Hibristofilia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Hibristofilia é uma parafilia em que a excitação sexual, facilitação e obtenção de orgasmo são sensíveis e dependem de estar com um parceiro conhecido por ter cometido um ultraje ou crime, como estupro, assassinato, ou assalto à mão armada.[1] O termo é derivado da palavra grega "ὑβρίζειν" (hubrizein), que significa "cometer um ultraje contra alguém" (derivada por sua vez de "ὕβρις" [hubris]), e philo, que significa "ter uma forte afinidade/preferência por".[2] Na cultura popular, esse fenômeno também é conhecido como "Sindrome de Bonnie e Clyde".[1]

Muitos criminosos famosos, particularmente aqueles que cometeram crimes atrozes, recebem na prisão "cartas de fã", que, algumas vezes, tem conotação amorosa ou sexual, presumivelmente por conta deste fenômeno. Em alguns casos, os admiradores desses criminosos chegam a ir à prisão para casar com o objeto de sua afeição.[3][4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b https://convulssion.wordpress.com/2012/09/22/parafilia-do-dia-hibristofilia/
  2. Hickey, [edited by] Eric W. (2006). Sex crimes and paraphilia. Upper Saddle River, N.J.: Pearson Education. pp. 197–9. ISBN 9780131703506 
  3. Ramsland, Katherine (20 de abril de 2012). «Women Who Love Serial Killers». Psychology Today. Consultado em 13 de maio de 2013 
  4. Seltzer, Leon F. (24 de abril de 2012). «Why Do Women Fall for Serial Killers?». Psychology Today. Consultado em 13 de maio de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre sexo ou sexualidade é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.