3D (álbum de TLC)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
3D
Álbum de estúdio de TLC
Lançamento 10 de outubro de 2002 (2002-10-10)
Gravação 2001—02
Gênero(s)
Duração 49:32
Idioma(s) (em inglês)
Gravadora(s) Arista
Produção
Cronologia de TLC
FanMail
(1999)
Now & Forever the Hits
(2003)
Singles de 3D
  1. "Girl Talk"
    Lançamento: 6 de junho de 2002 (2002-06-06)
  2. "Hands Up"
    Lançamento: 5 de novembro de 2002 (2002-11-05)
  3. "Damaged"
    Lançamento: 4 de junho de 2003 (2003-06-04)

3D é o quarto álbum de estúdio do girl group americano TLC. Foi lançado pela Arista Records em 10 de outubro de 2002 na Europa, e em 12 de novembro de 2002, nos Estados Unidos, sete meses após a morte de Lisa "Left Eye" Lopes. O álbum estreou no número seis na Billboard 200, e no número quatro no Top R&B/Hip-Hop Albums,[2] vendendo 143.000 cópias vendidas em sua primeira semana de lançamento e foi recebido com críticas positivas. O álbum quase vendeu dois milhões nos Estados Unidos sozinho. 3D deu ao TLC duas nomeações no Grammy Award, e o álbum foi certificado como Platina pela RIAA em 2002.[3] 3D produziu 3 singles. Os singles foram "Girl Talk", com um pico de 3 na parada US Hot R&B/Hip-Hop Songs; "Hands Up", que alcançou o 7º lugar na parada de singles Bubbling Under R&B/Hip-Hop Singles e "Damaged", que conseguiu chegar ao 19º lugar no Top 40 dos EUA .

Antecedentes e Informações[editar | editar código-fonte]

Durante e após o lançamento do FanMail, Lopes deu ao conhecimento da imprensa em várias ocasiões que sentia que não conseguia se expressar totalmente trabalhando com o TLC e Austin. Suas contribuições para as músicas foram reduzidas a raps periódicos de oito compassos, e as cantoras de estúdio, como Debra Killings, frequentemente ocupavam seu lugar nos vocais de fundo das músicas do grupo. Em sua edição de 28 de novembro de 1999, a Entertainment Weekly publicou uma carta de Lopes que desafiou seus companheiros de grupo a gravar álbuns solo e deixar os fãs julgar qual das três era a mais talentosa:

T-Boz e Chilli se recusaram a aceitar "O Desafio",[5] embora Lopes sempre tenha considerado uma ótima ideia. As coisas foram aquecidas entre as cantoras durante algum tempo, com Thomas falando contra Lopes, chamando-a de "egoísta", "malvada" e "sem coração".[6] O TLC, em seguida, abordou essas lutas, dizendo que elas eram muito parecidas como irmãs que têm suas divergências de vez em quando; como Lisa afirmou: "É mais profundo do que um relacionamento de trabalho. Temos sentimentos uma pela outra, e é por isso que ficamos tão bravas uma com a outra. Costumo dizer que você não pode odiar alguém a menos que você ame. Então, nós nos amamos. Esse é o problema." As cantoras acabaram resolvendo os atritos, e “O Desafio” nunca foi aceito. No entanto, as cantoras, tiraram algum tempo e perseguiram interesses pessoais. Lopes foi a primeira a gravar seu álbum solo, Supernova, mas teve um desempenho internacional inferior e nunca foi lançado nos Estados Unidos.

Durante este período de tempo, afirmou-se por Thomas que ela tinha começado a trabalhar em um projeto solo e tinha percebido que os rumores do fim do TLC foram assuntos na mídia. Foi então que Thomas ligou para o diretor da LaFace, LA Reid, para discutir sobre o trabalho no quarto álbum de estúdio do TLC. Depois de entrar em contato com Watkins, e logo após, Lopes, as sessões para 3D começaram no outono de 2001. No entanto, logo após a gravação, as sessões foram interrompidas, quando Lopes começou a trabalhar em seu segundo álbum de estúdio, conhecido como N.I.N.A (New Identity Non Applicable), e como Watkins foi hospitalizada em janeiro de 2002 devido a complicações decorrentes de sua luta contra a anemia falciforme, Lopes acabou visitando Watkins no hospital e voltou ao estúdio para gravar raps para 3D.[7] Em abril de 2002, quando a condição de Watkins melhorou muito, Lopes viajou para Honduras para fazer um trabalho missionário e também gravar um documentário sobre sua vida.

