Russo (assistente de palco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo é sobre uma pessoa que morreu recentemente.
Algumas informações relativas às circunstâncias da morte podem mudar a qualquer instante.

Editado pela última vez em 14 de fevereiro de 2017.

Russo
Nome completo Antônio Pedro de Souza e Silva
Nascimento 7 de julho de 1931
Santa Catarina
Morte 28 de janeiro de 2017 (85 anos)
Rio de Janeiro
Residência Rio de Janeiro
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Assistente de palco

Antônio Pedro de Souza e Silva (Santa Catarina[1], 7 de julho de 1931 - Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2017), mais conhecido como Russo, foi um assistente de palco da Rede Globo, desde os tempos do Cassino do Chacrinha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Já aos 7 anos, bebia vinagre puro só para ganhar apostas e poder ajudar sua família de 12 pessoas.[carece de fontes?] Adolescente, ajudava com microfones na Rádio Tupi durante o dia e, de noite, trabalhava como trapezista de circo. Aos 14 anos, perdeu todos os dentes ao cair de cara na borda do picadeiro. [1][2]

Em 1965, à convite de Abelardo Barbosa, o Chacrinha (1917 - 1988), Russo saiu do anonimato e virou um animador de plateia de destaque na Globo, no ar até a década de 1990.

Depois do Chacrinha, trabalhou, entre outros, em programas do Faustão e da Xuxa. Apesar da idade e da aposentadoria, Russo trabalhava na produção de três programas: TV Xuxa, Estrelas e Caldeirão do Huck.[3]

Em 27 de setembro de 2011, Russo foi internado após sentir fortes dores no peito, sendo submetido a uma cirurgia de ponte de safena.[4] A cirurgia aconteceu em 3 de outubro, e ele teve cinco pontes de safena implantadas no coração. Russo reagiu bem à operação,[5] e teve alta no dia 13 de outubro.[6]

Afastamento da TV Globo[editar | editar código-fonte]

Demitido da TV Globo desde março de 2014, Russo entrou em depressão e não se conformava com o fato de não poder mais trabalhar, tendo prestado serviços como assistente de palco por 46 anos, mesmo após ter se aposentado.

A emissora tomou a decisão alegando que Russo já não tinha mais condições físicas de trabalhar. "Pelo Russo, ele morreria lá", disse Adriana Mello, esposa do contrarregra.[7] No entanto, mesmo sem contrato, Russo continuou recebendo apoio da ex-empresa, principalmente na fase em que estava isolado e desanimado. "Eles foram um pouco generosos, e até ofereceram psicólogo, mas o Russo não quis", explicou Adriana.[8]

Em 2015, Russo sofreu um AVC.[9]

Morte[editar | editar código-fonte]

Morreu em 28 de janeiro de 2017[10] de falência múltipla dos órgãos devido a complicações decorrentes de infecção pulmonar[11].

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.