Anna Sorokin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Anna Sorokin
Nome Anna Vadimovna Sorokina
Nome de nascimento Анна Вадимовна Сорокина
Pseudônimo Anna Delvey
Data de nascimento 23 de janeiro de 1991
Local de nascimento Domodedovo, Moscow Oblast, Russian SFSR, Soviet Union
Nacionalidade(s) Russa
Crime(s) roubo qualificado, furto de propriedade, roubo de serviços
Pena 4 a 12 anos de prisão, multa de $24,000, $199,000 de restituição, deportação para a Alemanha
Situação NYSDOC #19G0366; encarcerada em Albion Correctional Facility; possível data de soltura mais breve é 19 de outubro de 2021
Condenação(ões) 15 de abril de 2019

Anna Vadimovna Sorokina (em russo: Анна Вадимовна Сорокина; nascida em 23 de janeiro de 1991 [1]), também conhecida como Anna Sorokin, é uma impostora russa. Ela se mudou para Nova York em 2013 e criou a identidade fictícia de Anna Delvey, fingindo ser uma rica herdeira alemã. Em 2019, ela foi condenada por várias acusações de tentativa de roubo qualificado, roubo de serviços e furto de propriedade por fraudar hotéis de Nova York e conhecidos ricos.

A história de Sorokina foi amplamente divulgada devido à sua capacidade de se misturar em círculos sociais. Desde 2019, adaptações televisivas de sua história estão em desenvolvimento na Netflix e na HBO.

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Domodedovo, onde Sorokin nasceu e viveu até os 16 anos

Anna Sorokin nasceu em Domodedovo, uma cidade satélite da classe trabalhadora a sudeste de Moscou[2], em 1991. Anna cresceu com seu pai, Vadim Sorokin, que trabalhava como motorista de caminhão, enquanto sua mãe era dona de uma pequena loja de conveniência antes de se tornar dona de casa, além de seu irmão. A família se mudou para a Alemanha em 2007, quando Anna tinha 16 anos[3]. Ela frequentou o ensino médio em Eschweiler e foi descrita pelos colegas de classe como uma garota quieta que teve dificuldades com o idioma alemão .

Anna se formou no ensino médio em 2011 e se mudou para Londres para frequentar a escola de arte Central Saint Martins, mas não frequentou e voltou para a Alemanha[4]. Ela trabalhou como estagiária em uma empresa de relações públicas antes de se mudar para Paris para realizar um estágio na revista de moda francesa Purple. Naquela época, ela começou a se chamar Anna Delvey.

O tempo como uma falsa herdeira[editar | editar código-fonte]

Depois de se mudar para a cidade de Nova York em 2013, Sorokin disse a novos amigos e conhecidos que ela tinha um fundo fiduciário de € 60 milhões (aproximadamente $ 82,5 milhões em dólares de 2013) que estava em bancos no exterior e cobriria suas luxuosas estadias em hotéis e seu estilo de vida. [5] A história de como sua família havia adquirido o dinheiro mudou várias vezes e incluiu ter um pai que era diplomata, executivo de petróleo ou magnata do painel solar. [6] Muitos que a conheciam como herdeira foram informados sobre suas tentativas de criar uma fundação artística financiada por um fundo familiar e seu plano de arrendar a histórica Church Missions House (em tradução livre: Casa das Missões da Igreja) como um estúdio multiuso e espaço para eventos. [7] Sorokin ficou conhecida por ficar em hotéis da moda, comer em restaurantes premiados pelo James Beard Award e visitar regularmente spas e salões. [8]

Sorokin levava seus amigos e companheiros de viagem a pagar grandes quantias – se não a totalidade – das viagens que faziam juntos, alegando que ela havia despachado sua carteira com sua bagagem ou pedindo aos amigos para cobrirem os custos quando seu cartão de crédito era recusado. [9] Muitos outros não perceberam os sinais de alerta quando foram solicitados a pagar pelas coisas, pois Sorokin alegava que ela tinha dificuldade em mover seus bens do exterior e disfarçava entre risos, como se tivesse esquecido, quando precisavam persegui-la para que ela os pagassem de volta. [6]

