Histoire d'O

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de A História de O)
Ir para: navegação, pesquisa
Histoire d'O
História d'O (PT)
A história de O (BR)
9782720200311.jpg
Autor (es) Pauline Réage(Anne Desclos}
Idioma francesa
País  França
Género Romance erótico
Editora Jean-Jacques Pauvert
Lançamento 1954
Edição portuguesa
Tradução G. Cascais Franco
Editora Círculo de Leitores
Lançamento 1990
Páginas 186
Edição brasileira
Tradução Maria de Lourdes Nogueira Porto
Editora Brasiliense
Lançamento 1985
Páginas 178
Cronologia
Último
Retorno a Roissy
Próximo

A História de O (em francês: Histoire d'O) é um romance erótico escrito por Anne Desclos sob o pseudônimo Pauline Réage e publicado na França em 1954.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

"O" é uma mulher livre e independente, que é levada por seu amante René a um castelo situado em Roissy, perto de Paris, onde ela se torna uma escrava de René e outros homens. Após esse periodo em Roissy é entregue ao Sr. Stefan que compartilha os direitos de tê-la como escrava com René, aos poucos René se afasta e ela vai sendo apenas do Sr. Stefan que agora submeterá ela aos cuidados de Marie em sua casa, "O" é marcada a ferro quente com as iniciais de seu novo mestre Sr. Stefan e é submetida, por sua própria vontade e consentimento, a uma variedade de práticas sexuais sadomasoquistas.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

A "O", uma fotógrafa de moda parisiense bem sucedida, se deixa levar sem resistência por seu amante René ao isolado castelo de Roissy. Roissy é uma propriedade particular; no seu interior muitas mulheres são educadas para serem submissas à vontade dos homens. "O" deixa-se ensinar para ser uma perfeita submissa e aprende ser uma escrava. Como parte de seu treinamento, ela é amarrada, chicoteada e aprende a ser a qualquer momento e para todos sexualmente disponível.

Depois de completar sua formação, ela, como mais uma prova do amor, concorda com o pedido de René para viver temporariamente com um amigo paternal dele, Sir Stephen, e se submete incondicionalmente aos desejos dele. Sir Stephen revela-se ainda mais dominante que René, por isso O apaixona-se por ele. Como prova final de seu amor, ela passa por um treinamento ainda mais rigoroso, em um lugar habitado e gerenciado exclusivamente por mulheres, denominada Samois. Lá, ela concorda em obter uma marca de ferrete e um piercing em forma de anéis na vagina, como o sinal definitivo de sua submissão.

Tudo é descrito na perspectiva da heroína, cuja vida interior é retratada de uma maneira sutil, sem ser avaliada moralmente ou psicologicamente. É famosa uma cena de violação e tortura em que ela repara que os chinelos de seu amante são gastos e ela teria na próxima oportunidade adquirir novos. Na linguagem e estilo, a obra fica na tradição da literatura clássica francesa. Apesar da temática o livro é escrito sem palavras obscenas.

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Pela qualidade literária e pela considerável coragem com que trata o tema da submissão sexual feminina em um estilo cru e direto, o romance se tornou um dos ícones da literatura erótica do século XX.

O livro provocou fortes reações do público e da crítica, e recebeu o prêmio de literatura erótica Les Deux-Magots, em 1955.

Autoria[editar | editar código-fonte]

Anne Desclos publicou o romance sob o pseudônimo de Pauline Réage. Quinze anos mais tarde, em 1969, ainda como Réage, publicou uma continuação do romance de O, intitulada Retorno a Roissy.

A real identidade de Pauline Réage só foi revelada em 1994, numa entrevista concedida à revista americana The New Yorker.

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Em 1975, foi lançada uma co-produção entre a França, RFA e Canadá, e baseado na obra-prima de Pauline Réage, conta com as interpretações de Corinne Cléry, Udo Kier e Anthony Steel. Direção de Just Jaeckin.

Em 1984, é lançada uma sequência do filme anterior, agora dirigida por Eric Rochat.

Ver também[editar | editar código-fonte]