Imageboard

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Protesto do grupo Anonymous, organizado pelo imageboard 4chan, contra a Igreja da Cientologia.

Um imageboard (também conhecido como chan, abreviatura do inglês channel) é um tipo de fórum de discussão que se baseia na postagem de imagens e texto, geralmente de forma anônima. O primeiro imageboard conhecido é o japonês Futaba Channel (2chan), criado em 2001, que foi baseado no textboard 2channel. Atualmente, o mais conhecido é o americano 4chan.

A interface dos imageboards é bastante simples, não exigindo cadastro nem mantendo o histórico das discussões por muito tempo. Qualquer pessoa pode fixar uma mensagem, iniciando um tópico de discussão em determinado canal temático. O formato e a dinâmica dos chans favoreceu o surgimento de vários memes da Internet, como é o caso do trollface e do pedobear, bem como a criação do movimento de ativistas hackers "Anonymous", que ficou conhecido por protestar contra a Cientologia em 2008, espalhando-se por diversos países e tendo suas ações originalmente orquestradas através do imageboard 4chan.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Futaba Channel

O Futaba Channel (imageboard japonês) foi lançado em 30 de agosto de 2001, como um refúgio para os usuários do 2channel (fórum de texto japonês lançado em 1999) quando este tinha perigo de cair.[carece de fontes?] Este foi o primeiro imageboard a ser criado. O imageboard 4chan é baseado no sistema do Futaba.[2]

Página inicial do 4chan em 26 dezembro de 2015
Christopher Poole na ROFLCon II (2010)

O 4chan foi lançado em 1 de outubro de 2003, sendo o primeiro imageboard em inglês, criado por Christopher Poole (com a intenção de falar sobre animés), quando tinha 15 anos de idade. É o maior fórum do mundo, com doze milhões de visitantes por mês. Poole é, segundo a revista Los Angeles Times, uma das pessoas mais influentes do mundo.[carece de fontes?] Desde a criação do 4chan, surgiram vários memes na internet e outros imageboards em vários idiomas, como 3chan, 55chan, BRchan, Dogolachan, Firechan, PTchan, Hispachan, Dvach, 420chan, Krautchan, Kohlchan, Wizardchan, 1500chan, 9chan e 64chan. Muitos memes já surgiram do 4chan, dentre eles Lolcats, Rickrolling, Chocolate Rain, Boxxy, Pedobear, entre outros.

Em outubro de 2013, Fredrick Brennan lança o 8chan, um imageboard livre com o idioma oficialmente inglês. Era um imageboard americano composto de subfóruns criados pelos usuários. Cada subfórum é moderado pelo seu proprietário, com interação mínima da administração do site.[3] Para ter um conselho, é preciso criá-lo ou reivindicá-lo se o conselho tiver inatividade por mais de uma semana. Em abril de 2018, era o 3 857.º site mais visitado do mundo e, em novembro de 2014, recebia uma média de 35 mil visitantes únicos por dia e quatrocentos mil mensagens por semana.[4]The Washington Post descreveu o site como "o segmento mais ilegal, mais libertário e mais 'livre' do 4chan".[5] 8chan foi encerrado em no dia 5 de agosto de 2019, dias após o massacre de viés étnico em El Paso nos Estados Unidos, que revelou ligações diretas com o site.

Imageboards[editar | editar código-fonte]

Inglês[editar | editar código-fonte]

4chan[editar | editar código-fonte]

4chan em 2021

Criado em 2003, o 4chan é um imageboard em inglês, foi nele que se originaram diversos memes da internet. Em novembro de 2020, o 4chan recebia mais de 20 milhões de visitantes únicos mensais, com mais de 900.000 postagens feitas diariamente.[6]

8chan[editar | editar código-fonte]

8chan ou Infinitychan (no Brasil é chamado de "Infinitochan" ou apenas "Infinito" pelos internautas) foi um imageboard em inglês criado em 2013 e tinha a opção de livre criação de subfóruns.

Wizardchan[editar | editar código-fonte]

Wizardchan é um imageboard em inglês dedicado a homens que se consideram incels. Os usuários deste imageboard frequentemente discutem sobre suicídio. Uma controvérsia surgiu na comunidade do fórum sobre a possibilidade de encaminhar os usuários a linhas diretas de prevenção de suicídio.[7]

420chan[editar | editar código-fonte]

Um imageboard em inglês baseado na cultura da cannabis.[8] Foi criado em 20 de abril de 2005 por Aubrey Cottle. Seus quadros incluem vários quadros específicos de drogas.

Brasil[editar | editar código-fonte]

55chan[editar | editar código-fonte]

55chan foi um imageboard em português brasileiro criado em 2007, foi durante anos o maior imageboard do Brasil. Em 2020,[9] a administração do 55chan declarou o fim do imageboard, porém o 55chan só foi fechado em 2021, após mudar de endereço web e ganhar o novo nome de Favelachan.[10]

1500chan[editar | editar código-fonte]

Criado em 2013, o 1500chan é um outro imageboard em português brasileiro. Em 2021, noticiou-se na Folha de S.Paulo que ele era um dos fóruns que dificultavam o controle da pandemia de Covid-19 no Brasil, por divulgar teorias da conspiração, além de atacar a mídia independente.[11]

