Almuti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Almuti
Miralmuminim
Fals cunhado em nome do califa Almuti e do emir samânida Almançor I em Bucara em 964/65
23.º califa do Califado Abássida
Reinado 28 de janeiro de 946 – 5 de agosto de 974
Antecessor(a) Almostacfi
Sucessor(a) Altai
 
Nascimento 913/4
  Baguedade
Morte 12 de outubro de 974
  Dair Alcul
Dinastia abássida
Pai Almoctadir
Mãe Maxala
Religião Islão sunita

Abu Alcácime Alfadle ibne Almoctadir (em árabe: أبو القاسم الفضل بن المقتدر; romaniz.: Abū ʾl-Qāsim al-Faḍl ibn al-Muqtadir; 913/14 – setembro/outubro de 974), mais conhecido por seu nome de reinado de Almuti Lilá (em árabe: المطيع لله; romaniz.: al-Mutīʿ li-ʾllāh[1]), foi o califa do Califado Abássida em Baguedade de 946 a 974, governando sob a tutela dos emires buídas. O reinado de Almuti representou o nadir do poder e autoridade do Califado Abássida. Durante as décadas anteriores, a autoridade secular dos califas encolheu para o Iraque, e mesmo lá foi reduzida por poderosos senhores da guerra; agora foi abolido inteiramente pelos buídas. Almuti foi elevado ao trono e foi efetivamente reduzido a um títere, embora com alguns vestígios de autoridade sobre nomeações judiciais e religiosas no Iraque. No entanto, o próprio fato de sua subordinação e impotência ajudou a restaurar alguma estabilidade à instituição do califa: em forte contraste com seus predecessores de curta duração e violentamente depostos, Almuti desfrutou de um mandato longo e relativamente incontestável, e foi capaz de entregar o trono para seu filho Altai.

O prestígio de Almuti como líder nominal do mundo muçulmano declinou rapidamente durante seu mandato. Os rivais regionais dos buídas atrasaram o reconhecimento do califado de Almuti, vendo nele apenas um fantoche buída, enquanto sua incapacidade de responder efetivamente aos avanços bizantinos manchou sua reputação. Mais importante, a ascensão dos regimes xiitas em todo o Oriente Médio desafiou diretamente a predominância sunita e abássida. Os próprios buídas eram xiitas, e sua manutenção do Califado Abássida foi puramente por conveniência. Mais a oeste, o Califado Fatímida em expansão representou um desafio direto aos abássidas e, durante o reinado de Almuti, conquistou o Egito e começou a se expandir para o Levante, ameaçando a própria Baguedade.

Vida[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

O futuro Almuti nasceu em 913/14 como Alfadle, filho do califa Almoctadir (r. 908–932) e uma concubina eslava, Maxala.[2] Era irmão dos califas Arradi (r. 934–940) e Almutaqui (r. 940–944).[3] Durante os reinados de Arradi e Almutaqui, os califas perderam o poder para uma série de homens fortes militares, que com o título de emir de emires (comandante-em-chefe, lit. 'emir-chefe') controlavam os abássidas.[4][5] O próprio Almutaqui havia sido elevado ao trono pelo emir de emires Bajecã, mas tentou seduzir os vários senhores da guerra regionais - principalmente os hamadânidas de Moçul - para recuperar a independência e a autoridade de seu cargo. Essas tentativas terminaram em fracasso, e sua deposição e cegueira pelo emir de emires Tuzum em setembro de 944.[6][7]

Como chefe dos filhos restantes de Almoctadir e irmão dos dois califas anteriores, Alfadle era um candidato óbvio ao trono.[8] Tuzum, no entanto, escolheu Almostacfi (r. 944–946), filho do califa Almoctafi (r. 902–908), em vez disso.[9] Diz-se que Almostacfi e Alfadle já se odiavam durante sua estadia no Palácio Taírida como jovens príncipes. Não só eram membros de duas linhas de sucessão rivais, mas suas personalidades eram diametralmente opostos: enquanto Alfadle, como seu pai, era famoso por sua piedade, Almostacfi ofendia a opinião piedosa por sua associação com a milícia aiarum - extraída das classes urbanas mais pobres, eram frequentemente criticados como encrenqueiros e suspeitos de sua associação com grupos heterodoxos e sectários como os sufis[10][11] — e sua participação em jogos 'vulgares'. Uma vez que Almostacfi foi entronizado, enviou seus agentes para capturar Almuti, mas este já havia se escondido, e o califa teve que se contentar em demolir sua casa.[8] Esse ato fútil só serviu para marcar Alfadle como um rival sério; ao saber disso, o vizir veterano, Ali ibne Issa Aljarrá, teria dito que "hoje ele [Alfadle] foi reconhecido como herdeiro do trono".[1]

Referências

  1. a b Bowen 1928, p. 392.
  2. Güner 2006, p. 40.
  3. Zetterstéen 1993, p. 799.
  4. Kennedy 2004, p. 191–197.
  5. Busse 2004, p. 17–19.
  6. Busse 2004, p. 21–24.
  7. Kennedy 2004, p. 196, 312.
  8. a b Busse 2004, p. 25.
  9. Busse 2004, p. 23.
  10. Tor 2014.
  11. Donohue 2003, p. 340–346.