Alcair

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alcair Bilá
19º/21º Califa Abássida
Dinar de ouro de Alcair emitido em seu segundo reinado
Reinado 929
932934
Antecessor(a) Almoctadir
Almoctadir
Sucessor(a) Almoctadir
Arradi
Dinastia Abássida
Nascimento 899
Morte 950 (51 anos)
Pai Almutadide

Abu Almançor Maomé Alcair Bilá (em árabe: أبو منصور محمد القاهر بالله; transl.: Abu Mansour Muhammad Al Qahir Bellah), melhor conhecido somente como Alcair Bilá (em árabe: القاهر بالله) foi o califa abássida em 929 e, novamente, entre 932 e 934[1].

História[editar | editar código-fonte]

Com a morte de Almoctadir, os cortesãos, temendo que o filho do califa pudesse se vingar da morte do pai neles, escolheram o irmão do falecido, Alcair como califa. Porém, ele se mostrou ser um governante pior do Almoctadir. Afetado por uma obsessão em ser um deus, ele cometeu diversos excessos de crueldade e extorsão contra os que ele lançava os olhos. Ele chegou a torturar a mãe de Almoctadir, seus filhos e favoritos para tentar espremer deles cada grama de ouro que eles haviam acumulado durante o reino do ex-califa. Muitos fugiram.

O califa também ordenou que seu sobrinho, herdeiro presuntivo, fosse emparedado vivo. Aliviado por ter eliminado as ameaças imediatas, Alcair se transformou num tirano e passou a agir de uma forma insuportável para amigos e inimigos. Uma nova conspiração se fez necessária, e o califa, inebriado pelo vinho todas as noites, não percebeu nada de errado no palácio.

Ao se recusar a abdicar, Alcair foi cegado e atirado na prisão em 934. Onze anos depois ele foi libertado e foi visto vestido em trapos e sandálias de madeira mendigando nas ruas de Bagdá - um triste contraste com o significado de seu nome "Vitorioso pela graça de Alá".

Ver também[editar | editar código-fonte]

Alcair
Nascimento: 899 Morte: 950
Precedido por:
Almoctadir
Califas abássidas
929
Sucedido por:
Almoctadir
Precedido por:
Almoctadir
Califas abássidas
932–934
Sucedido por:
Arradi

Referências

  1. «Califas abássidas». Consultado em 23 de agosto de 2012. Arquivado do original em 17 de agosto de 2012 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]