4chan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Um editor detectou que este artigo ou partes de seu texto podem não ser de natureza enciclopédica.
Por favor consulte O que a Wikipédia não é e tente resolver estas objeções na página de discussão deste artigo.
4chan
Gênero Imageboard
País de origem  Estados Unidos
Idioma(s) Inglês
Lançamento 1 de outubro de 2003[1]
Desenvolvedor Christopher Poole (moot)
Proprietário Christopher Poole (2003 - 2015)
Hiroyuki Nishimura (2015 - Atualidade)
Página oficial 4chan.org

4chan é um imageboard em inglês. Lançado em 1 de outubro de 2003, seus sub-fóruns eram originalmente usados para postagem de imagens e discussão sobre mangás e animes. Os usuários geralmente postam anonimamente e o site já foi relacionado com subculturas da Internet e activismo, mais notavelmente o Projeto Chanology.

Anonymous, uma comunidade e cultura do site, frequentemente provoca a atenção da mídia. Para alguns, isso é "prova de que a criatividade está em todo lugar e que novas mídias estão menos acessíveis" para agências de publicidade.[2] Jornalistas observaram como o destino de um link era sequestrado para uso em uma brincadeira, fazendo imagens de Rick Astley aparecerem no lugar da página que foi buscada; a coordenação de ataques contra outros websites e usuários da internet; e cobriram a reação à ameaças de violência que foram postadas no site. The Guardian chegou a resumir a comunidade do 4chan como "lunática, juvenil... brilhante, ridícula e alarmante."[3]

No dia 21 de janeiro de 2015, Christopher Poole renunciou seu cargo de administrador do site.[4] Em 21 de setembro de 2015, 4chan foi oficialmente vendido à Hiroyuki Nishimura[5], criador do messageboard 2channel (2ch).

História[editar | editar código-fonte]

Christopher Poole em ROFLCon II (2010)

O 4chan foi criado em 2003 pelo palestrante e assessor em fundo de investimentos Christopher Moot Poole(com a intenção de falar sobre animés), quando tinha 15 anos de idade. Diferentemente das redes sociais como Facebook ou Twitter, o 4chan permite e encoraja a interação anônima entre seus usuários, os chamados Anonymous (ou Anons, como são conhecidos dentro do fórum). É o maior fórum do mundo, com doze milhões de visitantes por mês. Poole é, segundo a revista Times, uma das pessoas mais influentes do mundo.

Entretanto, não é qualquer um que consegue utilizar o 4chan. Se você se ofende com sangue, pornografia de qualquer tipo, racismo, preconceito ou é menor de idade então esse site não é recomendado.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Conexões com o Anonymous e o Projeto Chanology[editar | editar código-fonte]

4chan já foi rotulado como o ponto inicial do meme Anonymous pelo jornal Baltimore City Paper,[6] devido às normas de postagem assinadas pelo apelido "Anonymous". David George-Cosh, do National Post, disse que já foi "bem relatado" que o Anonymous é associado com o 4chan e 711chan, assim como vários canais IRC.[7]

Através de suas associações com o Anonymous, o 4chan se associou com o Projeto Chanology, um protesto mundial contra a Igreja da Cientologia, realizado pelos membros do Anonymous. Em 15 de Janeiro de 2008, um usuário do 4chan postou no /b/, sugerindo que os participantes "fizessem algo grande" contra o website da Igreja da Cientologia. Essa mensagem resultou na Igreja recebendo ameaças por telefone, no que se tornou, rapidamente, um gigantesco protesto mundial. Diferentemente de ataques prévios do Anonymous, essa ação foi caracterizada por memes do 4chan, incluindo rickrollings e máscaras do Guy Fawkes. O ataque gerou críticas de alguns usuários do 4chan que acharam que isso atrairia atenção indesejada.[6]

A menina da Bósnia[editar | editar código-fonte]

Na Bósnia, em 2010, uma garota jogou vários filhotes de cachorro em um rio. As imagens foram publicadas em diversos jornais do mundo, enfurecendo os usuários do 4chan e levando-os a criar um tópico sobre o caso. Encontraram a garota antes mesmo da polícia, que a multou em, aproximadamente, R$11.000,00.[8]

Celebridades[editar | editar código-fonte]

Os usuários do 4chan normalmente se utilizam de seu anonimato para gerar polêmicas. Uma delas envolveu a apresentadora Oprah Winfrey, que leu, ao vivo, uma notícia falsa sobre um grupo de pedófilos, implantada pelos anons.