Prisão[editar | editar código-fonte]

Em 2017, Sorokin foi presa sob seis acusações de furto por supostamente enganar ricos empresários de Nova York e vários hotéis. [10] [11] De acordo com a promotoria de Manhattan, os roubos totalizaram aproximadamente US $ 275.000. [12]

Sorokin inicialmente enfrentou três acusações de roubo de serviços por contravenção devido a reclamações sobre estadias no Beekman Hotel e no W Downtown, além de uma refeição no hotel Parker Méridien em Nova York. [13]

Julgamento[editar | editar código-fonte]

Em 18 de dezembro de 2018, Sorokin apareceu no Tribunal Penal da cidade de Nova York e rejeitou um acordo judicial que a libertaria da prisão e a deportaria de volta para a Alemanha no início de 2019. Sorokin decidiu ir a julgamento e a data de 20 de março de 2019 foi inicialmente marcada pela juíza Diane Kiesel. [14] A seleção do júri começou na semana de 17 de março. Em 25 de abril de 2019, um júri considerou Sorokin culpada de furto de propriedade, roubo de serviços e uma tentativa de furto qualificado. [15] Sorokin foi declarada inocente por outra acusação de tentativa de furto qualificado por uma tentativa de empréstimo de US$ 22 milhões que ela tentou obter e uma acusação de roubo de US$ 60.000 para uma viagem ao Marrocos. A Imigração e Alfândega dos EUA confirmou que ela será deportada em algum momento devido a sua isenção de visto durante o período estendido. [16]

Durante o julgamento, o promotor disse que Sorokin parecia "se deliciar com a situação de suas vítimas" e que "demonstrava mais preocupação com seu traje do que com as emoções daqueles que machucava". [17] Seu advogado de defesa tentou humanizá-la, alegando que ela estava ganhando tempo para pagar toda a dívida, tentou retratá-la como empreendedora e até a comparou a Frank Sinatra, alegando que ambos criaram suas próprias oportunidades em Nova York. [5]

Sentença[editar | editar código-fonte]

Em 9 de maio de 2019, Sorokin recebeu uma sentença de 4 a 12 anos de prisão estadual, multada em US$ 24.000 e condenada a pagar uma restituição de cerca de US$ 199.000. Depois de cumprir sua sentença, ela enfrentará deportação para a Alemanha. [18] [19] [20]

Sorokin foi preso em Rikers Island durante o julgamento. Após o julgamento, Sorokin foi inicialmente alojada no Centro Correcional de Bedford Hills antes de ser transferida para o Centro Correcional de Albion. [21] [22] Sua data de soltura mais breve possível é19 de outubro de 2021.

Reações à sua condenação[editar | editar código-fonte]

Ao escrever para o New York Times, Ginia Bellafante argumentou que a acusação e condenação de Sorokin é um exemplo de mulheres sendo punidas com mais severidade por crimes de colarinho branco do que homens. [23] Ela comparou a acusação de Sorokin à condenação de Bridget Anne Kelly no escândalo de fechamento de Fort Lee, destacando que Kelly recebeu uma sentença muito mais alta do que David Wildstein, que apresentou o plano de fechar a ponte em primeiro lugar. Bellafante também criticou o procurador do distrito de Nova York, Cyrus Vance Jr., por ser tendencioso contra as mulheres ao celebrar a condenação de Sorokin no Twitter, quando no passado ele se recusou a processar homens acusados de crimes muito mais graves, incluindo Dominique Strauss-Kahn e Harvey Weinstein .