Em 25 de abril de 2002, Lopes foi morta em um acidente de carro, deixando para trás o material que ela gravou para NINA e 3D. Ela tinha 30 anos de idade. Watkins e Thomas decidiu usar três dos raps gravados recentemente por Lopes para o álbum (Quickie, Girl Talk, e Who's It Gonna Be), as outras músicas que apresentam la no que fosse acapellas inéditas de suas sessões do álbum Supernova e Nina. Os vocais inéditos foram apresentados nas músicas Quickie, Over Me e Give It To Me While It’s Hot.

Watkins e Thomas decidiram que completariam o restante de seu quarto álbum, a ser chamado de 3D, que contou com produção de Rodney Jerkins, Os Neptunes, Raphael Saadiq, Missy Elliott e Timbaland. A decisão também foi tomada de que o TLC continuaria como um duo, em vez de substituir Lopes, e anunciaram em 2009 que possivelmente começariam a gravar um quinto álbum de estúdio, mas ainda se recusaram a substituir Lopes.[8]

Recepção crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 71/100[9]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4 de 5 estrelas.[10]
Blender 4 de 5 estrelas.[11]
Entertainment.ie 4 de 5 estrelas.[12]
Entertainment Weekly B[1]
Slant 2.5 de 5 estrelas.[13]
Rolling Stone 4 de 5 estrelas.[14]
Vibe 3.5 de 5 estrelas.[15]

Após o lançamento, o 3D recebeu críticas em sua maioria positivas de críticos de música. No Metacritic, que atribui uma nota média ponderada de 100 a críticas de críticos de música, o álbum recebeu uma pontuação média de 71, que indica "avaliações em sua maioria favoráveis", com base em 14 avaliações.[9] Stephen Thomas Erlewine da Allmusic, elogiou o álbum como "um dos melhores álbuns de soul modernos de 2002" e o chamou de "um triunfo agridoce". Ele descobriu que, embora o 3D "talvez não resulte em clássicos como os outros álbuns, ele não soa inseguro e sempre satisfaz".[10] Andy Battaglia do The A.V. Club, escreveu que "apesar de um corpo magro de músicas e uma sensação ocasionalmente semi-acabada, o grupo impõe uma sólida reivindicação às riquezas do futuro-soul com 3D, deixando um selo distinto até mesmo em seu material mais fraco com cantos lindos construídos ao redor do graça discreta dos grupos femininos dos anos 60."[16]

A revista Billboard descobriu que "com o 3D , o TLC criou um tributo adequado a uma irmã que partiu", chamando-a de "uma coleção quase perfeita".[17] David Browne, escritor da Entertainment Weekly, observou que "graças a armas contratadas como The Neptunes e Rodney Jerkins, o TLC fez um melhor álbum pós-tragédia do que o esperado. 3D é uma mistura de R&B moderno que varia de sedoso a retro." Ele observou, no entanto, que o álbum "ainda parece um pouco incompleto, como muito de seus trabalhos".[1] O escritor da Rolling Stone, Barry Walters, concluiu que "o álbum não é a maravilha que poderia ter sido se Lopes tivesse sobrevivido, incorpora solidamente o pop negro em um ano em que faltou um centro."[14] Dorian Lynskey, do Blender, achava que "a pura vibração criativa do 3D é um testemunho do carisma de Lopes viva", enquanto Dimitri Ehrlich da Vibe, observou que "enquanto o CD é consistentemente bem produzido e executado, o material gravado antes da morte de [...] Lopes é simplesmente mais sombrio, mais sexy e mais raivoso".[15]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