O cantor canadense Justin Bieber também foi vítima dos anons. Em uma votação pública em seu twitter sobre qual deveria ser o próximo destino do cantor, os usuários do 4chan tornaram a Coreia do Norte vencedora. O representante de Bieber se pronunciou, dizendo que a enquete não tinha seu consentimento e que não se apresentaria na Coreia do Norte. Então, os usuários do 4chan espalharam boatos que Justin odiava a Coreia.[9]

Pizzas[editar | editar código-fonte]

Num dos tópicos, uma usuária disse que mandaria fotos nua a quem dissesse a frase mais engraçada. Ao perceberem que era uma farsa, os outros usuários começaram a enviar diversas pizzas à casa da mulher, e ao descobrirem que esta viajaria à África, divulgaram a falsa informação de que haveria bombas no local - fazendo com que o voo da garota atrasasse.

Wikileaks[editar | editar código-fonte]

Alguns usuários do 4chan podem ter sido os responsáveis por atacar sites como os das empresas Visa, Mastercard e Paypal, num ato contra a prisão do fundador do site Wikileaks, Julian Assange.

Ameaças[editar | editar código-fonte]

Já apareceram, em 12 anos de sua existência, várias ameaças no 4chan. Entre setembro e outubro de 2006, um usuário anônimo postou ameaças de bomba contra 7 estádios em 7 diferentes cidades norte-americanas.[10] O FBI investigou as postagens e rastreou o usuário. Em 22 de outubro, Jake J. Brahm foi preso por fazer falsas ameaças. Estima-se que Brahm havia postado essa mesma ameaça 40 vezes no site. Em 2008, Jake foi sentenciado à 6 meses de prisão.

Memes[editar | editar código-fonte]

Os Memes de Internet são imagens, vídeos, músicas etc. que se popularizaram rapidamente pela Internet, muitas vezes mostrando cenas engraçadas e que remetam o usuário a fenômenos da Internet, muitas vezes já esquecidos. Muitos memes já surgiram do 4chan, dentre eles Lolcats, Rickrolling, Chocolate Rain, Boxxy, Pedobear, entre outros.

Referências

  1. moot (1 de outubro de 2003). «WELCOME» (em inglês). 4chan. Consultado em 27 de novembro de 2013. 
  2. Unattributed (2008-08-07). «It's all about the money, stupid, not the latest online technology». Marketing Week [S.l.: s.n.] p. 13. Consultado em 2009-02-04. 
  3. Sean Michaels (2008-03-19). «Taking the Rick» (London: Guardian). Consultado em 2008-07-24. 
  4. «News - 4chan». www.4chan.org. Consultado em 2015-09-21. 
  5. «News - 4chan». www.4chan.org. Consultado em 2015-09-21. 
  6. a b Chris Landers (2008-03-02). «Serious Business». Baltimore City Paper [S.l.: s.n.] Consultado em 2008-07-13. 
  7. David George-Cosh (2008-01-25). «Online group declares war on Scientology». National Post. Consultado em 2008-07-13. 
  8. «Casos polêmicos envolvendo o 4chan». Consultado em 2011. 
  9. Emery, Daniel (July 5, 2010). «Prank leaves Justin Bieber facing tour of North Korea» BBC [S.l.] Arquivado desde o original em July 17, 2010. Consultado em July 20, 2010. ; «Record label brands Justin Bieber tour vote "a hoax"» BBC [S.l.] July 7, 2010. Arquivado desde o original em July 17, 2010. Consultado em July 20, 2010. 
  10. Smothers, Ronald. (2006-10-21). "Man, 20, Arrested in Stadium Threat Hoax". The New York Times. ISSN 0362-4331.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]