Adelino Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Adelino Gomes
Adelino Gomes na Feira do Livro de 2014
Nome completo Adelino Clemente Gomes
Nascimento 10 de agosto de 1944 (73 anos)
Marrazes, Leiria
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Jornalista e Locutor
Prémios Prémio Gazeta de Mérito (2010)

Adelino Clemente Gomes (Marrazes, 10 de Agosto de 1944) é um jornalista português. [1]

Após frequentar o Liceu Nacional de Leiria, estudou Filosofia e Direito na Universidade de Lisboa, cursos que nunca concluiu para se dedicar ao jornalismo. Na rádio foi locutor do Rádio Clube Português, da Rádio Renascença e da Deutsche Welle, director de informação e realizador de programas na Radiodifusão Portuguesa.

Destacou-se como jornalista na cobertura da Revolução dos Cravos (Ver: Cravos de Abril) [2] [3] [4] [5], sendo ao mesmo tempo um dos mais importantes colaboradores do repórter alemão Horst Hano, da ARD, durante o tempo em que este actuou em Portugal (1974/76). Trabalhou como repórter na RTP em 1975, no período mais delicado da revolução, cobrindo acontecimentos como o 11 de Março de 1975, o início da guerra civil em Angola e a guerra civil em Timor. Retomou esse dossier no Público, jornal que ajudou a fundar em 1989 e do qual foi director-adjunto e redactor-principal.

É co-autor do disco 'O dia 25 de Abril (duplo álbum com a reportagem sobre a revolução) [6] e dos livros Portugal 2020 (1998), O 25 de Abril de 1974 — 76 fotografias e um retrato (1999), Carlos Gil - um fotógrafo na revolução (2004), As flores nascem na prisão, Timor-Leste - ano 1 (2004) e co-autor de Os dias loucos do PREC (2006) [7].

Desempenhou o cargo de Provedor do Ouvinte da RDP (2008-2010) sucedendo a José Nuno Martins.

Leccionou na Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa (1975-1981), na Escola Superior de Jornalismo do Porto (1986) e na Universidade Autónoma de Lisboa (1992-2002). Foi formador no CENJOR - Centro de Formação Protocolar para Jornalistas e coordenou o Curso de Formação de Jornalistas e Animadores de Emissão da TSF.

Doutorou-se em Sociologia (especialidade em Sociologia da Comunicação, da Cultura e da Educação) em 2011, no ISCTE-IUL, com uma tese intitulada O telejornal e o zapping na era da Internet. Estudo do comportamento de editores e telespectadores nos jornais televisivos das 20 horas da RTP1, SIC e TVI (2006-2010) [8] [9] É actualmente investigador associado no CIES-IUL.

Dedicou-se à formação de jovens jornalistas de cursos universitários em 2013/14. [10] [11]

Referências

  1. Adelino Gomes – biografia na RTP
  2. Estes homens estiveram frente a frente, tinham o dedo no gatilho e não dispararam – artigo de Bárbara Reis no jornal Público, 21 de julho de 2016
  3. Adelino Gomes volta “a casa” para recordar a revolução dos cravos – notícia, Região de Leiria, 25 de abril de 2012
  4. "Os Rapazes dos Tanques" - 25 de Abril em fotos, notícia da Câmara Municipal de Lisboa, 25 de março de 2014
  5. O Dia perfeito – notícia no Magazine, 2014
  6. Abrir no Youtube O dia 25 de Abril "Diário da revolução/1974" (LP/duplo 1974), edição conjunta Seara Nova e Sassetti (2500 exp.)
  7. Os dias loucos do PREC – apresentação do livro em SÓ TEXTOS, 18 de abril 2006
  8. O telejornal e o zapping na era da Internet. Estudo do comportamento de editores e telespectadores nos jornais televisivos das 20 horas da RTP1, SIC e TVI (2006-2010)
  9. Livro de Adelino Gomes sobre jornalismo televisivo – artigo de Rogério Santos em Indústrias Culturais
  10. Adelino Gomes: ser jornalista é ser um eterno estudante – inauguração de mestrado na Universidade Autónoma de Lisboa, 11 de agosto 2013
  11. Adelino Gomes: o jornalismo, antes e depois – notícia na 8ª Colina, 27 de abril de 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]