3D estreou no número seis na US Billboard 200 dos EUA, e no número quatro na tabela Top R&B/Hip-Hop Albums.[18] Vendendo 143.000 cópias, vendeu menos de metade do total da primeira semana do álbum anterior FanMail (1999), que abriu em primeiro lugar no gráfico com 318.000 unidades.[18] Ele também marcou o álbum mais baixo do TLC desde Ooooooohhh... On the TLC Tip (1992).[18] 3D acabou sendo certificado como platina pela RIAA (Recording Industry Association of America) por 1 milhão de cópias enviadas para as lojas,[19] e vendeu mais de 680.000 unidades nos Estados Unidos desde o seu lançamento.[20]

Nos mercados internacionais de música, o 3D não conseguiu chegar ao top 40 na maioria das paradas em que apareceu, exceto no Canadá, onde conseguiu estrear no número 31 do Canadian Albums Chart.[19]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
1. "3D (Intro)"  Dallas AustinAustin 2:25
2. "Quickie"  Austin, Lisa Lopes, Tionne WatkinsAustin 4:19
3. "Girl Talk"  Edmund Clement, Kandi Burruss, Lopes, Anita McCloud, WatkinsEddie Hustle 3:34
4. "Turntable"  Rodney Jerkins, Watkins, Fred Jerkins, Daniel Moore, LaShawn Daniels, Tomi MartinR. Jerkins 3:25
5. "In Your Arms Tonight"  Pharrell WilliamsThe Neptunes 4:24
6. "Over Me"  R. Jerkins, Rozonda Thomas, Kenisha Pratt, Daniel Moore, Tyrell Bing, LopesR. Jerkins 4:17
7. "Hands Up"  Babyface, Daryl SimmonsBabyface, Simmons 3:48
8. "Damaged"  Austin, WatkinsAustin 3:51
9. "Dirty Dirty" (participação de Missy Elliott)Melissa Elliott, Timothy MosleyTimbaland, Elliott 3:40
10. "So So Dumb"  Raphael Saadiq, Watkins, Glenn Standridge, Bobby OzunaSaadiq, Jake & The Phatman[a] 4:05
11. "Good Love"  Clement, BurrussHustle 4:12
12. "Hey Hey Hey Hey"  R. Jerkins, Watkins, BurrussR. Jerkins 4:05
13. "Give It to Me While It's Hot"  Ray Murray, Rico Wade, Pat Brown, Marqueze Ethridge, Marvin Parkman, Stewart Jordan, Lopes, ThomasOrganized Noize Prod. 3:28

Notas

  • ↑[a] significa um co-produtor

Créditos[editar | editar código-fonte]

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Paradas Semanais[editar | editar código-fonte]

Chart (2002) Maior
posição
 Austrália (ARIA)[21] 73
Escócia (Scottish Albums Chart)[22] 60
 Estados Unidos (Billboard 200)[23] 6
 Estados Unidos (Billboard Top R&B/Hip Hop Albums)[24] 4
 França (SNEP)[25] 101
 Japão (Oricon)[26] 2
 Nova Zelândia (Recorded Music NZ)[27] 45
 Países Baixos (MegaCharts)[28] 62
 Reino Unido (UK Albums Chart)[29] 45
 Reino Unido (UK R&B Albums Chart)[30] 9
Suíça (Schweizer Hitparade)[31] 47

Vendas e certificações[editar | editar código-fonte]

Região Certificação Vendas
 Estados Unidos (RIAA)[32] Platina 1,000,000^
 Japão (RIAJ)[33] Platina 200,000^

^números de vendas baseados somente na certificação

Histórico de Lançamento[editar | editar código-fonte]

Região Data Gravadora
Europa e Japão 10 de Outubro de 2002 Arista
EUA 12 de Novembro de 2002