Em junho de 2022, o jornalista Lucas Neiva, do Congresso em Foco, foi responsável por revelar um esquema de produção de notícias falsas pró-Bolsonaro que se dava no 1500chan e que fazia uso de referências nazistas.[12] Como consequência, Lucas Neiva foi ameaçado de morte e teve seus dados pessoais vazados por membros de tal fórum. Paralelamente, o site do Congresso em Foco também foi vítima de um ataque hacker, tendo ficado fora do ar durante várias horas.[13][14][15] Em seguida, Vanessa Lippelt, editora do jornal, igualmente foi ameaçada de morte, e de estupro.[16] O ex-presidente Lula classificou os ataques como "um risco para a democracia".[17] A senadora Simone Tebet, do MDB, por sua vez ponderou que "ameaças como essa são inaceitáveis".[18]

Portugal[editar | editar código-fonte]

ptchan[editar | editar código-fonte]

O ptchan (também conhecido por ptちゃん, ptちゃん.org, ptchan.org) é um imageboard dedicado à comunidade de língua portuguesa.[19] Desde 2021, e à semelhança de outros imageboards como o 8chan, permite a livre criação de subfóruns.

Japão[editar | editar código-fonte]

Futaba Channel[editar | editar código-fonte]

Futaba Channel (ふたば(双葉)☆ちゃんねる Futaba Channeru, lit. "Canal da folha dupla, Canal de duas folhas") ou somente Futaba, é um fórum de discussão do Japão. Foi lançado em 2001 e é o primeiro imageboard a ser criado. O Futaba Channel consiste em 60 imageboards (três deles são boards oekaki), e 40 message boards, com temas que vão desde problemas diários pessoais até junk food, esportes, ramen e pornografia.[20]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FONTANELLA, Fernando (2010). «Nós somos Anonymous: anonimato, trolls e a subcultura dos imageboards (PDF). Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. 15 páginas. Consultado em 23 de fevereiro de 2011 
  2. «Tuning into innovation outside the confines of English-speaking web». Irish Times. 2 de maio de 2008. Consultado em 19 de abril de 2011. ...4chan, an American anonymous image-sharing site that is based on the Japanese Futaba channel, itself an offshoot of the enormously popular Japanese 2chan site. 
  3. «FAQ». 8chan.co. Consultado em 15 de março de 2019. Arquivado do original em 1 de março de 2019 
  4. Patrick Howell O'Neill (17 de novembro de 2014). «8chan, the central hive of Gamergate, is also an active pedophile network». The Daily Dot. Consultado em 15 de março de 2019 
  5. Caitlin Dewey (13 de janeiro de 2015). «This is what happens when you create an online community without any rules». The Washington Post. Consultado em 15 de março de 2019 
  6. «Advertise - 4chan». www.4chan.org. Consultado em 29 de março de 2021 
  7. Hess, Amanda (3 de março de 2015). «How Reddit Is Changing Suicide Intervention». Slate Magazine (em inglês). Consultado em 29 de março de 2021 
  8. Olson, Parmy (4 de agosto de 2013). We Are Anonymous. [S.l.: s.n.] ISBN 9781448136155. Consultado em 28 de março de 2015 
  9. «(3) /b/ - TL;DR ESTAMOS PRÓXIMOS DO FIMAcho que c». archive.is. 1 de outubro de 2020. Consultado em 29 de março de 2021 
  10. Favelachan. https://favelachan.org/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  11. FRANCISCO, Pedro Augusto Pereira; MUGGAH, Robert (23 de fevereiro de 2021). «Conspirações digitais dificultam controle da pandemia no Brasil». Folha de S.Paulo. Consultado em 6 de junho de 2022. Cópia arquivada em 6 de junho de 2022 
  12. NEIVA, Lucas (4 de junho de 2022). «Fórum anônimo organiza tática para produção de fake news pró-Bolsonaro». Congresso em Foco. Consultado em 6 de junho de 2022. Cópia arquivada em 6 de junho de 2022 
  13. «Repórter é ameaçado de morte após revelar esquema de fake news pró-Bolsonaro». Congresso em Foco. 5 de junho de 2022. Consultado em 6 de junho de 2022. Cópia arquivada em 6 de junho de 2022 
  14. BEJARANO, Celso (5 de junho de 2022). «Fábio Trad diz que vai denunciar caso de repórter ameaçado por matéria sobre fake news». Correio do Estado. Consultado em 6 de junho de 2022. Cópia arquivada em 6 de junho de 2022 
  15. «Grupo que produz fake news pró-Bolsonaro nas redes ameaça repórter de morte». Revista Fórum. 5 de junho de 2022. Consultado em 6 de junho de 2022. Cópia arquivada em 6 de junho de 2022 
  16. «Depois de repórter, editora é ameaçada de morte e estupro». Congresso em Foco. 6 de junho de 2022. Consultado em 6 de junho de 2022. Cópia arquivada em 6 de junho de 2022 
  17. SILVA, Luiz Inácio Lula da (6 de junho de 2022). «Repórter é ameaçado de morte após revelar esquema de fake news pró-Bolsonaro». Twitter. Consultado em 6 de junho de 2022. Cópia arquivada em 6 de junho de 2022 
  18. NEIVA, Lucas (6 de junho de 2022). «Lula classifica ameaças a jornalistas como "risco para a democracia"». Congresso em Foco. Consultado em 6 de junho de 2022. Cópia arquivada em 7 de junho de 2022 
  19. «ptちゃん.org». ptchan.org. Consultado em 13 de março de 2022 
  20. «2chan.net» (em japonês). Consultado em 24 de junho de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Internet é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.