrançaChateau Lastour-
SenegalDakar
França Jean-Louis Schlesser
França Cyril Esquirol
Schlesser-Renault Buggy França Willy Jobard KTM Híbrida República Checa Tomas Tomecek MAN
2010 PortugalPortimão
MarrocosAgadir-
SenegalDakar
França Jean-Louis Schlesser
França Cyril Esquirol
Schlesser-Renault Buggy Itália Marco Capodacqua KTM Hungria Miklos Kovacs Scania
2009 FrançaMarselha
SenegalDakar
França Jean-Louis Schlesser
França Cyril Esquirol
Schlesser-Renault Buggy Espanha Josè Manuel Pellicer BMW 450 X Países Baixos Jan de Rooy Iveco

Lista de participantes portugueses[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]