Referências

  1. a b c Browne, David (22 de outubro de 2014). «3D (2002): TLC». Entertainment Weekly 
  2. http://www.allmusic.com/artist/
  3. [1]
  4. Sinclair, Tom (22 de outubro de 2014). «Three To Tangle». ew.com 
  5. Sinclair, Tom (22 de outubro de 2014). «Left Field». ew.com 
  6. Sinclair, Tom (29 de outubro de 1999). «Unpretty Situation». ew.com. Consultado em 24 de julho de 2008 
  7. Tameka L. Hicks (2008). «T-Boz: Fighting against the odds». USA WEEKEND. Consultado em 15 de fevereiro de 2008 [ligação inativa] [ligação inativa]
  8. «TLC Ready To 'Change People's Lives' With New Music». mtv.com. 22 de outubro de 2014. Consultado em 14 de novembro de 2009 
  9. a b «3D Reviews, Ratings, Credits, and More at Metacritic». Metacritic. 22 de outubro de 2014 
  10. a b Erlewine, Stephen Thomas (22 de outubro de 2014). «3D: TLC». AllMusic 
  11. Lynskey, Dorian (22 de outubro de 2014). «TLC: 3D». Blender Magazine 
  12. Lynch, Andrew (22 de outubro de 2014). «TLC - 3D». Entertainment.ie 
  13. Cinquemani, Sal (22 de outubro de 2014). «TLC: 3D». Slant Magazine. Consultado em 30 de novembro de 2009. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2008 
  14. a b Walters, Barry (22 de outubro de 2014). «TLC: 3D». Rolling Stone 
  15. a b Ehrlich, Dimitri (22 de outubro de 2014). «TLC - 3D (Arista)». VIBE 
  16. Battaglia, Andy (22 de outubro de 2014). «TLC: 3D». The A.V. Club 
  17. «3D». Billboard. 22 de outubro de 2014 
  18. a b c «Jay-Z Scores 5th Chart-Topper With 'Blueprint'». Billboard. Consultado em 1 de julho de 2017 
  19. a b «Certificações (Estados Unidos) (álbum) – TLC» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 1 de julho de 2017  Se necessário, clique em Advanced, depois clique em Format, e seleccione Album, e clique em SEARCH.
  20. «Trio Pursues Its Sales Destiny». Billboard. Consultado em 1 de julho de 2017 
  21. Ryan, Gavin (2011). Australia's Music Charts 1988-2010. Mt. Martha, VIC, Australia: Moonlight Publishing 
  22. 20021125 Top 40 Scottish Albums Archive | Official Charts (em inglês). UK Albums Chart. The Official Charts Company. Consultado em January 13, 2014.
  23. TLC Album & Song Chart History (em inglês). Billboard 200 para TLC. Prometheus Global Media. Consultado em June 19, 2014.
  24. TLC Album & Song Chart History (em inglês). Billboard Top R&B/Hip Hop Albums para TLC. Prometheus Global Media. Consultado em June 19, 2014.
  25. TLC – 3D (em francês). Lescharts.com. Hung Medien. Consultado em April 12, 2014.
  26. Okamoto, Satoshi (2006). Oricon Album Chart Book: Complete Edition 1970–2005. Roppongi, Tokyo: Oricon Entertainment. ISBN 4-87131-077-9 
  27. TLC – 3D (em inglês). Charts.org.nz. Hung Medien. Consultado em December 22, 2013.
  28. TLC – 3D (em holandês). Dutchcharts.nl. Hung Medien. Consultado em December 20, 2013.
  29. 20021125 Top 40 Official UK Albums Archive | Official Charts (em inglês). UK Albums Chart. The Official Charts Company. Consultado em January 13, 2014.
  30. Official Rock & Metal Albums Chart Top 40 (em inglês). Official Charts Company. The Official Charts Company. Consultado em January 13, 2014.
  31. TLC – 3D (em inglês). Swisscharts.com. Hung Medien. Consultado em January 8, 2014.
  32. «Certificações (Estados Unidos) (álbum) – TLC – 3D» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 8 de junho de 2017  Se necessário, clique em Advanced, depois clique em Format, e seleccione Album, e clique em SEARCH.
  33. «Certificações (Japão) (álbum) – TLC – 3D» (em japonês). Recording Industry Association of Japan. Consultado em 8 de junho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]