Representação na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Em 2018, a revista New York publicou um perfil sobre sua vida, negócios e prisão. [4] Shonda Rhimes adquiriu os direitos do perfil publicado na revista e está desenvolvendo uma série na Netflix baseada nele, estrelada por Julia Garner. [24] [22] Lena Dunham está trabalhando em um projeto separado sobre Sorokin para a HBO, baseado no relato de Rachel DeLoache Williams, testemunha no julgamento e ex-editora de fotografia da Vanity Fair . [25]

Um livro escrito por Williams, intitulado My Friend Anna (em tradução livre: Minha Amiga Anna), foi publicado em julho de 2019 pela Gallery Books (uma impressão de Simon & Schuster), bem como por Quercus no Reino Unido e Goldmann na Alemanha, e detalha o tempo em que Williams passou em contato com Sorokin. [26] A própria Sorokin também está escrevendo livros sobre o tempo gasto como uma falsa herdeira e disse a repórteres que está planejando dois livros de memórias: um para abranger o tempo que passou em Nova York e outro sobre o tempo que passou na prisão. [27]

Uma série de podcast parcialmente dramatizada sobre Anna Sorokin, com o título Fake Heiress (em tradução livre: Falsa Herdeira), foi apresentada pela BBC Radio 4 em dezembro de 2019. [28]

Referências[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Official Press Release from the DA». annadelveyfoundation.org 
  2. «Fake German Heiress Anna Sorokin Convicted of Fraud After Fooling Banks and Scamming New York's Elite». Tech Times 
  3. Pressler. «How an Aspiring 'It' Girl Tricked New York's Party People — and Its Banks». The Cut (em inglês)  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  4. a b «Maybe She Had So Much Money She Just Lost Track of It». New York Media, LLC.  |obra= e |publicação= redundantes (ajuda)
  5. a b «NY jury hears conflicting portrayals of fake German heiress Anna Sorokin». North Jersey (em inglês) 
  6. a b Kotinsky. «A fake heiress bilked NYC socialites for years. Then the elaborate hoax unraveled.». www.cbsnews.com (em inglês)  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  7. Williams. «"She Paid for Everything": How a Fake Heiress Made My $62,000 Disappear». The Hive (em inglês)  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  8. «My Anna Delvey story: Strange encounters with a fake heiress». The BBC 
  9. Rosenberg. «There were benefits being duped by fake heiress Anna Sorokin: lawyer». New York Post (em inglês)  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  10. «"She Paid for Everything": How a Fake Heiress Made My $62,000 Disappear». Vanity Fair (em inglês) 
  11. «Wannabe socialite claims Rikers isn't that bad». New York Post (em inglês) 
  12. «DA Vance Announces Indictment of Repeat Scammer for Multiple Thefts Totaling $275,000». Manhattan District Attorney's Office (em inglês) 
  13. «Wannabe socialite busted for skipping out on pricey hotel bills». New York Post 
  14. «Accused socialite con artist rejects plea, heads to trial». New York Daily News 
  15. «'Anna Delvey,' Fake Heiress Who Swindled N.Y.'s Elite, Is Found Guilty». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  16. «Socialite scammer Anna Delvey will get deported back to Germany if she isn't convicted». New York Daily News 
  17. «Con artist who passed herself off as wealthy heiress sentenced to 4 to 12 years in prison». www.cbsnews.com 
  18. González-Ramírez. «Fake German Heiress Anna Delvey Sentenced To 4-12 Years In Prison». www.refinery29.com (em inglês)  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  19. «'Anna Delvey,' Fake Heiress Who Swindled N.Y.'s Elite, Is Sentenced to 4 to 12 Years in Prison». New York Times 
  20. «Anna Sorokin: Fake heiress apologises as she is sentenced». BBC News 
  21. Shamsian. «A Vanity Fair photo editor who says she was scammed by 'SoHo grifter' Anna Delvey wrote a book — and it finally explains how she was caught». Insider  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  22. a b Pavia. «The Anna Delvey Netflix drama has cast its leading lady». Evening Standard (em inglês)  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  23. «Are Women Taking the Cosmic Fall for Male Greed?». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  24. «Shonda Rhimes Sets Anna Delvey Series as First Netflix Project». Variety (em inglês) 
  25. «Lena Dunham Launches Production Company Under HBO Deal». Deadline (em inglês) 
  26. «Dishy New Memoir Exposes 'Fake Heiress' Anna Sorokin». New York Post (em inglês) 
  27. Italiano. «Fake heiress Anna Sorokin: I'd be lying if I said I was sorry». New York Post (em inglês)  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  28. «My Anna Delvey story: Strange encounters with a fake heiress». BBC  |obra= e |publicação= redundantes (ajuda)