Sadomasoquismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Flagelação de tipo sadomasoquista.

Sadomasoquismo é dar ou receber prazer através de atos que envolvem o recebimento ou a aplicação de dor física e moral. O termo sadomasoquismo é uma palavra-valise de duas tendências opostas, o sadismo e o masoquismo.[1] A abreviação S&M é frequentemente utilizada para se referir ao sadomasoquismo.

O sadomasoquismo não é considerado uma parafilia clínica, a menos que tais práticas levem a sofrimento ou distresse clinicamente significativo para um diagnóstico.[2] Da mesma forma, o sadismo sexual é um consentimento mútuo associado à práticas do BDSM, portanto, distingue-se de atos não consensuais de violência ou agressão sexual.[3]

No dia 18 de junho de 2018, a Organização Mundial da Saúde publicou a CID-11, removendo o sadomasoquismo de diagnósticos psiquiátricos. A CID-11, ao contrário da CID-10, distingue comportamentos sadomasoquistas consensuais (BDSM) que não envolvem danos inerentes a si ou a terceiros, da violência prejudicial a pessoas que não consentem. A CID-11 considera o sadomasoquismo como uma variante de excitação sexual e comportamento privado, sem um impacto considerável na saúde pública. De acordo com a CID-11, o diagnóstico psiquiátrico não pode mais ser usado para discriminar fetichistas e praticantes do BDSM.[4]

Pesquisas recentes sobre a disseminação de fantasias e práticas de BDSM mostram fortes variações na faixa de seus resultados. No entanto, os pesquisadores assumem que de 5 a 25% da população pratica comportamentos sexuais relacionados à dor ou dominação e submissão.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Harvard cria 1º clube de sadomasoquistas, acessado em 13 de dezembro de 2012
  2. «Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders» (PDF). American Psychiatric Association (em inglês). 1994. p. 525 
  3. Fedoroff, Paul J. (2008). «Sadism, Sadomasochism, Sex, and Violence» (PDF). American Psychiatric Association (em inglês). p. 637 
  4. Krueger, Richard B.; Reed, Geoffrey M.; First, Michael B.; Marais, Adele; Kismodi, Eszter; Briken, Peer. «Proposals for Paraphilic Disorders in the International Classification of Diseases and Related Health Problems, Eleventh Revision (ICD-11)». NCBI (em inglês) 
  5. «Nackte Fakten: Statistik für Zahlenfetischisten». Datenschlag (em alemão) 
Este artigo sobre BDSM é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.