António Álvares da Cunha, Senhor de Tábua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António Álvares da Cunha, Senhor de Tábua
Nascimento 1 de maio de 1626
Estado Português da Índia
Morte 26 de maio de 1690 (64 anos)
Cidadania Portugal
Ocupação nobre, político

D. António Álvares da Cunha, 17.º Senhor de Tábua de juro e herdade,[1] (Estado da Índia, 1 de maio de 162626 de maio de 1690) foi um nobre e político português; era comendador da Ordem de Cristo, trinchante da Casa Real de El-Rei D. João IV, D. Afonso VI e de D. Pedro II; 25.° guarda-mor[2] da Torre do Tombo de 1668 a 1690, e deputado da Junta dos três Estados.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi dos que mais contribuiu para a proclamação de D. João IV de Portugal, na Restauração da Independência, fazendo parte de Os Quarenta Conjurados.[3]

Foi o primeiro membro português da Royal Society de Londres, eleito em 1668,[4] assim como foi secretário e fundador da Academia dos Generosos em Portugal.

Dados genealógicos[editar | editar código-fonte]

Filho de D. Lourenço da Cunha, 16.º Senhor de Tábua de juro e herdade, e de sua mulher Isabel de Aragão.

Casou em 1630 com D. Maria Manoel de Vilhena, filha de D. Cristóvão Manoel de Vilhena, Comendador de Macains, e de sua mulher Joana de Faria.

Filhos e filhas:

Referências