Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ana Amália
Retrato de 1773 por Johann Ernst Heinsius.
Duquesa Consorte de Saxe-Weimar
Duquesa Consorte de Saxe-Weimar-Eisenach
Reinado 16 de março de 1756 - 28 de maio de 1758
Regente de Saxe-Weimar-Eisenach
Reinado 1758 - 1775
 
Cônjuge Ernesto Augusto II, Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
Descendência Carlos Augusto de Saxe-Weimar-Eisenach
Frederico Fernando Constantino de Saxe-Weimar-Eisenach
Casa Real Casa de Brunswick-Bevern
Casa de Saxe-Weimar-Eisenach
Nascimento 24 de outubro de 1739
Volfembutel, Baixa Saxônia, Alemanha
Morte 10 de abril de 1807 (67 anos)
Weimar, Turíngia, Alemanha
Sepultamento Igreja de São Pedro e Paulo[1], Weimar, Alemanha
Pai Carlos I de Brunsvique-Volfembutel
Mãe Filipina Carlota da Prússia


Anna Amalia de Brunswick-Wolfenbüttel (Wolfenbüttel, 24 de outubro de 1739 - Weimar, 10 de abril de 1807), foi uma princesa alemã pelo casamento e duquesa de Saxe-Weimar-Eisenach, regente dos estados de Saxe-Weimar e Saxe-Eisenach entre 1758 e 1775 e uma importante e influente figura cultural.

Família[editar | editar código-fonte]

Foi a nona filha do duque Carlos I de Brunsvique-Volfembutel e da princesa Filipina Carlota da Prússia. Seus avós maternos foram o rei Frederico Guilherme I da Prússia e a princesa Sofia Dorotéia de Hanôver. Tinha mais onze irmãos, incluindo Carlos Guilherme Fernando, Duque de Brunsvique-Volfembutel, casado com a princesa Augusta do Reino Unido e a princesa Isabel Cristina de Brunsvique-Volfembutel, casada com o rei Frederico Guilherme II da Prússia.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Casou em Brunswick, a 16 de março de 1756 com Ernesto Augusto II, Duque de Saxe-Weimar-Eisenach. Ernesto morreu em 1758 deixou-a regente do seu filho bebé, Carlos Augusto de Saxe-Weimar-Eisenach. Cerca de três meses após a morte do marido, Ana Amália deu à luz o seu segundo filho, o príncipe Frederico Fernando Constantino de Saxe-Weimar-Eisenach.

Regência[editar | editar código-fonte]

Enquanto Carlos Augusto foi menor de idade, foi Ana Amália quem administrou os assuntos do ducado com uma prudência notável, fortalecendo os seus recursos e melhorando a sua posição, apesar dos problemas causados pela Guerra dos Sete Anos. Em 1775, quando o seu filho atingiu a maioridade, a duquesa retirou-se da vida pública.

Legado Cultural[editar | editar código-fonte]

Como patrona das artes e literatura, Ana Amália levou muitos dos homens mais respeitados da Alemanha para Weimar, incluindo Johann Gottfried Herder, Johann Wolfgang von Goethe, Friedrich Schiller e a companhia teatral de Abel Seyler. O facto de a duquesa ter conseguido atrair a companhia de Seyler foi considerado "um golpe de muita sorte", uma vez que esta era considerada a melhor companhia teatral alemã da época.[2] Amalia von Helvig também se juntaria mais tarde à sua corte. A duquesa também contratou Christoph Martin Wieland, um poeta e tradutor, para traduzir os trabalhos de William Shakespeare, que ela queria introduzir na educação do filho. Também criou a Biblioteca da Duquesa Amália, que, actualmente possui cerca de 1.000.000 volumes. O famoso escritor Goethe prestou homenagem à duquesa no seu trabalho "Zum Andenken der Fürstin Anna-Amalia".

Ana Amália era também uma compositora notável. Entre os seus trabalhos mais conhecidos encontra-se uma sinfonia para dois oboés, duas flautas, dois violinos e um contrabaixo (1765), um oratório de três partes (1768), uma ópera chamada Erwin und Elmire (1776), baseada num texto de Goethe, e um divertimento para piano, clarinete, viola e violoncelo (cerca de 1780).[3]

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel em três gerações[4]
Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel Pai:
Carlos I, Duque de Brunsvique-Volfembutel
Avô paterno:
Fernando Alberto II, Duque de Brunswick-Wolfenbüttel
Bisavô paterno:
Fernando Alberto I, Duque de Brunsvique-Luneburgo
Bisavó paterna:
Cristina de Hesse-Eschwege
Avó paterna:
Antónia Amália de Brunsvique-Volfembutel
Bisavô paterno:
Luís Rudolfo, Duque de Brunsvique-Luneburgo
Bisavó paterna:
Cristina Luísa de Oettingen-Oettingen
Mãe:
Filipina Carlota da Prússia
Avô materno:
Frederico Guilherme I da Prússia
Bisavô materno:
Frederico I da Prússia
Bisavó materna:
Sofia Carlota de Hanôver
Avó materna:
Sofia Doroteia de Hanôver
Bisavô materno:
Jorge I da Grã-Bretanha
Bisavó materna:
Sofia Doroteia de Brunsvique-Luneburgo

Referências

  1. Find a grave
  2. "Herzogin Anna Amalie von Weimar und ihr Theater," in Robert Keil (ed.), Goethe's Tagebuch aus den Jahren 1776–1782, Veit, 1875, p. 69
  3. ANNA AMALIA von Braunschweig-Wolfenbüttel. Biographisch-Bibliographisches Kirchenlexikon, consultado a 25 de Fevereiro de 2011
  4. «Ernst August II Konstantin von Sachsen-Weimar-Eisenach, Herzog». geni_family_tree. Consultado em 2016-05-03. 

Referências gerais[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel


Precedida por:
Sofia Carlota de Brandemburgo-Bayreuth
Duquesa Consorte de Saxe-Weimar
Duquesa Consorte de Saxe-Weimar-Eisenach
Großherzogin Sachsen Weimar.jpg

16 de março de 1756 - 28 de maio de 1758
Sucedida por:
Luísa de Hesse-Darmstadt