Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ana Amália
Retrato de 1773 por Johann Ernst Heinsius.
Duquesa Consorte de Saxe-Weimar
Duquesa Consorte de Saxe-Weimar-Eisenach
Reinado 16 de março de 1756 - 28 de maio de 1758
Regente de Saxe-Weimar-Eisenach
Reinado 1758 - 1775
Cônjuge Ernesto Augusto II, Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
Descendência
Carlos Augusto de Saxe-Weimar-Eisenach
Frederico Fernando Constantino de Saxe-Weimar-Eisenach
Casa Casa de Brunswick-Bevern
Casa de Saxe-Weimar-Eisenach
Pai Carlos I de Brunsvique-Volfembutel
Mãe Filipina Carlota da Prússia
Nascimento 24 de outubro de 1739
Volfembutel, Baixa Saxônia, Alemanha
Morte 10 de abril de 1807 (67 anos)
Weimar, Turíngia, Alemanha
Enterro Igreja de São Pedro e Paulo[1], Weimar, Alemanha

Anna Amalia de Brunswick-Wolfenbüttel (Wolfenbüttel, 24 de outubro de 1739 - Weimar, 10 de abril de 1807), foi uma princesa alemã pelo casamento e duquesa de Saxe-Weimar-Eisenach, regente dos estados de Saxe-Weimar e Saxe-Eisenach entre 1758 e 1775 e uma importante e influente figura cultural.

Família[editar | editar código-fonte]

Foi a nona filha do duque Carlos I de Brunsvique-Volfembutel e da princesa Filipina Carlota da Prússia. Seus avós maternos foram o rei Frederico Guilherme I da Prússia e a princesa Sofia Dorotéia de Hanôver. Tinha mais onze irmãos, incluindo Carlos Guilherme Fernando, Duque de Brunsvique-Volfembutel, casado com a princesa Augusta do Reino Unido e a princesa Isabel Cristina de Brunsvique-Volfembutel, casada com o rei Frederico Guilherme II da Prússia.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Casou em Brunswick, a 16 de março de 1756 com Ernesto Augusto II, Duque de Saxe-Weimar-Eisenach. Ernesto morreu em 1758 deixou-a regente do seu filho bebé, Carlos Augusto de Saxe-Weimar-Eisenach. Cerca de três meses após a morte do marido, Ana Amália deu à luz o seu segundo filho, o príncipe Frederico Fernando Constantino de Saxe-Weimar-Eisenach.

Regência[editar | editar código-fonte]

Enquanto Carlos Augusto foi menor de idade, foi Ana Amália quem administrou os assuntos do ducado com uma prudência notável, fortalecendo os seus recursos e melhorando a sua posição, apesar dos problemas causados pela Guerra dos Sete Anos. Em 1775, quando o seu filho atingiu a maioridade, a duquesa retirou-se da vida pública.

Legado Cultural[editar | editar código-fonte]

Como patrona das artes e literatura, Ana Amália levou muitos dos homens mais respeitados da Alemanha para Weimar, incluindo Johann Gottfried Herder, Johann Wolfgang von Goethe, Friedrich Schiller e a companhia teatral de Abel Seyler. O facto de a duquesa ter conseguido atrair a companhia de Seyler foi considerado "um golpe de muita sorte", uma vez que esta era considerada a melhor companhia teatral alemã da época.[2] Amalia von Helvig também se juntaria mais tarde à sua corte. A duquesa também contratou Christoph Martin Wieland, um poeta e tradutor, para traduzir os trabalhos de William Shakespeare, que ela queria introduzir na educação do filho. Também criou a Biblioteca da Duquesa Amália, que, actualmente possui cerca de 1.000.000 volumes. O famoso escritor Goethe prestou homenagem à duquesa no seu trabalho "Zum Andenken der Fürstin Anna-Amalia".

Ana Amália era também uma compositora notável. Entre os seus trabalhos mais conhecidos encontra-se uma sinfonia para dois oboés, duas flautas, dois violinos e um contrabaixo (1765), um oratório de três partes (1768), uma ópera chamada Erwin und Elmire (1776), baseada num texto de Goethe, e um divertimento para piano, clarinete, viola e violoncelo (cerca de 1780).[3]

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel em três gerações[4]
Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel Pai:
Carlos I, Duque de Brunsvique-Volfembutel
Avô paterno:
Fernando Alberto II, Duque de Brunswick-Wolfenbüttel
Bisavô paterno:
Fernando Alberto I, Duque de Brunsvique-Luneburgo
Bisavó paterna:
Cristina de Hesse-Eschwege
Avó paterna:
Antónia Amália de Brunsvique-Volfembutel
Bisavô paterno:
Luís Rudolfo, Duque de Brunsvique-Luneburgo
Bisavó paterna:
Cristina Luísa de Oettingen-Oettingen
Mãe:
Filipina Carlota da Prússia
Avô materno:
Frederico Guilherme I da Prússia
Bisavô materno:
Frederico I da Prússia
Bisavó materna:
Sofia Carlota de Hanôver
Avó materna:
Sofia Doroteia de Hanôver
Bisavô materno:
Jorge I da Grã-Bretanha
Bisavó materna:
Sofia Doroteia de Brunsvique-Luneburgo

Referências

  1. Find a grave
  2. "Herzogin Anna Amalie von Weimar und ihr Theater," in Robert Keil (ed.), Goethe's Tagebuch aus den Jahren 1776–1782, Veit, 1875, p. 69
  3. ANNA AMALIA von Braunschweig-Wolfenbüttel. Biographisch-Bibliographisches Kirchenlexikon, consultado a 25 de Fevereiro de 2011
  4. «Ernst August II Konstantin von Sachsen-Weimar-Eisenach, Herzog». geni_family_tree. Consultado em 2016-05-03. 

Referências gerais[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel


Precedida por:
Sofia Carlota de Brandemburgo-Bayreuth
Duquesa Consorte de Saxe-Weimar
Duquesa Consorte de Saxe-Weimar-Eisenach
Großherzogin Sachsen Weimar.jpg

16 de março de 1756 - 28 de maio de 1758
Sucedida por:
Luísa de Hesse-Darmstadt